Stonex: Enaltecendo o Hard Rock/Metal setentista no Nordeste

Resenha - Seeds Of Evil - Stonex

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bruno Rocha
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Fundada em 2012 sob as brisas praianas de Aracaju, a banda STONEX surgiu com a proposta de enaltecer os grandes nomes do Hard Rock/Heavy Metal setentista. E é exatamente isso que o ouvinte encontrará no EP 'Seeds Of Evil' (2014), trabalho de estreia da banda sergipana, com exímia competência.

Metallica: Hetfield toca Adele em versão acústica com a filhaBlink 182: Travis Barker teria sido chamado para o Slayer?

Imagem

Com a formação estabilizada em Ramon Guerreiro (vocais), Marcello Hazz (guitarras), Atílio Bass (baixo) e Adriano Cardoso (bateria), o STONEX entrou no estúdio Rikeza Sonorização em agosto de 2014 para o registro de quatro faixas explosivas que farão o ouvinte se sentir nos anos 70. Na primeira faixa temos o petardo 'Dressed In Black', uma música rápida, onde constata-se de cara as influências de BLACK SABBATH, THIN LIZZY e JUDAS PRIEST em riffs pesados e linhas de baixo marcantes.

Em seguida surge 'Eletric Sky', que começa como um Doom setentista à la BLACK SABBATH e PENTAGRAM, desabando depois para um ritmo rápido feito para banguear o pescoço. Os vocais de Ramon Guerreiro seguem a proposta agressiva das músicas, assim como ensinado por referências em vocais roucos dos anos 70 e 80 como Bon Scott e Udo Dirkschneider. 'Maggots On My Brain' é outra bomba onde o trabalho de guitarras se destaca. Encerrando o EP, temos 'Master Of The Pit', a mais animada do play, com um refrão que funciona muito bem ao vivo.

A perspicaz mescla de momentos agressivos e ritmos cadenciados faz a audição fluir sem que se note o tempo passar. A produção simples, com aquela sujeira essencial, oriunda também das timbragens dos instrumentos, faz o EP soar bastante pesado. O cuidado nos arranjos para deixar transparecer as influências e, ao mesmo tempo, a identidade da banda, é latente. Riffs e solos inspirados, baixo na cara, viradas animais na bateria e vocais marcantes: eis aí a receita certa de um bom disco de Rock; eis aí o que o STONEX tem para oferecer. Aguardemos então um full-length para saciar a sede que ainda resta, pois quatro músicas deste tipo de qualidade é pouco.

A atual formação agora é um quinteto, pois chegou para somar o guitarrista Dálvaro Soares. No fim do ano passado, o baixista Atílio Bass deixou o STONEX e em seu lugar está atualmente Alessandro Mongini.

Imagem

Se depender desta banda do Nordeste, os bons momentos dos anos 70 e 80 continuarão muito vivos nas cabeças dos fãs do bom, velho e tradicional Heavy Metal. Esperemos o que 2017 e a cidade de Aracaju ainda renderá de Rock n' Roll e Metal, através do STONEX.

Seeds Of Evil - Stonex (independente, 2014)

tracklist

01. Dressed In Black
02. Eletric Sky
03. Maggots On My Brain
04. Master Of The Pit

Line-up

Ramon Guerreiro - vocais
Marcelo Hazz - guitarras
Atílio Bass - baixo
Adriano Cardoso - bateria

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Stonex"

Metallica
Hetfield toca Adele em versão acústica com a filha

Blink 182
Travis Barker teria sido chamado para o Slayer?

Geezer Butler
A morte de Dio poderia ter sido evitada

Metallica: os álbuns da banda, do pior para o melhorButcher Babies: Conheça o Porn Metal de ex-coelhinhas da PlayboyMotorhead: os 22 álbuns da banda, do pior para o melhorTarja Turunen: "criança feliz numa cidade pequena"Megadeth: será que Dave Mustaine voltaria para o Metallica?Jared Dines: o que acontece quando bateristas usam drogas?

Sobre Bruno Rocha

Cearense de Caucaia, professor e estudante de Matemática, torcedor do Ferroviário e cafélotra. Entrou pelas veredas do Heavy Metal na adolescência e hoje é um aficionado e pesquisador de todos os gêneros mais tradicionais desta arte e de suas épocas. Tem como forte o Doom Metal, não obstante o sol de sua terra-natal.

Mais matérias de Bruno Rocha no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online