Aversions Crown: Exarando brutalidade em novo álbum

Resenha - Xenocide - Aversions Crown

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A primeira coisa que há a dizer sobre “Xenocide”, o novo álbum do AVERSIONS CROWN, é que a banda conseguiu criar o que talvez seja um dos discos mais brutais do deathcore! Sim, meus amigos, o THY ART IS MURDER já havia conseguido quebrar vários paradigmas do estilo com “Holy War”, mas aqui a coisa é elevada para níveis ainda maiores.

Jack Black: "Nirvana foi a última grande banda do rock"Courtney Love: "Antes de morrer, Kurt odiava o Nirvana"

Imagem

Desde a primeira faixa, “Void”, até a última, “Odium”, não há descansos por aqui. O ouvinte é levado por uma viagem agressiva e brutal, como se levasse um soco no estômago em cada levada, cada andamento aqui presente. E tudo isso com um nível técnico absurdo, com um instrumental coeso, cheio de variações, e o uso de ótimas melodias.

Porém, o que prevalece é a velocidade, com os blast beats comendo solto, embora existam diversos (e muito bem encaixados) breakdowns por aqui, além de um clima épico de chaos que permeia todo o interregno de “Xenocide”.

E um dos instrumentos que mais chama a atenção é o baixo, que confere um peso ainda mais cavalar às composições, sendo plenamente audível aqui, com uma timbragem excelente.

As linhas vocais também são extremas, com guturais que diversas vezes remetem aos insuportáveis pig squeals (para mim o único defeito do material).

A ótima qualidade de gravação, e a belíssima arte gráfica também são pontos a favor do material, do qual inclusive é impossível se indicar destaque, tamanha a homogeneidade entre as faixas.

Por isso, trata-se de um trabalho altamente indicado para todos os fãs de metal extremo, mesmo para aqueles que por algum motivo possuíam algum preconceito contra o deathcore, poisa surpresa será grande.

Sem dúvida um marco na história do deathcore, que será visto como “Panzer Division Marduk”, do MARDUK é para o Black metal, ou “Conquerous of Armageddon”, do KRISIUN, é para o death metal. Ouça e comprove. Mas fica o aviso, vá preparado...

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Xenocide – Aversions Crown
(2017 – Shinigami Records)

1. Void
2. Prismatic Abyss
3. The Soulless Acolyte
4. Hybridization
5. Erebus
6. Ophiophagy
7. The Oracles of Existence
8. Cynical Entity
9. Stillborn Existence
10. Cycles of Haruspex
11. Misery
12. Odium

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Xenocide - Aversions Crown

Aversions Crown: O terceiro álbum, primeiro com Mark Poida

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aversions Crown"

Jack Black
"Nirvana foi a última grande banda do rock"

Courtney Love
"Antes de morrer, Kurt odiava o Nirvana!"

Slash
A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay

Ghost e Rob Zombie: O Globo errou mesmo a legenda da fotoCapas: confira 10 das mais belas do Rock/Metal NacionalHeavy Metal: As melhores de 2012 segundo o LoudwirePelados no palco: dez momentos inesquecíveis em vídeoPitty: música "Me Adora" é censurada em programa da GloboGhost: O inacreditável bolo de aniversário de Papa Emeritus

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online