Deep Purple: Steve Morse e Don Airey se destacam em "Now What?!"

Resenha - Now What?! - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Carlos H. Silva
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Quase 8 anos após Rapture of the Deep, e depois de muita especulação sobre lançar ou não um novo disco, o Deep Purple solta o seu Now What?! (2013, via earMusic, produzido por Bob Ezrin).
Rockers: dez músicos que os fãs gostariam de ver de voltaGhost: "O riff mais Heavy Metal que já existiu"

Apesar de tanto tempo sem um lançamento completo de inéditas, a banda se manteve ativa fazendo inúmeras turnês e também deu tempo de seus músicos participarem de outros projetos.

Esta fase do Deep Purple com o guitarrista Steve Morse (na banda desde 1994) foi sempre marcada pelo virtuosismo, por muitas vezes o som da banda beirava o fusion (na esfera hard rock do termo, claro), diferente do antigo Deep Purple, que era mais feeling e mais blues.

Em Now What?! isso não muda muito, mas temos grandes momentos de inspiração e sentimento, como na bela introdução da primeira faixa, A Simple Song, que é de longe a melhor canção do disco todo.

Depois da intro, entra Ian Gillan cantando lentamente sobre a base e só por este momento já vale a audição. E em seguida a banda entra quebrando tudo, com aqueles solos tradicionais de hammond e um refrão muito bom. De novo: a melhor canção do álbum, de longe.

A partir daí volta aquele tradicional Deep Purple era-Steve Morse: riffs "quadradões" e Don Airey honrando o legado do teclado na banda. Os dois músicos são os grandes destaques individuais. Steve passeou com riffs e solos impecáveis, e Don atacou não só de Hammond, mas deu um show como tecladista e pianista de modo geral.

Se os CDs ainda fossem como os LPs, em que havia um lado A e um lado B, conseguiríamos separar Now What?! da seguinte maneira: no lado A (faixas 1-5) ficaram os hard rocks típicos do Deep Purple, como Weirdstan, Out of Hand e Hell to Pay. No lado B (faixas 6-11) teríamos as mais experimentais como a progressiva Above and Beyond, a jazzística Blood From a Stone, com Steve Morse mostrando muito feeling nos solos e licks, a sensacional Uncommon Man, que tem um teclado carregado de AOR e um riff heróico, e Apres Vous. Uma das faixas divulgadas antes do lançamento foi All the Time in the World, uma balada que tem como ponto positivo justamente o feeling de Steve Morse nos fraseados e no belo solo.

E este Lado B agrada mais, justamente pela experimentação e diferentes sonoridades em algumas faixas.

Vincent Price, a mais pesada, encerra a versão regular do álbum e tem o melhor solo de guitarra de todas as faixas, com uma pegada totalmente blueseira.

Ian Gillan, Ian Paice, Roger Glover, Don Airey e Steve Morse, com a ajuda do produtor Bob Ezrin, de maneira geral acertaram a mão e produziram seu melhor lançamento desde Bananas (2003). Mas depois da faixa de abertura, nada mais superou.

Originalmente em:
http://www.thatrockmusicblog.blogspot.com.br/
http://www.facebook.com/ThatRockMusicBlog

01. A Simple Song
02. Weirdistan
03. Out Of Hand
04. Hell To Pay
05. Body Line
06. Above And Beyond
07. Blood From A Stone
08. Uncommon Man
09. Après Vous
10. All The Time In The World
11. Vincent Price

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Now What?! - Deep Purple

Deep Purple: um bom disco, mas um tanto preguiçosoDeep Purple: eles ainda têm muito para fazer pela músicaDeep Purple: impecável e digno de imitação nos dias atuaisDeep Purple: banda volta aos holofotes com um novo discoDeep Purple: Não seja idiota de comparar Now What!? aos clássicosDeep Purple: um álbum sólido com excelentes pormenores técnicosDeep Purple: canções lentas, solos e riffs perdidos

Rockers
Dez músicos que os fãs gostariam de ver de volta

Smoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoDeep Purple: Roger Glover garante que turnê do "adeus" será longaTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Heavy Metal
11 músicas pesadas lançadas antes de surgir o gênero

Rush
Alex Lifeson escolhe seus riffs prediletos

Bruce Dickinson
Led Zeppelin ou Deep Purple?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Deep Purple"

Ghost
"O riff mais Heavy Metal que já existiu"

Cantam muito
Onze dos maiores vocais isolados que você vai ouvir

Esquire
Integrantes do Metallica fingem ser do Led Zeppelin

Iron Maiden: 15 melhores coisas sobre o single "Speed Of Light"Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney MagalLed Zeppelin: "Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"Led Zeppelin: Page surtado com bateria de dois bumbos de BonhamMosh: Mais detalhes sobre o valentão que acabou sendo nocauteado

Sobre Carlos H. Silva

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online