Munarheim/Aethernaeum: Split para fãs do Symphonic Black/Folk

Resenha - Free Promo Sampler - Munarheim/Aethernaeum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vicente Reckziegel
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Há poucos dias havia comentado que normalmente não fazia resenhas de Split. Bom, isso parece ter mudado, já que, após o excelente Split com as bandas Chaos Synopsis/Terrordome, eis que surge, direto da Alemanha, um novo álbum, desta vez com as bandas Munarheim e Aethernaeum.

Peter Criss: arrependido de turnê de reunião sem AceBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

O primeiro “lado” da bolacha fica por conta da banda Munarheim, que está na ativa desde 2007 e possui dois full length em sua carreira, além de uma série de Eps e este Split em questão. E na verdade trata-se de uma big band, pois são nada mais nada menos que oito integrantes. Tudo o que pede uma banda de Symphonic Folk Metal com algumas nuances de Black Metal.

As quatro faixas da banda são, de certa forma, bem uniformes, e o lado sinfônico do grupo faz um estilo quase épico, tendo uma participação importante na sonoridade deles. Mas é possível pinçar bons momentos, como na ótima faixa de abertura, “Stolzes Wesen Mensch”, que possui boas melodias, enquanto “Leben” possui belos coros e vocalizações, em meio a partes mais acústicas que casaram muito bem. E para encerrar sua parte, a pesada “Ruhelos”, que soa mais agressiva, mas sem perder o lado sinfônico/épico das faixas anteriores.

Nota: 3,0/5,0

Imagem

Imagem

Já a segunda metade fica por conta do Aethernaeum, banda mais recente (formada em 2013) e cujo Folk/Black Metal tem um lado mais atmosférico bem acentuado, parecendo às vezes uma versão mais pesado do Lacrimosa (impressão essa muito em virtude das músicas serem cantadas na língua alemã).

E dizer que o Aethernaeum ocupa a segunda metade do disco é somente uma maneira de falar, já que dos 57 minutos do disco, a banda é responsável por 40 minutos. 40 minutos bem aproveitados, diga-se de passagem. Principalmente na primeira música deles, “Heimreise”, que possui riffs empolgantes de guitarra, principalmente no refrão, e durante seus 11 minutos de duração lança mão de todos os predicados que o estilo exige. “Die Stimme der Wildnis” é mais pesada, com vocais rasgados como manda a cartilha do Black, mas sem esquecer a melodia. E “Auf den Nebelfeldern” também é arrastada, com boas variações durante sua execução, indo do Black para o atmosférico com naturalidade. O único senão aqui seria a gravação, que ficou um pouco abafada, mas nada que tire a sensação de um trabalho bem realizado.

Nota: 4,0/5,0

O saldo final deste Split é até surpreendente, pois as músicas escolhidas pelas bandas são de alto nível e a gravação em geral contribui para o bom resultado final. Uma boa maneira de conhecer novos artistas que demonstram potencial para alçar vôos maiores...

Nota:7

8 Faixas – 57:08

Tracklist:
1. Munarheim - Stolzes Wesen Mensch 4:14
2. Munarheim - Leben 4:10
3. Munarheim - Liberté 4:08
4. Munarheim - Ruhelos 5:01
5. Aethernaeum - Heimreise 11:39
6. Aethernaeum - Die Stimme Der Wildnis (Edit) 7:05
7. Aethernaeum - Auf Den Nebelfeldern 11:42
8. Aethernaeum - Transzendenz 9:09

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Munarheim"Todas as matérias sobre "Aethernaeum"

Kiss
"Ace não estava lá! Aquela não era a banda original!"

Blind Faith
Uma das capas mais polêmicas da história do rock

Humor
Você sabe que o rock está moderninho quando...

Separados no nascimento: James Hetfield e o Leão ValenteMadonna: cover do Pantera com guitarra pesadaTaylor Swift: banda de Metal se revolta com a cantora popDuff McKagan: inspiração para cerveja Duff dos Simpsons?Nightwish: Anette não queria Floor Jansen na banda em 2012Exodus: Gary Holt diz quem são seus ídolos no Metal

Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online