Destra: Um trabalho que merece todo o respeito e atenção

Resenha - Joe's Rhapsody - Destra

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Jefferson Guedes Giammelaro
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
2004 foi lançado o trabalho que marcou o ápice criativo da banda Destra, que somado com a grande qualidade dos músicos, resultou em um fantástico trabalho: Joe’s Rhapsody é uma ópera-metal fantástico. Se tirarem o "pré-conceito" com a temática da banda (temática cristã), este trabalho pode sim ser um dos melhores trabalhos do gênero de uma banda nacional (poucas bandas realizaram óperas metal com grande qualidade), DESTRA fez uma obra de arte neste trabalho, desde sua arte gráfica e qualidade do som, do conteúdo do encarte e músicas/melodias. Um trabalho que merece todo o respeito e atenção. Uma ópera que passeia por vários estilos, desde o progressivo ao blues, momentos de heavy, rock, soul e passagens de ritmos tipicamente brasileiros.
Hardstuff: vídeo marca estreia do vocalista Rodrigo GreccoMegadeth: Mustaine explica mesmo elogio a Kiko e Broderick

Lançado em 2004 pela Avantage Records, é mais um grande CD que está fora de catálogo, você encontra algumas unidades "aqui e ali", vasculhando na internet.

A parte gráfica do CD é fantástica, a ótima qualidade do papel, a capa (com uma bela arte),as fotos dos músicos. As letras são todas em inglês, mas a banda mostra o respeito pelo seu público brasileiro colocando todas as traduções no encarte, afinal, não são todos que entendem perfeitamente a tradução das músicas.

Imagem

A diferença de qualidade de gravação do primeiro CD "Sea of Doubt" para este é enorme, este CD é impecável neste quesito.

Rodrigo Grecco tem a voz perfeita para o CD e falar da qualidade dos músicos, é chover no molhado, pois todos são músicos muito competentes.

Imagem

01 - The Dinner - Intro

A introdução do CD é muito legal, o som das correntes, da abertura da grade da prisão, quase te faz visualizar a cena que antecede as músicas. Após o diálogo e a pergunta que vai desencadear toda a história do CD, entra peso, vozes e ao mesmo tempo surge uma melodia suave. Não podiam ter feito um introdução melhor para o CD.

02 - Cruel Jungle (Part One)

O baixo faz um riff fantástico e o estilo "clássico" do DESTRA aparece, a primeira música é bem progressiva, Maxuel o tecladista do CD tem ótima ideia para os solos e a criatividade da banda já impacta desde o começo. A divisão de vozes é muito bem feita, está música inicia a história de Joe, um garoto perdido num mundo duro e egoísta.

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

03 - Family Album (Part One & Two)

Uma das melhores do CD, mais puxada para o progressivo mas com uma pitada de hard/heavy está música traz vários "ambientes", todos os solos são de extrema qualidade; esta parte da letra aborda parte da família de Joe, o vício na bebida que seu pai possuía, os conselhos que sua mãe lhe dava, também passa pela morte de seu pai e a independência de Joe ao deixar a família para traz. Outro ponto de ótimo gosto é o "diálogo" que acontece no decorrer da música, quando Ricardo Parronchi também assume o vocal, fazendo a divisão de vozes e pessoas.

Family Album - Live

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

04 - Julie

A música começa com piano e um solo de BANJO que combinam demais com a primeira estrofe da canção. Depois a música se torna uma balada mais hard.
A letra retrata o momento em que Joe conhece "Julie" e se apaixona por ela.
A percussão de fundo dá um ótimo clima para a música. A voz de Rodrigo Grecco nesta música é ótima, nos remete ao hard 70/80.

05 - Cruel Jungle (Part Two)

A parte dois de "Cruel Jungle" tem em seu começo a parte mais mais
agressiva até o momento, depois é marcada por uma ótima linha de baixo e bateria, além dos habituais elementos progressivos; a letra marca o começo do envolvimento de Joe com as drogas e a tentativa de criar seu paraíso, de sair da miséria. O solo é um dos melhores, não só pelo solo em si, mas pelo "clima" que é preparado pelo teclado/baixo e bateria.

06 - My Little War (My Big Disgrace)

Na época do lançamento do CD, está foi a primeira música divulgada, uma das melhores do trabalho, tem algumas transições bem pesadas. O solo novamente é muito bom, os instrumentos são fantásticos, e depois do solo há uma quebra de estilo impressionante, viajando por um blues muito original com um tom meio gangster.
Tem na sua letra a luta de Joe por continuar como "rei" vendendo as ilusões que são "brancas como a neve", uma frase muito interessante é usada:
"Mas o dinheiro fácil é como carne fresca no mar atraindo tubarões", "Na selva é bem pior, não é o instinto de sobrevivência e sim a sede pelo poder".

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

07 - Lost Bullet

Um começo menos pesado, bem melódica e ascendente, a música chega no ápice explodindo em detalhes. A letra continua o tema da anterior, é o momento de reflexão de Joe após ter assassinado um jovem inocente com uma bala perdida. O momento em que recorda de sua mãe e quer voltar no tempo, voltar à estar perto dela.

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Live:

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

08 - Goodbye Blue Sky

Podemos dizer que é a música com o ritmo mais "diferente" do CD, chega a ter seu momento "baião-metal". Nos deixa um clima de metal com elementos nordestinos que deixam a música bem legal, e um ótimo grito de Rodrigo alcançando um agudo inesperado.
A letra trata da prisão de Joe e os últimos momentos como um homem livre, até ser algemado e levado ao carro da polícia, onde pode ver pela última vez a luz da selva, a luz da cidade.

Live:

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

09 - Darkness Land

Música possui um "clima" denso do começo ao final, após um começo bem forte, ela vem cheia de marcações, contra-tempos e está entre as três melhores do CD. A letra retrata vários momentos, do inferno em que vive preso, a passagem de Joe pelo Natal enquanto está encarcerado; a visita de Julie é marcante e sua criança que como ele mesmo diz, já não é mais uma criança, suas lágrimas sabendo que não passará momentos com seu filho. O ponto que fará a ligação com a próxima música é Joe escutando de longe um outro preso falando coisas que ele ainda não compreendeu, "como um homem preso pode ser livre?".

10 - Wisdom Calls (The Preaching)

A melhor do CD da minha opinião, vem muito forte desde o começo, com solos de todos os instrumentos e a bateria num rápido pedal-duplo em vários momentos da música deixando a música bem agressiva e o vocal atacando notas agudas em alguns momentos. É o tipo de música em que você consegue perceber a grande criatividade (já dita outras vezes), tanto na variação rítmica, quanto nos solos, pois a cada solo dos
diferentes instrumentos percebe-se a qualidade dos instrumentistas e como estavam todos os músicos em sintonia.
A letra é o momento em que o outro preso fala para Joe sobre o evangelho, sobre o sacrifício e sobre o amor maior, o de dar a própria vida em favor dos outros. Fantástica música.

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

11 - One Last Pray

A música que fecha o CD é incrível, começa como uma balada com uma melódia linda e suave. A música "cresce" na intensidade, e a medida que a letra se desenvolve ela muda o ritmo, variando para o rock n´ roll e tendo um momento com vocais estilo "gospel americano", que parecem ter saído de uma igreja batista de filmes típicos americanos.
A letra retrata os últimos momentos e pensamentos de Joe, antes de caminhar os últimos passos no corredor da morte. O famoso telefone do corredor da morte (que quando toca livra os presos condenados à morte) é citado (neste caso não tocando), assim Joe vai pagar o preço de seus erros, a letra é muito interessante, cita as pessoas clamando por justiça pedindo pela execução e outros clamando por misericórdia. O final é a morte, mas Joe está tranquilo com isso.

O CD é fantástico e as letras dignas de um clássico, uma história incrível.

Ótimo CD, merece ser escutado várias e várias vezes, pois é um ótimo
trabalho. É o tipo de CD que se fosse gringo teria uma grande relevância e nós do Brasil falaríamos muito bem dele. Este trabalho merece ser muito mais conhecido.

Escute todo o CD:

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Track-list
01 - The Dinner - Intro
02 - Cruel Jungle (Part One)
03 - Family Album (Part One & Two)
04 - Julie
05 - Cruel Jungle (Part Two)
06 - My Little War (My Big Disgrace)
07 - Lost Bullet
08 - Goodbye Blue Sky
09 - Darkness Land
10 - Wisdom Calls (The Preaching)
11 - One Last Pray

Imagem

Destra no CD:

Ricardo Parronchi: Baixo, Vocais, Guitarras (acustica), Mandolin
Maxsuel Rodrigo: Teclados
Eduardo Parronchi: Guitarras
Rodrigo Grecco: Vocais, Guitarras (acustica)
Fabio Fernandes: Bateria e Percussões

Participações:
----------------
Wagner Marques: Backing Vocais
Jisa Lima: Backing Vocais
Marco Antonio Madureira: Voz do Carcereiro
Sandro Baggio: Voz de Joe
Valdir Vale Maia: Cello
Leandro Rossetto: Violino
Marcelo Saorim: Flauta
Ricardo Rosa: Percussão

Produção:
----------------
Paulo Brancaccio: Gravações e mixagem
Ricardo Parronchi: Produtor

Lançado em 2004 pela Avantage Records

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Joe's Rhapsody - Destra

Resenha - Joe's Rhapsody - Destra

Hardstuff: vídeo marca estreia do vocalista Rodrigo GreccoTodas as matérias e notícias sobre "Destra"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Destra"

Megadeth
Mustaine explica mesmo elogio a Kiko e Broderick

Sepultura
Max relembra o seu momento mais surreal ao vivo

Nargaroth
"Brasileiros, deixem meus músicos em paz!"

Vocalistas: conheçam algumas das maiores vozes do metal nacionalMetal Hammer: dez capas que provocam ânsia de vômitoExtreme: Jack Black e Jimmy Fallon recriam "More Than Words"Metal: por que os metalheads vivem presos no passado?Loudwire: os supergrupos fictícios mais estranhos

Sobre Jefferson Guedes Giammelaro

Um cara que gosta muito de música e que sabe que ela pode ser muito mais que apenas sons (ou barulho), mas sim algo que pode mudar vidas. Casado, cristão, guitarrista, colecionador de CDs e um cara que gosta muito de divulgar, reviver e ajudar na caminhada de novas e antigas bandas que não são apenas passageiras, mas que acrescentem algo na jornada... Buscando voltar à essência! Twitter: @je_ggg.

Mais matérias de Jefferson Guedes Giammelaro no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online