Stauros: Um retorno às atividades em ótima forma

Resenha - Vale das Sombras - Stauros

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Hananias Souza Santana
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Depois do EP “Marcas da Desilusão” que marcava o retorno do STAUROS a ativa, e contava com alguns dos integrantes do mais que clássico “O Sentido da Vida”, os fãs esperavam que o trabalho tivesse continuidade, e ficaram entusiasmados com o anuncio do álbum “Vale das Sombras”, que acabou sendo lançado de forma independente em dezembro de 2014.
Não Deixe o Samba Morrer: versão rock por Gustavo Di PaduaGibson: os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

Tendo iniciado sua trajetória em 1995, o STAUROS lançou álbuns que foram muito elogiados por crítica e público, conseguindo inclusive reconhecimento internacional principalmente com os discos “Seaquake” e “Adrift” lançados em inglês. Depois de um hiato e um breve retorno com o disco “Praise”, em 2012 o grupo ensaia a volta às atividades com os integrantes que formaram o STAUROS entre 1999 e 2002, mas esse retorno foi frustrado pelas agendas pessoais dos integrantes. Em 2013 porem, para alegria dos fãs é anunciado o retorno de Celso de Freyn, vocalista do clássico “O Sentido da Vida” de 1997, que trabalharia com o guitarrista Renatinho no retorno as atividades do grupo.

O novo álbum do STAUROS então foi lançado no fim de 2014 com parte da formação clássica que gravou “O Sentido da Vida”, Celso de Freyn nos vocais, Renatinho e Alessandro nas guitarras, além de Raphael Dafras (ALMAH) no baixo e Lucas Fontana na bateria. O disco traz canções que estavam presentes no bom EP “Marcas da Desilusão” além de inéditas. E devo dizer o quanto foi salutar o lançamento desse disco, um álbum que é digno da discografia do STAUROS, tendo agradado bastante os fãs que compareceram em peso aos shows de divulgação do trabalho. Com riffs competentes e ótimos solos, a dupla de guitarristas mostra que está em ótima forma, assim como Celso de Freyn que fez um ótimo trabalho no vocal, e mostra que deveria ter mais reconhecimento no Brasil, pois é um excelente vocalista(ouça o disco “Seven Horizons” da banda de mesmo nome, outro grande trabalho de Celso). A cozinha é muito competente e segura, com o ótimo Raphael Dafras do ALMAH e Lucas Fontana na batera.

A produção do disco me agradou, gostei dos timbres de guitarra, principalmente dos timbres de violão. O som da banda continua com o heavy metal como base e nesse disco temos influencias de power metal e progressivo em algumas músicas. As baladas são muito belas, com teclados em “Cidade de Refúgio” e violões em “Esperando em Ti”, por exemplo. “O Sentido da Vida” e “Seaquake”, por exemplo, são discos que tem um nível técnico mais alto em comparação com “Vale das Sombras”, com riffs ainda mais trabalhados e melodias intrincadas, o que considero uma característica da banda, senti falta disso, apesar de que o novo álbum também tem um bom nível técnico, Renatinho e Raphael por exemplo são excelentes músicos.

Com esse lançamento os fãs podem comemorar, é um retorno do STAUROS as atividades em ótima forma, sem dúvida uma das melhores bandas de heavy metal nacional cantado em português, com um grande álbum que alguns fãs já chamam de clássico.

Destaques: “Vale das Sombras”, “Estrada de Sangue” e “Tudo o que eu Preciso”

Faixas:
1. Vale Das Sombras
2. Indiferentes
3. Ainda Há Tempo
4. Cidade De Refúgio
5. Estrada de Sangue
6. Apostasia
7. Tudo o Que Eu Preciso
8. Não Desista
9. Marcas da Desilusão
10. Esperando em Ti
11. City Of Refuge

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Vale das Sombras - Stauros

Stauros: Um grande trabalho que traz a banda de volta

Não Deixe o Samba Morrer: versão rock por Gustavo Di PaduaEdu Falaschi: "O Rock é hereditário"Almah: melhor álbum de 2016 pelos leitores da Roadie CrewTodas as matérias e notícias sobre "Almah"

Capas
Confira 10 das mais belas do Rock/Metal Nacional

Almah
Confira Edu Falaschi tocando "Pegazus Fantasy" no piano

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Stauros"Todas as matérias sobre "Almah"

Gibson
Os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

Tico Santa Cruz
Algumas análises de músicas que não ouvimos

Mike Portnoy
O outro lado da saída do Dream Theater

Separados no nascimento: Geezer Butler e BelchiorFoo Fighters: "sósia" de Dave Grohl canta com a banda em BHFodástico: veja Kerry King em comercial para a JagermeisterIron Maiden: "Dance of Death" é a capa mais feia? E a 2ª pior?Mike Portnoy: por que tantos problemas com bateristas?Ozzy Osbourne: drogas, pombos, morcegos, Black Sabbath e Sharon

Sobre Hananias Souza Santana

Hananias Souza Santana, nascido em 1990, estudante de administração na Universidade do Estado da Bahia, guitarrista, por ser negro, morar na periferia de Salvador e ser cristão batista, tinha tudo para curtir rap, pagode ou gospel, mas como o amor a música foge a rótulos, se tornou headbanger desde a adolescência. Os estilos de sua preferência são o Hard Rock e Heavy Metal anos 70 e 80, mas ouve um pouco de tudo dentro do rock and roll.

Mais matérias de Hananias Souza Santana no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online