Coldplay: Retomando positividade em álbum sem faixas memoráveis

Resenha - A Head Full of Dreams - Coldplay

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

1,5 ano após lançar Ghost Stories, o fundo do poço de sua carreira, o Coldplay tinha a difícil missão de mostrar que não queria mais ser uma banda de música de elevador. Alguns diriam que recuperar a admiração dos fãs de rock também era uma missão, mas isso claramente não é mais um objetivo. Em primeiro lugar, porque o caminho que seguiram não tem volta. Ainda, se mesmo lançando uma compilação de canções de ninar eles continuam com estrondoso sucesso, por que voltar às raízes?

Alta Fidelidade: U2 acusado de plágio e outras notícias da músicaGuitar World: melhores solos de guitarra de todos os tempos

Imagem

Que fique claro, houve sim uma mudança em A Head Full of Dreams: toda a positividade que marcou Mylo Xyloto, por exemplo, está de volta. Se a faixa título e de abertura, juntamente a sua sucessora "Bird" e o single "Adventure of a Lifetime", ditam uma tônica alegre, "Everglow" e "Amazing Day" já vão por um caminho mais lento e meloso. A densidade e o ritmo de "Army of One" lembram o sucesso "Paradise", contrastando com sua sonolenta faixa escondida "X Marks the Spot". O que não mudou foi a tendência do grupo a se distanciar do chamado "piano rock".

Mantendo a tradição recente das parcerias, muitos nomes interessantes aparecem aqui. A participação de Beyoncé em "Hymn for the Weekend" levará os rockistas à loucura, mas é inofensiva se levarmos em conta o padrão musical que o Coldplay vem apresentando. Na verdade, ela é a única vocalista cujos talentos foram realmente aproveitados.

A sueca Tove Lo, bem como a estadunidense Merry Clayton, ficam restritas aos vocais de apoio. Barack Obama só emprestou partes de uma cantoria realizada durante um funeral para "Kaleidoscope", algo muito menor do que o alarde na imprensa poderia sugerir - a narração do poeta estadunidense Coleman Barks e o piano da georgiana Khatia Buniatishvili deixam marcas maiores em nossos ouvidos. Dó mesmo a gente tem que ter da atriz e cantora Gwyneth Paltrow, ex-esposa do vocalista, pianista e violonista Chris Martin: limitou-se a três ou quatro "hey-hey"s em "Everglow". Até a estrela do ex-Oasis Noel Gallagher brilha em "Up&Up", mas você não ficará sabendo disso até consultar o encarte.

Fechando a lista de faixas, temos ainda o interlúdio "Colour Spectrum", a balada motivacional "Up&p" e, como faixa bônus, o single "Miracles", lançado em dezembro de 2014 e parte da trilha do filme Invencível.

Dizer que o Coldplay não é mais rock a esta altura é chutar cachorro morto. Aliás, abandonar o rock não é nenhum crime hediondo como muitos consideram. O Coldplay nunca conquistou pelas guitarras, e sim pelo clima positivo de suas músicas, e é por isso que Ghost Stories foi tão decepcionante. E se este sexto disco do grupo não traz nenhum momento memorável dentro da densa discografia do quarteto, ele também não deixará os fãs em geral na mão.

Por outro lado, fica a pergunta: ainda é útil funcionar como quarteto em estúdio? O que o baterista Will Champion e o baixista Guy Berryman fazem que um computador não poderia fazer? Jonny Buckland e sua guitarra ainda conseguem marcar território, fazendo mais ou menos o que o japonês Tak Matsumoto fazia nos primeiros álbuns do B'z.

Depois daquele susto em 2014, o Coldplay volta a fazer música que não faz o fã correr o risco de dormir ao volante. Sem nenhum tempero especial e esbanjando participações que raramente oferecem algo além dos próprios nomes, A Head Full of Dreams ao menos cumpre com sua obrigação de ser mais um item de estimação do fã e nos dá uma luz no fim do túnel quanto ao futuro da banda.

Abaixo, o vídeo de "Adventure of a Lifetime":

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Track-list:
1. "A Head Full of Dreams"
2. "Birds"
3. "Hymn for the Weekend"
4. "Everglow"
5. "Adventure of a Lifetime"
6. "Fun"
7. "Kaleidoscope"
8. "Army of One" (inclui a faixa escondida "X Marks the Spot")
9. "Amazing Day"
10. "Colour Spectrum"
11. "Up&Up"
12. "Miracles" (faixa bônus da edição japonesa)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de A Head Full of Dreams - Coldplay

Coldplay: Falta rock e soul em "A Head Full Of Dreams"

Alta Fidelidade: U2 acusado de plágio e outras notícias da músicaGeorge Michael: veja Chris Martin homenageando o ícone oitentistaColdplay: banda pode se apresentar no Rock in RioColdplay: a pior versão que você vai ouvir de "Viva La Vida"Todas as matérias e notícias sobre "Coldplay"

CDs
Sua coleção pode valer uma fortuna e você nem sabe disso

Slipknot
"Coldplay faz música para limpar a bunda"

Coldplay
"Os caras são uns babacas. São muito estrelas", diz fotógrafo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Coldplay"

Guitar World
Os melhores solos de guitarra de todos os tempos

Corey Taylor
Não podíamos trabalhar junto com Jordison

Slayer
Assassino do pai culpa a banda e assume morte de Jeff

Peter Criss: arrependido de turnê de reunião sem AceBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da históriaVocê sabe que o rock está moderninho quando...Pantera: a novíssima geração de fãs da bandaRob Halford: a paixão do vocalista pelo QueenKiss: "não fico tentando imitar o Ace", diz Tommy

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 0077507/SP) formado pela PUC-SP e membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil. Paulistano e morador de Carapicuíba (Granja Viana), tem um blog de resenhas musicais e outros assuntos chamado Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cinema, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados. Além de ouvir, também toca piano e teclado, compondo algumas bobagens de vez em quando.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online