Deep Purple: Um de seus melhores registros ao vivo

Resenha - Live Paris 1975 - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Cinco meses após o lançamento do ótimo “Stormbringer”, o DEEP PURPLE passava por um período de extrema instabilidade, em especial devido ao fato de seu membro principal, o guitarrista Ritchie Blackmore, estar insatisfeito com os caminhos musicais que a banda vinha seguindo. E, em 7 de abril de 1975, no Palais des Sports, em Paris, França, a banda fez o último show da tour europeia de divulgação do álbum, e que também marcou a saída de Ritchie, para montar o RAINBOW, como Ronnie James Dio.
Roger Glover: Ritchie Blackmore não deveria usar o nome RainbowAxl Rose: ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racista

E, após ser lançado em 2001, o álbum ao vivo, até então raro, retorna às prateleiras, como uma nova mixagem e remasterização digital, realizadas em 2012. E acaba de ganhar uma belíssima versão nacional, em paper sleeve, graças a mais um excelente trabalho da Hellion Records.

Sobre a nova sonoridade do material, está impecável, mesmo diante da longevidade da gravação do áudio original.

Além de Ritchie, essa fase da banda contava com David Coverdale, Glenn Hughes, Ian Paice, e o saudoso Jon Lord, que estavam afiadíssimos, trazendo aos fãs uma performance avassaladora e cheia de energia. Assim, sem dúvida, temos aqui um dos grandes registros ao vivo do PURPLE.

Como não poderia deixar de ser, a maioria das faixas é do álbum “Stormbringer”, que estava sendo divulgado, mas a banda ainda encontrou espaço para clássicos como “Burn”, “Smoke on the Water” e “Highway Star”, além do cover de “Going Down”, de Don Nix.

No disco dois, ainda há uma entrevista com Coverdale, Hughes e Paice, na qual contam um pouco sobre fatos da banda na época, bem como como surgiram algumas das faixas como “Burn” e “Stormbringer”.

O ponto negativo fica para alguns excessos na alguns excessos em partes instrumentais, deixando as faixas muito longas desnecessariamente, mas que servem, na maioria das vezes, para comprovar o quão entrosados os músicos estavam.

Sem dúvida um item que não pode faltar em sua coleção.

Live Paris 1975 – Deep Purple
(2013 – Hellion Records - Nacional)

Banda:

David Coverdale – Vocal
Ritchie Blackmore – Guitarra
Glenn Hughes – Baixo
Jon Lord – Orgão, teclados e sintetizador
Ian Paice – Bateria

Tracklist:

CD 1

Burn (Coverdale, Blackmore, Lord, Paice) – 9:46
Stormbringer (Coverdale, Blackmore) – 5:12
The Gypsy (Coverdale, Blackmore, Hughes, Lord, Paice) – 6:11
Lady Double Dealer (Coverdale, Blackmore) – 4:35
Mistreated (Coverdale, Blackmore) – 12:49
Smoke on the Water (Blackmore, Gillan, Glover, Lord, Paice) – 11:10
You Fool No One (Coverdale, Blackmore, Lord, Paice) – 19:30

CD 2

Space Truckin’ (Gillan, Blackmore, Glover, Lord, Paice) – 21:21
Going Down (Don Nix) – 5:19
Highway Star (Gillan, Blackmore, Glover, Lord, Paice) – 11:33

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rockers
Dez músicos que os fãs gostariam de ver de volta

Roger Glover: Ritchie Blackmore não deveria usar o nome RainbowSmoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Christopher Cross
Quando ele substituiu Blackmore no Deep Purple

David Coverdale
Os álbuns com o cantor, do pior para o melhor

Deep Purple
Blackmore removido de camisetas do Machine Head

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Deep Purple"

Axl Rose
Ajudando a confortar garçonete que sofreu ofensa racista

Iron Maiden
Felipe Dylon toca clássicos da donzela

Dave Mustaine
Aquela foi a pior "Master of Puppets" que ele já ouviu

Michael J. Fox: A volta triunfal de Marty McFly em um show do ColdplayMassacration: Luiz Fernando Guimarães ou Língua de Trapo?Rock Nacional: Os 15 melhores riffs de guitarraKiss: Música ou Marketing?Kerry King: se continuar assim, serei obrigado a calar a bocaRoadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadora

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online