Arandu Arakuaa: Metal com temática indígena brasileira

Resenha - Arandu Arakuaa - Arandu Arakuaa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Pelo menos para esse que vos escreve não é nenhuma novidade uma banda se enveredar a fazer Metal com temáticas indígena brasileira. Afinal, já pude conferir a banda Corubo, do Acre, que faz Black Metal se utilizando desses temas, além da 'falecida' Relva de Sangue que tinha os seus integrantes com pseudônimos indígenas.
Eleição nos EUA: as primeiras reações da comunidade musical à vitória de TrumpAC/DC: A origem do nome da banda

Mas, isso é muito bem vindo, pois tudo que preserva a cultura de nosso país é positivo. O Arandu Arakuaa surgiu em 2008 e resolveu também embarcar nessa. Formado por Nájila Cristina (vocal), Zândhio Aquino (vocal/guitarra/teclado), Saulo Lucena (baixo/vocal) e Adriano Ferreira (bateria) o grupo vai além das bandas citadas, pois canta na língua tupi antiga e possui uma aura típica de celebrações indígenas em sua música.

Quem pensa que a isso a banda alia um Metal melódico ou algo similar se engana, já que o Metal extremo traduzido em Black Metal é o que compõe a área que nos interessa. A faixa, Tupinambá, por exemplo, é densa e possui vocais guturais rasgados se alternando a vocais líricos femininos. A música caiu muito bem e pode ser um belo cartão de visitas.

Já Auê! demonstra um grande lado da música folclórica indígena. O único 'porém' fica por conta dos vocais de Nájila que, diferentemente da primeira composição, soam menos enérgicos e até sem feeling. Kunhãmuku~i apesar de curta, mostra uma interessante variação e Moxy Pe~e Supé Anhangá é a mais extrema de todas, com bons riffs e levada mais dinâmica.

A capa do trabalho é interessante e a produção sonora ficou no limite e está ok. Por fim podemos constatar que, apesar da ideia não ser completamente original, a banda conseguiu se superar na sonoridade que é bem ímpar. Basta saber explorar mais a temática e sonoridade para não cair na mesmice.

https://www.facebook.com/pages/Arandu-Arakuaa/30052793330689...
http://www.myspace.com/aranduarakuaa

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Arandu Arakuaa"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arandu Arakuaa"

Eleição nos EUA
As primeiras reações da comunidade musical à vitória de Trump

AC/DC
A origem do nome da banda

YouTube
Heavy Metal é tema de comercial de shampoo anti-caspa

Metallica: Lars Ulrich usando calcinha no Rock in Rio?Baladas do Metal: blog elege as mais bonitas de todos os temposEm 25/09/1980: John Bonham, do Led Zeppelin, morre após intoxicaçãoSepultura: Derrick Green agora é um músico profissionalCatra e os Templários: Se comparando a Coverdale e salvador do Rock'n'RollLoudwire: os 25 melhores álbuns de estreia do Metal

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online