Elvis Presley: Não foi à toa que ele ganhou a alcunha de "rei"

Resenha - Elvis Sings... - Elvis Presley

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Pagliaro Thomaz
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Quem me conhece sabe que eu aprecio muito o Rock mais tradicional. É aquele tipo de coisa que um cara como eu, que nasceu no despertar dos anos 80, talvez conheceria bem pouco, não fosse a constante exposição que recebi a vida toda de conhecidos, mas principalmente dos filmes clássicos. Sempre fui extraordinariamente curioso, nunca me contentei com o meu próprio tempo, sempre pesquisando aquilo que veio antes de mim. Foi assim que conheci o rei, Elvis Presley.
Leonardo DiCaprio: "pai do rock" em projeto com Mick JaggerZoltan Chaney: o baterista mais insano que existe?

Eu tenho diversas memórias vívidas de entrar em contato com a música do rei; uma das mais marcantes foi no filme MIB, a cena em que Tommy Lee Jones está no Ford com Will Smith e o carro vira um mega carrão veloz, capaz até de andar pelas paredes. Aí o Lee Jones começa a tocar Elvis no rádio do carro. Ele curtindo aquilo foi me contagiando, de uma forma que de repente eu queria ser ele alí naquele carro, curtindo Elvis. Fiz essa referência porque a música do rei que abre esta magnífica compilação é justamente essa do filme, "Promised Land", o que faz também deste disco, um álbum de fotografias; "ah, essa música eu lembro desse ou daquele filme, essa outra eu ouvi em algum lugar quando eu tinha 15, 18, 20 anos", e por aí vai.

Claro, eu não vou ser hipócrita aqui e dizer que ouço tudo que Elvis fez, tem coisas que eu prefiro deixar para quem curte mesmo, aqui se encaixa o repertório gospel do cara e muitos temas românticos que ele usava para encantar as garotinhas. Verdade também que eu vi muitos filmes que ele fez, uns eu gostei bastante, outros nem tanto, mas em qualquer caso que for, você não pode negar que o cara fazia bem feito.

Esta compilação, lançada em 2014, reúne algumas das melhores interpretações que Elvis deu para artistas famosos de sua época, muitos deles que fizeram sucesso com essas canções, mas elas aqui ganharam uma roupagem toda personalizada do cara. Todo mundo sabe que Elvis não era compositor, ele era um intérprete, fazia músicas que alguém lhe escrevia, ou então músicas de outros artistas que ele apreciava. Mas fazia com esmero! É o que diz Doc Pomus um dos legendários compositores da época, na contracapa desta coletânea: "quando você escrevia uma música para Elvis, você sabia que iria ganhar uma performance plus". E é só escutarmos as músicas do disco aqui para percebermos que ele está certíssimo.

A lenda dos palcos começa com Chuck Berry, e daí vai para Ray Charles com "What'd I Say", The Righteous Brothers e a belíssima balada "You’ve Lost That Loving Feeling", Bob Dylan e as belíssimas "Don’t Think Twice, It’s Alright" e "Tomorrow Is A Long Time", passando até pelas standarts do blues, como "My Babe" de Little Walter e "Got My Mojo Working" de Muddy Waters, baladas pop fantásticas como "Bridge Over Troubled Water" de Simon & Garfunkel, "Words" dos Bee Gees, "Sweet Caroline" de Neil Diamond, e até mesmo passando pelas bandas de Rock mais populares como os Beatles e o Creedence, em performances sensacionais de "Something" e "Proud Mary". E o rei dá aqui uma verdadeira aula de musicalidade, transpira talento e canta para todos, tem um pouco para todo mundo, quem gosta mais de Rock, de Blues, de baladas, de standarts, enfim, tem de tudo um pouco.

Além disso, o cara esbanja seu carisma também, quando na faixa 7 ele começa cantando "mother-in-laaaw..." (inglês para sogra), e parece ter atingido algum tipo de nervo da audiência, falando em seguida "é, não precisa de muito pra faiscar vocês! Umas duas palavras e vocês saem correndo!"; sacana! Mas isso mostra o tanto de carisma que o intérprete esbanjava, não era a toa que fazia tanto sucesso com as meninas da época. E certamente não é a toa que essa é uma das melhores compilações do cara em muito tempo, coisa fina, Elvis pega todas essas músicas de artistas sensacionais e dá aquela sua roupagem inconfundível, a própria "You've Lost That Loving Feeling" fica aqui parecendo um tema para ser tocado em Las Vegas, ganha pompa, ganha arranjos descomunais. Outros artistas aqui como Kris Kristofferson, Willie Nelson, Frank Sinatra, ganham versões sensacionais das músicas que interpretam.

Sem sombra de dúvidas, uma coletânea imperdível para quem curte Elvis e estes clássicos da música mundial aqui tão bem interpretados por um cara que, não a toa, acabou ganhando a alcunha de "rei" em seu tempo e ainda é visto dessa forma por muitas pessoas. Ótima opção para se colocar uma música no carro e sair por aí, talvez até como o Tommy Lee Jones, balançando a cabeça e curtindo um som de primeiríssima qualidade.

Elvis Sings... (2014)
(Elvis Presley)

Tracklist:
01. Promised Land (Chuck Berry)
02. What’d I Say (Ray Charles)
03. Early Mornin’ Rain (Gordon Lightfoot)
04. You’ve Lost That Loving Feeling (The Righteous Brothers)
05. My Babe (Little Walter)
06. Don’t Think Twice, It’s Alright (Bob Dylan)
07. Got My Mojo Working / Keep Your Hands Off Of It (Muddy Waters / Jerry Lee Lewis)
08. Bridge Over Troubled Water (Simon & Garfunkel)
09. Help Me Make It Through The Night (Kris Kristofferson)
10. Gentle On My Mind (Glen Campbell)
11. Funny How Time Slips Away (Willie Nelson)
12. Sweet Caroline (Neil Diamond)
13. You Don’t Have To Say You Love Me (Dusty Springfield)
14. Proud Mary (Creedence Clearwater Revival)
15. I Got A Woman (Ray Charles)
16. Words (Bee Gees)
17. Something (The Beatles)
18. You Don’t Know Me (Ray Charles)
19. I’m So Lonesome I Could Cry (Hank Williams)
20. Danny Boy (Frederic Weatherly - Tradicional)
21. My Way (Frank Sinatra)
22. Tomorrow Is A Long Time (Bob Dylan)
23. Only The Strong Survive (Jerry Butler)

Selos: Sony Music / RCA Victor

Discografia:
- Moody Blue (1977)
- From Elvis Presley Boulevard, Memphis, Tennessee (1976)
- Today (1975)
- Promised Land (1975)
- Good Times (1974)
- Raised on Rock (1973)
- Elvis (1973)
- He Touched Me (1972)
- Elvis Now (1972)
- Elvis Sings The Wonderful World of Christmas (1971)
- Love Letters from Elvis (1971)
- Elvis Country (I'm 10,000 Years Old) (1971)
- From Memphis to Vegas/From Vegas to Memphis (1969)
- From Elvis in Memphis (1969)
- How Great Thou Art (1967)
- Pot Luck (1962)
- Something for Everybody (1961)
- His Hand in Mine (1960)
- Elvis Is Back! (1960)
- A Date with Elvis (1959)
- For LP Fans Only (1959)
- Elvis' Christmas Album (1957)
- Elvis (1956)
- Elvis Presley (1956)

Site oficial:
http://www.elvis.com

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Elvis não morreu
Seria este o Rei do Rock agora em 2017?

Leonardo DiCaprio: "pai do rock" em projeto com Mick JaggerTodas as matérias e notícias sobre "Elvis Presley"

Porrada
Músicos que praticam ou já praticaram algum tipo de arte marcial

Guns N' Roses
Versões de Elvis e Stones no início da carreira

Bizarro & Absurdo
12 Tristes Realidades da Música

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Elvis Presley"

Zoltan Chaney
O baterista mais insano que existe?

Faturamento
Quanto Judas, Aerosmith, Slash fazem por show?

Slash
Os 10 álbuns da vida do guitarrista inglês

Iron Maiden: fatos estranhos na gravação de The Number Of The BeastBlack Metal Cristão: site elege 7 bandas que todos tem que ouvirSebastian Bach: Afinal, por que ele não entrou no Priest?Iron Maiden: a história por trás de "Stranger in a Strange Land"Slipknot: construir expectativa para um álbum é uma arte perdida

Sobre Ricardo Pagliaro Thomaz

Roqueiro e apreciador da boa música desde os 9 anos de idade, quando mamãe me dizia para "parar de miar que nem gato" quando tentava cantarolar "Sweet Child O'Mine" ou "Paradise City". Primeiro disco de rock que ganhei: RPM - Rádio Pirata ao Vivo, e por mais que isso possa soar galhofa hoje em dia, escolhi o disco justamente por causa da caveira da capa e sim, hoje me envergonho disso! Sou também grande apreciador do hardão dos anos 70 e de rock progressivo, com algumas incursões na música pop de qualidade. Também aprecio o bom metal, embora minhas raízes roqueiras sejam mais calcadas no blues. Considero Freddie Mercury o cantor supremo que habita o cosmos do universo e não acredito que há a mínima possibilidade de alguém superá-lo um dia, pelo menos até o dia em que o Planeta Terra derreter e virar uma massa cinzenta sem vida.

Mais matérias de Ricardo Pagliaro Thomaz no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online