Dr. John: a música emerge de maneira brilhante

Resenha - Locked Down - Dr. John

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
"Locked Down" é o encontro entre duas gerações diferentes. De um lado, o veterano pianista Dr John, ícone e um dos músicos mais emblemáticos saídos de New Orleans. Do outro, Dan Auerbach, vocalista e guitarrista do Black Keys, um dos nomes mais interessantes da atualidade, responsável por trazer o blues rock novamente à ordem do dia. Apesar de separados por décadas, os dois tem algo em comum: a música. E em "Locked Down" ela emerge de maneira brilhante.
Traduções: Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismoRestart: Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010

O novo álbum de Dr John é o sucessor de "Tribal", de 2010, e foi produzido por Auerbach. O Black Keys também toca guitarra e faz backing vocals no play. O time se completa com Brian Olive na guitarra, Leon Michels no teclado, Nick Monshon no baixo e Max Weissenfeldt na bateria, além do trio The McCrary Sisters nos vocais de apoio.

Com um balanço hipnótico, "Locked Down" atualiza a música de Dr John, embalando-a de forma atraente para o público atual, porém mantendo as suas características tradicionais. Mérito da produção de Auerbach, certeira, precisa e na medida. Diversas composições, por mais antagônico que isso possa parecer em um primeiro momento, soam como se fossem faixas do próprio Black Keys, como se Dr John tivesse passado muito tempo ouvindo os discos do duo formado por Auerbach e pelo baterista Patrick Carney. Antagônico porque, na verdade, uma das principais influências do som do Black Keys é o próprio Dr John.

Funk, dançante e com um clima místico, "Locked Down" é uma delícia do início ao fim. Com uma sonoridade orgânica e vintage, o trabalho é um dos melhores da carreira do John. A presença de Dan Auerbach, um músico criativo e inquieto como o próprio Dr, foi fundamental para isso. Agindo como pai e filho, em uma relação em que o filho tem uma postura reverencial em relação pai, enquanto o progenitor dá ouvidos e aceita sem maiores discussões as sugestões de sua cria, a dupla acertou em cheio.

A abertura com a irresistível faixa-título já demonstra de saída que a coisa aqui é séria. A maneira chapada de cantar de Dr John, que foi viciado em heroína por décadas, enfeitiça ainda mais o trabalho. A inserção dos vocais femininos das irmãs McCrary é a cereja do bolo da canção. Usando e abusando de metais em todo o disco, Dr John e Dan Auerbach transportam o ouvinte até um inferninho centenário de New Orleans, escuro, esfumaçado e com cortesãs dispostas a tudo para levar seus clientes às nuvens. A malícia permeia todo o álbum, e algumas canções tem um clima sexual que beira o tangível, como é o caso de "Big Shot" e "Ice Age".

Estilisticamente, a música de "Locked Down" é uma amálgama de blues, soul, funk e jazz. Ou seja, segue a tradição do que de melhor já foi produzido em New Orleans, um dos maiores celeiros da música norte-americana. Com composições muito bem construídas, o disco demonstra não apenas que Dr John ainda tem muito o que mostrar do alto dos seus quase 72 anos - que completará no próximo 21 de novembro -, como atesta mais uma vez o talento de Dan Auerbach, que, com apenas 33 anos, já pede passagem a passos largos como um dos músicos mais criativos que o rock pariu nas últimas décadas.

Excelente, e ponto final!

Faixas:
Locked Down
Revolution
Big Shot
Ice Age
Getaway
Kingdom of Izzness
You Lie
Eleggua
My Children, My Angels
God's Sure Good

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dr John"

Traduções
Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismo

Restart
Trecho de "Enter Sandman" no VMB 2010

Ghost
Hambúrguer temático enfurece católicos de Chicago

Linkin Park: um exemplo mostra que é a banda mais foda do mundoLars Ulrich: O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"Tony Iommi: vendo um fantasma durante ensaio de 1973Ladybeard: barbudo wrestler que canta metal vestido de menininhaAlice in Chains: comentários sobre turnê de 1996 com o KissHard Rock - Aqueles que ficaram para trás - Parte 1

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online