Buck Tick: Para o deleite dos(as) fãs!

Resenha - Atom Miraiha #9 - Buck Tick

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Se você curte J-Rock, Visual Key e a música japonesa em geral você já tem o novo trabalho do Buck Tick em mãos. “Atom Miraha #9” é lançado após quatro anos do não tão popular “Yume Miru Uchuu”, e vem para provar que a banda formada em 1985 por Sakurai Atsushi (vocais), Yagami Toll (bateria), Hoshino Hideiko (guitarras), Imai Hisashi (guitarras, teclados, efeitos) e Higuchi Yutaka (baixo) continua firme em sua proposta de misturar estilos, com muita extravagância musical e muito visual forte e chocante em fotos e apresentações (características que norteiam a banda e o próprio estilo de Visual Key).

Rock: a visão do metalhead e das pessoas normaisSlipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais

Imagem

Algumas semanas antes do lançamento de seu novo trabalho a banda liberou o vídeo de “New World - begining” para delírio dos fãs. A música trazia um Buck Tick flertando com o pop e criava boas expectativas. Ao ouvir “Cum uh sol Nu – Frasco no Besshu”, com seu toque oriental e boas incusões acústicas, seguida da industrial “Pinoa Icchio -Odoru Atom “, percebe-se que a banda atira sem medo no mosaico de influências que sempre lhe caracterizou.”Devils Wings” remete a “New World – begining”, sendo mais acessível. O lado industrial e gótico dá as caras em “El Dorado”, “Bi NEO Universe” e “BOY sepptem peccata mortalia”. Os que torcem o nariz para sons mais industriais poderão se satisfazer com “Jukai” e “The Seaside Story” (com um ótimo andamento e refrão”). A bana se mantém coesa, com boas guitarras (Imai vem solando muito bem), e com os vocais de Sakurai bem afinados, adepto da escola de David Bowie.

Muitas influências são encontradas neste trabalho: new age em “Manjusaka”, e um rock mais pesado em “Cuba Libre”. No geral um trabalho bem elaborado que satisfará os fãs da banda e os fanáticos mundo afora (que participam do fã clube “Fish Tank”. A banda retorna a Victor, consagrada gravadora japonesa com um bom trabalho.

Resta apenas lançarem o show comemorativo “Climax Together III” (feito poucas semanas ao lançamento de “New World”, e que o guitarrista Imai perca seu medo de avião para eles saírem do Japão, tendo em vista que em 30 anos de banda (celebrados em 2016) o mais próximo que vieram do Brasil foi ao Nepal.

VICTOR ENTERTAINEMENT - 2016

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Buck-Tick"

Rock
A visão do metalhead e das pessoas normais

Slipknot
Veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais

Angra
Quem Kiko Loureiro acha que deve ocupar a sua vaga?

Metallica: Lars Ulrich pede bênção ao papa em encontro casualBaixistas: Os 10 melhores do rock e do metal segundo o WatchmojoSlipknot: Corey Taylor mostra nova máscara em detalhes na TVLars Ulrich: a diferença entre o Purple, o Led e o SabbathFloor Jansen: Ela acha Slayer horrível e entedianteGhost: as semelhanças entre Emeritus e o Papa Francisco

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online