WHIPLASH.NET - Rock e Heavy MetalWHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal

FacebookTwitterGoogle+RSSYouTubeInstagramApp IOSApp Android
MenuBuscaReload

Acolyte: Para quem curte um Black Metal com atrativos a mais

Resenha - Alta - Acolyte

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Leandro Fernandes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
É sempre bom ver bandas extremas, mais precisamente Black, investir em uma pegada progressiva, tornando o som mais atrativo e viciante. O que encontramos nesse primeiro disco dos ingleses do Acolyte é um som cavernoso e ao mesmo tempo rico pela simples pegada Prog consistente aqui.
Fotos de Infância: Andre Matos e ViperGibson: Hendrix no topo da lista dos 50 melhores guitarristas

“Alta” é um disco ótimo e bem diferente, longe de vocais urrados e rasgados, guitarras densas e pesadas, mas com pegada firme e riffs entendíveis, a bateria também mostra muita técnica e um pouco mais de ‘calma’ podendo em certos momentos se escutar o som do baixo. Outro atrativo a mais é o misto de melancolia também presente com nuances soturna, certos momentos chegando a soar, em partes, com Rotting Christ.

Nove músicas que compõem esse compilado, mostrando muito profissionalismo e um diferencial à parte: “ame ou odeie”. Dito isso o disco se inicia com uma introdução bem curta emendando logo com a atmosférica Charybdis, sombria e também pesada. Seguindo para Leng (essa música fez parte do primeiro EP da banda) com seus quase dez minutos de duração mostra que realmente a banda gosta de arriscar e fazer aquilo que se tem vontade, a música em si não cansa e mostra bastante variação principalmente nos vocais e bastante alternância na cozinha e nos riffs, chega a se aproximar de um Heavy Metal.

A ácida The Nameless Expanse mostra uma pegada ‘old school’, seguindo sempre a mesma linha e poucas variações, mas em Sunrise o clima muda completamente para um som mais arrastado e obscuro, em certos momentos a calmaria toma conta e um clima de melancolia paira de forma bem discreta.

Formidine e Vultures mostram bons riffs e linhas de vozes agressivas e mais rápidas. The Ashenground mostra mais desenvoltura e muito peso, os guturais aqui são evidentes e encerrando esse excelente disco Epistle é a mais longa do trabalho com quase doze minutos de pura melancolia e soturnidade emaranhadas em cada nota executada, fechando o disco de forma honrosa.

O Acolyte é uma banda nova e com muita estrada pela frente. Os caras se arriscam em criar e inovar e isso deixou o som bastante original e sólido. Se curte um Black Metal com atrativos a mais, ouça!

https://www.facebook.com/Acolytemusic
http://acolytemusic.bandcamp.com/
http://blogartemetal.blogspot.com.br/2014/11/acolyte-alta-20...

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Acolyte"

Viper
Fotos dos primórdios da carreira

Jimi Hendrix
O melhor entre os melhores guitarristas do site da Gibson

Tradução
O clássico Somewhere In Time, do Iron Maiden

Slash: um resumo de suas experiências ao longo dos anosTempo implacável: os rockstars também envelhecem parte 2Pink Floyd: dupla sertaneja desvirtua clássico da bandaLars Ulrich: ele pode aparecer onde você menos esperaDream Theater: as canções mais subestimadas da banda

Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.

Mais matérias de Leandro Fernandes no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online