Carnifex: Entre o deathcore e o black metal sinfônico

Resenha - Slow Death - Carnifex

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Nicolas Lopes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Slow Death é o sexto álbum lançado pela banda CARNIFEX e é uma obra que inova no sentido do grupo fugir de suas raízes deathcore.

Slash: "grunge não teve nada a ver com o fim do Guns"Kiss FM: as 500 mais escolhidas pelos ouvintes da rádio em 2012

Imagem

Relembrando o ano de 2007 quando Dead In My Arms foi lançado, o CARNIFEX dividia a cena deathcore com bandas como CHELSEA GRIN, SUICIDE SILENCE e DESPISED ICON. Naquela época, todas as bandas seguiam a mesma receita: Pedais duplos, guturais, riffs pesados e breakdowns.

Com o passar dos anos algumas dessas bandas abandonaram o "mais do mesmo" e resolveram inovar, lançando álbuns contendo estilos totalmente diferentes do deathcore: E 2016 foi o ano do CARNIFEX.

Slow Death é um álbum que fica totalmente dividido entre o gênero deathcore e o black metal sinfônico. A faixa inicial, Dark Heart Ceremony começa com uma introdução dramática que rapidamente evolui em uma canção pesada, mas não exageradamente rápida. Servants to the Horde vem em seguida com outra introdução dramática, porém percebe-se uma presença maior de elementos sinfônicos e de riffs rápidos, característicos do black metal. A faixa título reforça a mistura de gêneros e tem como ápice um interlude acústico que evolui em um solo simples, porém melódico.

Drawn Me in Blood e Pale Ghost convergem totalmente para o black metal sinfônico e certamente lembram grandes nomes como DARK FUNERAL e DIMMU BORGIR. Black Candles Burning vem em seguida e não traz nada de muito especial.

Six Feet Closer to Hell tem uma pegada mais deathcore, onde os elementos clássicos, apesar de presentes, não conseguem descaracterizar a essência deathcore que o CARNIFEX traz. Necrotoxic é uma faixa tecnicamente simples em questão de riffs mas que aposta bastante na sinfonia, semelhante a títulos de bandas como SHADE EMPIRE.

Por fim o interlude acústico Life Fades to a Funeral abre portas pra Countess of the Crescent Moon, que fecha o álbum de forma dramática e clássica.

Para aqueles que apreciam o deathcore puro com certeza essa obra não irá agradar tanto quanto um The Cleansing do SUICIDE SILENCE. Entretanto, para quem busca um som diferente depois de anos ouvindo a mesma receita sendo tocada por diferentes nomes, o Slow Death surpreende e destaca-se completamente dentre outros títulos do gênero lançados esse ano.

1. Dark Heart Ceremony
2. Slow Death
3. Drown Me In Blood
4. Pale Ghost
5. Black Candles Burning
6. Six Feet Closer To Hell
7. Necrotoxic
8. Life Fades To A Funeral
9. Countess Of The Crescent Moon
10. Servants To The Horde

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Slow Death - Carnifex

Carnifex: Fugindo dos cliches do deathcore

Todas as matérias e notícias sobre "Carnifex"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Carnifex"

Guns N' Roses
Slash: "Decidi dar um descanso para o meu nariz!"

Kiss FM
As 500 mais escolhidas pelos ouvintes em 2012

Heróis
Astros da música transformados em heróis de HQ

Metallica: Dave Mustaine resenha o "Hardwired... To Self-Destruct"Matt Sorum: músico se posiciona contra James HetfieldAquiles Priester: os álbuns que marcaram o bateristaIndústria: ouvir MP3 tendo as tecnologias de 2015 é estupidezEminem: Rap God em 40 estilos diferentesDaniel Johns: cover irreconhecível de Smells Like Teen Spirit

Sobre Nicolas Lopes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online