Deathcrush: Transmitindo mensagens com um som obscuro e visceral

Resenha - Profana Luta (Consagração a Satanás) - Deathcrush

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Leonardo M. Brauna
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Belém é conhecida dentro da cena underground por ser o local onde se originou o Heavy Metal brasileiro, isso mesmo, em 1974 surgia lá uma banda chamada STRESS que plantou essa semente nas terras tupiniquins. As ramificações foram muitas e, com o passar do tempo, o estado do Pará foi se firmando cada vez mais nesse conceito musical. Hoje bandas como RETALIATORY e ANUBIS representam bem o lado mais grotesco, mas numa cidade distante chamada Itaituba, existe uma banda que transmite as suas mensagens com um som obscuro e visceral, DEATHCRUSH.
Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosDave Mustaine: Magia Negra, Obama e Metallica

O trio formado por BARBATOS (vocal), LORD HAURES (guitarra) e VETIS (bateria) lançou no ano de sua fundação (2006), a demo ‘Batalhas e Rituais’. Em 2013, três das canções desse documento juntaram-se a outras cinco e foi feito o lançamento de ‘Profana Luta (Consagração a Satanás)’. Com um visual e som tipicamente Black Metal esses paraenses se revelam bastantes precisos em seus temas musicais. Os riffs seguem bastante a harmonia e, o vocal gritado, confirma a maldição de seus temas. As faixas não surpreendem pela velocidade, mas pela criatividade, são bases bem elaboradas em meio a uma produção suja que identifica a idéia primitiva do seu som.

Os vocais gritados refletem numa atmosfera de agonia, além de arriscar um pequeno coro em ‘Sangue e Glórias Eternas’. Já em ‘Pujante Lúcifer Belicoso Mestre’ o vocalista se arrisca mais ainda em passagens limpas.

O baixo segue uma linha harmônica e é bastante presente nas faixas, pena que nesse álbum o autor não é creditado, mas sabe-se que na demo de 2006, LORD HAURES foi quem gravou as quatro cordas. Responsável também pelos belos riffs, o guitarrista se supera em cada música, sendo a última, ‘Portador da Luz Luciferana’, o seu ponto máximo de criação.

Por ser uma banda que atende mais pela melodia do que pela velocidade, a bateria não arrisca muito nos chamados ‘blast beats’, também percebe-se que a produção do disco não faz justiça merecida a esse setor. De todo caso esse ‘bebut’ servirá como ponto de partida para as melhorias futuras.

Em consideração a esses três guerreiros, só posso dizer que eles estão com uma pedra preciosa nas mãos, mas essa pedra – chamada talento – ainda está em estado bruto, e tenho certeza que uma bela lapidação os farão ser reconhecidos em toda esfera underground. Parabéns.

Formação:

BARBATOS – Vocal;
LORD HAURES – Guitarra;
VETIS – Bateria.

Faixas:

01 – Batalhas e Rituais;
02 – Sangue e Glórias Eternas;
03 – Profana Luta (Consagração a Satanás);
04 – Ódio Pagão;
05 – Pujante Lúcifer Belicoso Mestre;
06 – Salve Satã;
07 – Desespero Cristão;
08 – Portador da Luz Luciferana.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Deathcrush"

Black Sabbath
Avó de Iommi era brasileira e pais eram católicos

Dave Mustaine
Falando sobre Magia Negra, Obama e Metallica

Queen
A declaração musical de ódio de Freddie Mercury

Guitarristas: E se os mestres esquecessem como se toca?Galeria - Tatuagens em homenagem a Ozzy OsbourneBandas: Por que ninguém está indo a seus shows?Separados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker SpanielPattie Boyd: a linda garota que inspirou vários clássicos do rockMamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?

Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde 1989 vive à cultura e ideologia do Metal Pesado sendo fã ardoroso do Classic Rock ao Death Metal. A sua dedicação se define na constante busca por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online