Deep Purple: Obra prima escultural da genialidade do homem

Resenha - Machine Head - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Richely Campos
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O homem tem aspirações, desejos, é impulsionado por razões ideológicas, tem necessidade de compreensão do espaço onde vive e dele gerarem frutos para o hoje e o futuro. O homem é uma máquina pensante, um ser engenhoso em busca da perfeição, que seja individual, coletivo, espiritual ou determinante no cerne da razão.

Rock e Metal: Doze ótimos álbuns para iniciantesKerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Imagem

O álbum “MACHINE HEAD” lançado em 1972 da banda DEEP PURPLE é a obra prima escultural da genialidade do homem, do seu valor, de seu desejo de ser completo. Álbum este composto por IAN GILLAN vocal; ROGER GLOVER baixo; RITCHIE BLACKMORE guitarra; JON LORD teclados e IAN PAICE bateria. A propensão tangível da cabeça do homem em ascensão está definida neste ato. É a fase mais hard rock da banda e a minha preferida, fase esta que explora dignamente todos os seus membros e suas respectivas funções, para nos apresentar o que é rock and roll. Este registro é responsável pela minha educação musical, sou grato a estes caras para a eternidade.

Acompanhe este carro movido à gasolina hard rock porque a música de abertura do álbum irá fazê-lo seguir e seguir por esta estrada sonora impecável, “HIGHWAY STAR” abre essa obra clássica. GLOVER fazendo a introdução juntamente com a guitarra cortante de BLACKMORE, surgindo à base poderosa da guitarra conectada com as marcações dos teclados, GILLAN salientando seus gritos fantásticos e quando PAICE dá aquela virada na bateria e o vocal magistralmente assume o controle é simplesmente de arrepiar. Os efeitos da guitarra criando um clima gradual que sucede o solo singular de LORD que o mesmo concebe de maneira sublime. O ponto alto da música é o solo de BLACKMORE um dos melhores da história do rock, único.

“MAYBE I’M A LEO” o baixo Rickenbacker de GLOVER dita à regra com um blues recheado de groove. Sua audição prazerosa atinge uma sensibilidade envolvente. O vocal de GILLAN bem engajado, os duelos solistas de BLACKMORE e LORD alinhados e a bateria de PAICE o grande destaque da música.

“PICTURES OF HOME” está música é uma obra de arte. Sua abertura na bateria traçando os caminhos para os acordes refinados da guitarra são fascinantes e no transcorrer da canção seus membros nos presenteiam com suas performances ajustadas e de primeiro padrão. O solo de BLACKMORE nos exatos 01:39 é uma pintura, o solo de LORD aos 02:56 é lapidado e iniciando aos 03:41 o solo de GLOVER é bárbaro.

“NEVER BEFORE” soa um pouco dissonante do restante das faixas que compõe o disco, mas é puramente coesa. Vocal interpretado com mais vigor em seu início, a música dá uma quebrada no ritmo ficando com uma atmosfera mais pop e depois retorna a base inicial. Destaco em seus segundos finais a orgia sonora que os teclados do maestro JON LORD elucidam.

“SMOKE ON THE WATER” o que dizer desta obra-prima, o que comentar, está explícito, apenas deixo o riff dizer por si só a grandeza que é esta música, o álbum se resume a este riff memorável.

“LAZY” a preguiça faz com que o seu corpo estagna no tempo numa trajetória única sem reviravoltas, sentindo-se acomodado para a novidade. Se você se identifica com o que foi citado, então deixa esta música de lado. Esta canção é sensacional, com suas nuances jazzísticas delirantes, delimitando a grandiosidade que é “MACHINE HEAD” para a história do rock.

“SPACE TRUCKIN’” fecha o disco com maestria e respeito. Riff introdutório bem ornamentado, GILLAN demonstrando toda sua força vocal, bases consistentes de GLOVER, solo característico de BLACKMORE e bateria destruidora e requintada de PAICE. Concluindo assim de maneira exata este álbum essencial.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Machine Head - Deep Purple

Deep Purple: Uma verdadeira aula de hard rock setentistaResenha - Machine Head - Deep PurpleResenha - Machine Head - Deep PurpleTradução - Machine Head - Deep Purple

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Smoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoDeep Purple: Roger Glover garante que turnê do "adeus" será longaDeep Purple: confira nova música, "All I Got Is You"Todas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Grandes mestres
Qual a hora de parar?

Deep Purple
Ian Gillan fala de sua relação com o dinheiro

Metallica
Lars Ulrich monta time de futebol fictício apenas com músicos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 17 de fevereiro de 2016

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Deep Purple"

Álbuns de rock
Kerrang! aponta os 100 melhores de todos os tempos

Lado feminino
Astros do rock que se vestiram de mulher

Rob Halford
"Lady Gaga é o que precisávamos agora na música!"

Courtney Love: "Essa música é sobre minha vagina, sabia?"Pizza: como ser True-Metal-From-Hell na hora de pedir umaRockstars: os piores empregos antes da famaSlipknot: banda pode trocar, um dia, todos os membrosHelloween: Andi Deris v.s. Michael KiskeMúsica Fácil: três bateras excelentes que você subestima

Sobre Richely Campos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online