Danzig: Nem sempre homenagens agradam

Resenha - Skeletons - Danzig

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Mário Pescada
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 6

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Cinco anos depois do seu último disco, o bom Deth Red Sabaoth, o baixinho mais invocado do rock volta à cena com um disco de covers que começou a ser produzido em 2012 e só foi terminado três anos depois.

Guns N' Roses: Slash vai se reunir com a banda? Nunca diga nuncaCannibal Corpse: promotora de justiça russa quer banimento da banda

Imagem

O que era para ser um EP com no máximo 8 faixas acabou virando um disco completo com 10 músicas. Na verdade era para serem doze faixas, mas Some Velvet Morning de Nancy Sinatra e Lee Hazlewood's (1967) que até chegou a ser gravada com Cherie Currie (ex-THE RUNAWAYS), por questões de direitos autorais, acabou ficando de fora na última hora, além de um tema western do italiano Ennio Morricone.

O disco possui um repertório eclético, com bandas de garage rock, psicodélicas, metal, etc. Sobre o disco, Danzig declarou “É a fundação. Se você tirar ELVIS e BLACK SABBATH da minha vida, eu provavelmente não seria o Glenn Danzig que você conhece! Estou feliz que ambos os lados estão representados nesse disco”. Até a capa de Skeletons é uma homenagem, sendo descaradamente baseada no disco Pin Ups (1973) de DAVID BOWIE.

Skeletons tem despertado paixões e ódio. As maiores críticas nem são por causa das derrapadas em algumas performances, mas, sobretudo pela qualidade da gravação: acredito que a forma como foi feita tenha sido proposital (Danzig foi o produtor e engenheiro de mixagem, talvez quisesse soar como os discos de vinil e tapes da época), afinal de contas, com a tecnologia de hoje e tendo uma gravadora como a Nuclear Blast bancando o disco, ele poderia ter sido sim melhor produzido. Quem gosta de produção cristalina, é melhor pensar bem antes de apertar o play, porque algumas faixas chegam a soar como um ensaio numa garagem.

Vamos a um faixa a faixa:

01 Devils Angels: um punk rock no melhor estilo MISFITS do começo da carreira, sujo e direto. Não se trata de uma música inédita, essa mesma versão já havia sido disponibilizada na internet em 2012. Nota 8

02 Satan: baladinha bem cara dos anos 60, com os vocais de Danzig soando muito parecidos com o original, dá a entender que foi Paul Wibier a sua maior influência na forma de cantar. Nota 8

03 Let Yourself Go: lançada para compor a trilha sonora do filme Speedway (no Brasil o filme ganhou o nome de O Bacana do Volante...ok, pula essa). A gaita e saxofone do original fizeram falta no cover e o peso da bateria ficou muito acima dos outros instrumentos. Fiquem com a original cheia de swing do Rei do Rock. Nota 6

04 N.I.B.: essa é uma daquelas músicas que o cara tem que pensar muito bem antes de lançar, afinal é um clássico que todo mundo conhece, o que faz a expectativa e cobrança subirem. A guitarra mandou bem, mas a bateria entregou pelo ritmo bem arrastado e a interpretação vocal de Danzig não ficou legal, acabou soando forçada e cansativa, um resultado embaraçoso. Nota 3

05 Lord Of The Thighs: vocal ficou legal com instrumental bem mais pesado que o original. Nota 7

06 Action Woman: outra que ficou com cara de punk rock por causa da bateria marcada e os vocais gritados, simples, mas bem eficaz. Nota 7

07 Rough Boy: você já deve ter visto esse clip na MTv (aquele clip sobre uma nave metade Eliminator, o carro símbolo do ZZ TOP, e metade foguete que entra em um lava-jato espacial - mais anos 80 impossível). A guitarra “apitando” a música inteira enche o saco e o famoso solo de Billy Gibbons...não teve! Não fizeram! Imperdoável. Nota 2

08 With A Girl Like You: um punk rock bem sujo, ficou bem legal o refrão com vocais dobrados cantando “Ba ba ba ba”. Nota 7

09 Find Somebody: a música original é bem chatinha, mas a versão aqui superou com folga a original, talvez porque seja a com mais cara de Danzig de início de carreira, sobretudo na guitarra lembrando os primeiros discos gravados pelo grande guitarrista John Christ. Nota 8

10 Crying In The Rain: muita gente vai se lembrar dessa música pela versão que o A-HA gravou em 1990 e que fez muito sucesso, aqui a versão é com piano e uma suave percussão ao fundo, nada de mais. Nota 6

Ao final da audição, cheguei a duas conclusões: 1) Quando Danzig canta músicas que originalmente tem vocal lento, o final tende a ser trágico, porém, quando canta músicas com vocais mais rápidos com seu estilo próprio, os resultados quase sempre são satisfatórios; 2) Apesar dos seus 60 anos, o cara ainda manda bem no punk rock, passou da hora dele voltar com o MISFITS!

Faixas:
01 - Devils Angels - Davie Allan And The Arrows (1968)
02 - Satan - Paul Wibier (1969)
03 - Let Yourself Go - Elvis Presley (1968)
04 - N.I.B. - Black Sabbath (1970)
05 - Lord Of The Thighs - Aerosmith (1974)
06 - Action Woman - The Litter (1967)
07 - Rough Boy - ZZ Top (1986)
08 - With A Girl Like You - The Troggs (1966)
09 - Find Somebody - The Young Rascals (1967)
10 - Crying In The Rain - The Everly Brothers (1962)

Formação:
Glenn Danzig: vocais, piano, guitarras, baixo e bateria nas faixas 3, 6, 7, 8 e 10
Tommy Victor: guitarra base, guitarra solo, baixo (ex-PRONG, MINISTRY)
Johnny Kelly: bateria nas faixas 1, 2, 4, 5 e 9 (ex-TYPE O NEGATIVE, BLACK LABEL SOCIETY, KILL DEVIL HILL)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Danzig"

Glenn Danzig
"Apanhei de propósito", diz sobre vídeo

Oh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1988

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 31 de janeiro de 2016

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Danzig"

Guns N' Roses
Slash vai se reunir com a banda? Nunca diga nunca

Cannibal Corpse
Promotora de justiça russa quer banimento da banda

Nirvana
Ronaldinho Gaúcho em homenagem a Nevermind

Árvore Genealógica do Metal e do RockDinheiro não é tudo mas ajuda: 5 Rock Stars que nasceram ricosUltimate Classic Rock: astros da luta-livre que parecem com os membros do MetallicaDavid Coverdale: "Sou eternamente grato ao Deep Purple"Capas Ridículas: LaWeekly elege as piores do Metal em 2014Iron Maiden: as capas dos álbuns, da pior para a melhor

Sobre Mário Pescada

Mineiro, leitor compulsivo, ouvinte de todas as vertentes do rock - do blues ao grindcore. Valoriza mais a honestidade e entrega em cima do palco do que a técnica. Guarda os flyers dos shows que vai como se fossem relíquias.

Mais matérias de Mário Pescada no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online