Melanie Klain: Muita originalidade com seu "Metal de Protesto"

Resenha - Análise Do Caos - Melanie Klain

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bruno Rocha
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Melanie Klein foi uma proeminente psicanalista que criou uma nova teoria em Psicanálise, um pouco distinta da de Sigmund Freud. Seu principal objeto de estudo foi a forma como uma criança recebe as informações vindas do mundo exterior e as 'colore' com seus sentimentos em seu 'mundo interior'. De alguma forma isto refletirá na personalidade da então criança em seu futuro como adulto. O nome dela serviu de inspiração para o batismo da banda MELANIE KLAIN (troca-se somente o 'e' pelo 'a' em Klein), uma nova banda surgida em Mococa, Sâo Paulo, que possui em suas músicas uma impecável mistura de influências e de muita identidade, sendo difícil enquadrá-los em algum gênero específico.

Exodus: Gary Holt diz quem são seus ídolos no MetalLoudwire: as Deusas Supremas do Rock

Imagem

Denominando seu estilo de 'Metal de Protesto', o objetivo do MELANIE KLAIN é explorar em suas letras bem construídas o fato de que o brasileiro é o próprio culpado das mazelas pelas quais somos vítimas, tendo em vista que a classe política é reflexo de toda a população. Duzinho (vocais), com toda propriedade e com muito talento como letrista, escancara tais verdades. Musicalmente falando, a banda transpira influências de SYSTEM OF A DOWN, METALLICA, MACHINE HEAD e até algo de DREAM THEATER, dentre outras coisas mais que seu ouvido pode pescar ao ouvir a banda. Mais que isso, o grupo transparece muita identidade. Suas músicas são fáceis de serem identificadas, e cada uma muda de direção muito rápido e ao mesmo tempo de forma natural. Cuidado: é preciso muita atenção para não se perder em meio a avalanche de arranjos, onde tudo é meticulosamente muito bem emendado. A banda passeia bem pelo Metal, Hardcore, New Metal e também pelo o que der na telha deles, pois as músicas exalam muita ousadia.

Analisando o álbum como um todo, ele parece um tanto homogêneo. Mas, ao se dar um zoom em cada faixa, nota-se as peculiaridades de cada uma. Destaco as músicas 'Abençoados Por Deus', que abre os trabalhos de forma pesada e concisa, 'Guerra', com forte presença de vocais limpos, 'Lavagem Cerebral', um Heavy Metal agressivo, e 'Rede Social', a mais curta e direta, com uma performance soberba da baixista Vic Escudero.

Imagem

Uma coisa em comum a todas as faixas também são as repentinas mudanças de andamento. Instantaneamente saímos de um Heavy Metal agressivo para um dedilhado limpo, sem bateria. Talvez haja um excesso de partes dialogadas. Muito disso se deve à necessidade da banda de expressar suas ideias pelas letras.

Se você procura por um Rock/Metal diferente, com identidade, pesado, variado e que sabe se manifestar pelas letras com conhecimento de causa, vale a pena correr atrás do MELANIE KLAIN.

Análise Do Caos - Melanie KLAIN (independente, 2016)

Tracklist
01. Desrespeitável Público
02. Abençoados por Deus
03. Diálogo
04. Fé Cega
05. Guerra
06. Marcas do Abandono
07. Lavagem Cerebral
08. Cartas de um Suicida
09. Cólera/Nação
10. Rede Social
11. Análise do Caos
12. Reflexão

Line-up
Duzinho - vocal
Violla - guitarra
Chapolim - guitarra/vocal
Vic Escudero - baixo
Pedro Bertti - bateria

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Análise Do Caos - Melanie Klain

Melanie Klein: Não é psicanálise, mas é uma "doidera" puraMelanie Klain: Um estilo único e quase impossível de ser rotulado

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Melanie Klain"

Exodus
Gary Holt diz quem são seus ídolos no Metal

Loudwire
As Deusas Supremas do Rock

Camisetas
Beldades globais e sua paixão pelo rock

Andreas Kisser: Escolheu sair? Vai fazer seu trabalho. Deixa a gente em pazSlipknot: "Coldplay faz música para limpar a bunda"João Gordo: "Eu não sei de cena punk. Acha que com 51 anos, eu vou saber de cena punk?"AC/DC: ouça Brian Johnson cantando clássicos do LedIron Maiden: Nicko McBrain e Clive Burr tocando com o TrustSeparados no nascimento: Joe Satriani e Cazé da MTV

Sobre Bruno Rocha

Cearense de Caucaia, professor e estudante de Matemática, torcedor do Ferroviário e cafélotra. Entrou pelas veredas do Heavy Metal na adolescência e hoje é um aficionado e pesquisador de todos os gêneros mais tradicionais desta arte e de suas épocas. Tem como forte o Doom Metal, não obstante o sol de sua terra-natal.

Mais matérias de Bruno Rocha no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online