WHIPLASH.NET - Rock e Heavy MetalWHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal

FacebookTwitterGoogle+RSSYouTubeInstagramApp IOSApp Android
MenuBuscaReload

A Hill To Die Upon: O desespero santo

Resenha - Holy Despair - A Hill To Die Upon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Márllon Matos, Fonte: The Undead.net
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Três anos separam este “Holy Despair” de seu antecessor “Omens”. E durante este tempo de espera o A HILL TO DIE UPON conseguiu evoluir bastante, mas sem se afastar de suas origens e de suas características que os fazem diferenciados na cena metálica.

O “Holy Despair” nos brinda com 10 faixas que certamente irão agradar fans de BEHEMOTH, 1349 entre outros. Este duo faz uma excelente mistura entre Death e Black Metal onde nenhum gênero sobressai mais do que o outro e tudo isso aliado a letras de caráter filosófico escritas pelo baterista R. Michael Cook.

O álbum que contem aproximadamente 48 minutos de duração, a principio lembra bem os seus antecessores, mas trás algumas particularidades para o som do AHTDU, como nas faixas “A Jester Arraved In Burning Gold” e “ Let The Ravens Have My Eyes” por exemplo, que possuem alguns elementos melódicos que as aproximam do Black Metal Sinfônico (esse fato se justifica por terem sido compostas por Thor, da banda GRAVE DECLARATION), mas fora isso é o mesmo A HILL TO DIE UPON de sempre. Sonoridade, timbre, letras filosóficas, faixas instrumentais acústicas... Todos os “clichês” da banda estão aqui.

É um álbum bem homogêneo, o que torna a missão de escolher destaques uma tarefa bastante inglória, mas após muitas audições deu para alçar “Oh Death” que conta com a participação de Timbre nos vocais femininos e na harpa, “Satan Speaks” (cuja letra reúne trechos de um livro de C.S. Lewis) , as duas citadas anteriormente e Unyelding Anguish a este posto.

Supera os lançamentos prévios ? Difícil dizer pois é uma questão muito pessoal, mas garanto que “Holy Despair” não faz feio perante a discografia do “A HILL TO DIE UPON”.

A Hill to Die Upon - Holy Despair

Cloven Hoof Hava Nagila
A Jester Arrayed in Burning Gold
Unyielding Anguish
Let the Ravens Have My Eyes
Hæðen
Nekyia
Somme
Rime (Jerub-Ba’al)
O Death
Satan Speaks

Ficha técnica:

Adam Cook– lead, rhythm, & bass guitars, despairing voices
Michael Cook– drums, anguished voices
Nolan Osmond – lead guitars
Additional screaming on “Nekyia” by The Scandinavian Black Metal Alliance
Additional singing on “A Jester Arrayed in Burning Gold” by Beckie Frey
Harp and additional singing on “O Death” by Timbre
Cover Artwork by Taylor Hays
Photography by Cameo Johnson
Logo by Christoph Szpjadel Recorded by Drew Webster
Mixed and Mastering by Erik Tordsson at Solid Mix Studios
Produced by Adam Eckley Cook

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Holy Despair - A Hill To Die Upon

A Hill To Die Upon: Black Metal Brothers

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "A Hill To Die Upon"

Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1982

Igor Cavalera: o Sepultura já era, deveria encerrar atividadesGuns N' Roses: a história das tours, de 85 a 2007Metallica: baixista do Primus relembra teste em 1986Kiss: "Gene é viciado em sexo", diz Ace FrehleyTwisted Sister e Krokus: A treta entre as bandas nos anos 80

Sobre Márllon Matos

Nascido em 1990, despertou para o rock em 2002 e desde lá vem sendo o terror dos vizinhos, seja tocando bateria ou ouvindo Metal no mais alto volume. Cristão convicto, curte de Palavrantiga a Crimson Moonlight, e o seu sonho é conseguir ir para a Austrália ver algum show do Mortification.

Mais matérias de Márllon Matos no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online