Sepultura: Reunião? "Machine Messiah" diz "não!"

Resenha - Machine Messiah - Sepultura

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Júnior Ramalho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando falamos em sepultura, na atualidade, não existe consenso sobre praticamente nada. Não será diferente com o décimo quarto álbum da banda, Machine Messiah. Material extremamente aguardado pelos fãs da banda, e por que não dos fãs de rock em geral.

Rockers: dez músicos que os fãs gostariam de ver de voltaNine Inch Nails: a face oculta de uma lenda

Imagem

Sim, Machine Messiah tem potencial para atingir não somente os fanáticos adeptos do Thrash e Groove metal e seus derivados. Sepultura com seu novo 'filho' vai muito além disso, ousou se aventurar nas vertentes do progressivo, isso expande consideravelmente o campo crítico a respeito do álbum.

Algumas críticas lidas a respeito do assunto, foram construídas com base em 'frustações' por não enxergarem no atual aquilo que conseguiram com álbuns conceituais da banda do final dos anos 80 inicio dos 90, particularmente evito comparar os atuais trabalhos do Sepultura com obras da 'era Cavalera'. Até porque 'Roots' e 'Chaos' vão além de grandes feitos do Sepultura, foram marcantes para todo o mundo do metal, logo devem ficar fora de qualquer tipo de comparação, por serem únicos. E grande parte do sucesso das obras vem de um cara que batalhou arduamente para manter a banda, Andreas Kisser.

Comecemos a crítica por ele, a presença marcante das guitarras nesse álbum faz com que Andreas se entregue por completo ao álbum, solos bem elaborados e sua 'marca registrada': os Riffs pesados e marcantes. Se fosse para resumir o seu desempenho: O melhor Andreas desde Chaos.
Derrick Green, outro integrante da banda que merece destaque. O cara que simplesmente entregou 100% de si em cada composição e 200% na interpretação das mesmas. A 'Torre' se mantém mais firme do que nunca, uma resposta bem dada a aqueles que ainda levantam a bandeira que não existe o Sepultura sem o Max. Derrick sempre esteve lá para mostrar o contrário e Machine Messiah vem para reforçar.

Outro membro que se destaca nessa obra é o Eloy Casagrande, o rapaz simplesmente destruiu sua bateria. Mas ultimamente chamar Eloy de grande músico se tornou pleonasmo.

É complicado destacar algo desse álbum, afinal ele é tão homogêneo, que retirar uma ou mais músicas dele poderia ter um impacto não tão positivo no ouvinte. Contudo, vou destacar estas : Phantom Self; Iceberg Dances e Resistant Parasites. Músicas com claro potencial para se tornarem clássicos da banda.

Gostaria de fazer uma crítica negativa sobre o álbum, mas felizmente não consegui absorver nada contra o referido. Esse trabalho me envolveu de tal forma que dificilmente consigo ouvi-lo com a intenção de procurar o mínimo deslize (que com certeza existe).

Para aqueles que como alguns ex-membros de bandas consagradas, ainda tende a inclinar para o lado extremista, no qual defende a tese de que não existe Sepultura pós-1996 ou 'forçar' uma reunião de comadre. Respeito a opiniões de vocês, afinal como já dizia o poeta: 'Gosto é igual c... E cada um tem o seu'. A única diferença é que uns o mantém limpo, outros não.

Machine Messiah veio para sepultar (desculpe o trocadilho) quaisquer chances de uma reunião. Muito pelo contrário, Sepultura demonstra sua força como nunca, sem abandonar suas raízes e sem manter o comodismo, que simplesmente colocou diversos músicos brasileiros no ostracismo do cenário do Metal e enterrou suas mais de 500 bandas.

Comente: Depois deste disco, já era uma reunião?

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Machine Messiah - Sepultura

Sepultura: "Machine Messiah" é uma bela obra do gêneroSepultura: Que impacto Machine Messiah terá no metal?Sepultura: sofisticado, "Machine..." é um dos melhores da bandaSepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhanteSepultura: Apenas mais um na discografia da banda

Rockers
Dez músicos que os fãs gostariam de ver de volta

Max Cavalera: trabalhando em dois novos discos simultaneamenteSepultura: documentário será lançado em AbrilTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Sepultura
Max Cavalera comenta a marcante capa de "Chaos A.D."

Sepultura
Turnê com Ramones foi ponto alto da carreira segundo Max

Max Cavalera
Relembrando vomitada em Eddie Vedder

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 15 de janeiro de 2017
Post de 19 de fevereiro de 2017

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sepultura"

Nine Inch Nails
Trent Reznor: a face oculta de uma lenda do rock

Metalcore
Nove razões para você adorar o estilo

Lars Ulrich
A diferença entre o Purple, o Led e o Sabbath

Esquire: Integrantes do Metallica fingem ser do Led ZeppelinSlash: guitarrista conta o que tem ouvido ultimamenteMetallica: Lars concorda quando Bruce diz que Maiden é superiorGuns N' Roses: números de todos os shows da banda até hojeCoisa de boy: Mais de 50% dos roqueiros é da classe A, diz IBOPEIron Maiden: Bruce Dickinson foi diagnosticado e tratado de câncer

Sobre Júnior Ramalho

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online