Balance of Power: Abrindo o livro dos segredos para o mundo

Resenha - Book of Secrets - Balance of Power

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Correa
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
BALANCE OF POWER é uma banda de Power/Progressive Metal formada em 1995 pelo tecladista Ivan Gunn, junto com um grupo de roqueiros londrinos. Eram eles: Lionel Hicks (bateria), Chris Dale (baixo), Tony Ritchie (voz) e os guitarristas Bill Yates e Paul Curtis. Após o seu debut "When the World Falls Down" Tony Ritchie foi substituído por Lance King, que daria continuidade ao sucesso da banda.
Nine Inch Nails: a face oculta de uma lendaMetalcore: nove razões para você adorar o estilo

Em 1998, lançaram seu segundo álbum, intitulado "Book of Secrets", que alavancou e deu notoriedade à banda, principalmente na Europa e Japão. Esse petardo conta, também, com a participação de um novo guitarrista, Pete Southern, que era amigo de infância de Hicks e Ritchie.

Book of Secrets abre de forma magistral com "Desert of Lost Souls", que começa com teclado e violão fazendo um fundo bem soturno para em seguida a voz enigmática de Rob Brown começar a recitar um pequeno texto sobre um mundo sem ordem e/ou respeito pela vida. Esta é uma pequena introdução para "Walking on Top of the World", que começa com um riff de guitarra bem denso e pesado, onde mais a frente é acompanhado por um teclado matador e uma bateria avassaladora, que preparam a entrada do vocal perfeito de King. Este mesmo, demonstra a que veio na música seguinte "Book of Secrets", que também começa com um texto recitado pela mesma voz enigmática de Brown, da primeira faixa, e que se repetirá em vários momentos do disco, mas agora, falando sobre o "Livro dos Segredos", em seguida, uma base de guitarra, bateria e baixo fazem cama para um teclado bem agressivo e após alguns compassos todos se juntam em uma convenção que culmina em um grito esplendido de King, que só termina momentos antes de começar os primeiros versos da canção. Na minha singela opinião, esta é a melhor música do álbum, só um detalhe, não a escutem dirigindo, pois correrão o risco de serão arrastados pela música e pisar firme no acelerador.

Após a acelerada "Book of Secrets", vem "When Heven Call Your Name" onde "a voz" fala sobre um futuro sem luto, dor ou clamor. A música começa bem densa e épica, onde o violão muito me lembrou as baladas do BLIND GUARDIAN, mas isso logo acaba com um conjunto poderosíssimo de riffs e pegada de todos os instrumentos que culminam com a entrada da voz de Lance. Destaque para o refrão que é bem agressivo e empolgante. A música ainda conta com um belíssimo solo de violão que é emendado com um brutal solo de guitarra. "It's Not Over (Until It's Over)" dá uma cadenciada ao andamento do CD. Ela conta com uma estrutura muito legal e interessante de teclados e guitarras. Destaque para os back'n vocals.

A seguir, temos a belíssima balada "Do You Dream of Angel", que após tanta porrada, nos faz relaxar um pouco. Voltando às porradas e "à voz", temos "Seven Days into Nevermore", que começa com um teclado bem PowerMetal e tem uma levada bem pesada e que fará com que qualquer headbanger fique com o pescoço dolorido. Perto do final do petardo temos "Miracles and Dreams", que começa apenas com teclado e a voz de King, a primeira impressão é que vem mais uma balada, o que termina logo aos primeiros riffs cortantes da guitarra. Essa música tem uma pegada bem ProgMetal, o que pode impolgar muitos fãs dessa vertente.

Para selar "Book of Secrets" temos "Stranger Days (To Come)", já com uma veia bem ProgMetal, sem deixar de lado os clichês Power, essa música fecha o disco com chave de ouro e deixa qualquer "True" preconceituoso de queixo caído.

Sem dúvida nenhuma este disco merece a atenção de todos, pois foi muito bem produzido e com composições em um nível altíssimo.

Site Oficial:

http://www.balance-of-power.com/

Ficha Técnica:
1 – Desert of Lost Souls – 00:53
2 – Walking on Top of the World – 07:04
3 – Book of Secrets – 07:42
4 – When Heaven Calls Your Name – 06:20
5 – It's Not Over (Until It's Over) – 05:02
6 – Do You Dream of Angels – 05:46
7 – Seven Days into Nevermore – 06:49
8 – Miracles and Dreams – 08:02
9 – Stranger Days (To Come) – 05:40

Balance of Power é:

Lionel Hicks – Bateria
Bill Yates – Guitarra
Pete Southern – Guitarra
Ivan Gunn – Teclados
Lance King – Vocal
Chris Dale – Baixo

Rob Brown - Narração

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Book of Secrets - Balance of Power

Resenha - Book of Secrets - Balance of Power

Todas as matérias e notícias sobre "Balance Of Power"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Balance Of Power"

Nine Inch Nails
Trent Reznor: a face oculta de uma lenda do rock

Metalcore
Nove razões para você adorar o estilo

Lars Ulrich
A diferença entre o Purple, o Led e o Sabbath

Metallica: banda explica volume do baixo no And Justice For AllSlayer: quando Cronos deixou Tom Araya de olho roxoGuns N' Roses: tudo parece muito surreal para SlashDr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDream Theater: "Foi embora de vez, para sempre", diz Mangini sobre PortnoyMax Cavalera: "até hoje não gosto de tomar banho"

Sobre Marcos Correa

Nascido em São Luis e vindo de uma família completamente musical, desde cedo tive interesse pela música e por instrumento, mais especificamente pelo Contra-Baixo, e pelo Rock'n Roll, que me foi apresentado por uma radiola velha dos meus avós, onde meus tios escutavam os mestres como Rolling Stones, Beatles, Pink Floyd e Led Zeppelin. Hoje programador, letrólogo, músico e adicionado ao rol de editores do Whiplash.Net.

Mais matérias de Marcos Correa no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online