Blasfemador: Metal com qualidade cantado em português

Resenha - Meia noite levarei tua alma - Blasfemador

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Uilliam Rieffel
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O Blasfemador, formado em Fortaleza no Ceará, lançou seu primeiro álbum em 2010, um ano após começar seus trabalhos. A banda que já havia lançado o EP "Ataque do metal maníaco" em 2009, nos mostra em "A meia noite levarei tua alma" seu speed metal forte, cheio de riffs rápidos e vocais rasgados. Trazendo composições em português, o Blasfemador é outro grupo prova que é possível fazer metal de qualidade cantando em seu idioma próprio.
Robert Plant: desdenhando Liam Gallagher, do OasisMetallica: no futuro, St. Anger será como o Born Again?

A banda cearense de speed metal é formada por Fabrício Estripador, Rafael Dilacerador, Rodrigo Esquizofrênico e Leandro Carrasco. E o resultado dessa junção deu origem a um ótimo disco de metal, que mostra um pouco da força e a qualidade da cena nordestina.

O álbum inicia com uma passagem clássica da introdução do filme homônimo, "A Meia noite Levarei sua alma", dirigido e escrito por José Mojica Marins, o Zé do Caixão em 1963. Logo a seguir, o play segue com "Alienação", e três grandes momentos na sequência de "O Estripador", "Speed Metal Atack" e "Destruição total".

Em "A meia noite levarei tua alma", o Blasfemador trabalha, além de temas como satanismo e assassinatos, com letras feitas a partir de histórias de terror, como a já citada introdução do disco, "Holocausto Canibal" e uma outra homenagem ao Zé do Caixão, e melhor música do disco: "Esta Noite Encarnarei no teu cadáver".

Os destaques ficam por conta das influências de black e thrash metal presentes no vocal de linhas sempre agressivas, cantado em português, que despeja ódio sobre o ouvinte faixa por faixa, e os riffs rápidos e nervosos de guitarra, respectivamente. Tudo isso com a banda soando old school, revisitando o passado e a década de oitenta na sonoridade e nos timbres dos instrumentos dos músicos.

Todas as faixas pregam a agressividade e a velocidade, mas o disco não se torna repetitivo nem cansativo, devido, além da qualidade das faixas, a sua curta duração. O Blasfemador faz valer cada segundo do pouco menos de meia hora de duração de seu primeiro trabalho. É um álbum que vai direto ao ponto, sem firula ou enrolação. Agora resta aguardar por um novo lançamento, e torcer para que siga progredindo dentro dessa proposta de "A meia noite levarei sua alma".

Tracklist:

1. A meia noite levarei tua alma
2. Alienação
3. O estripador
4. Speed metal atack
5. Destruição total
6. O ataque
7. Tragam-me a cabeça do rei
8. Holocausto canibal
9. Correntes do mal
10. Esta noite encarnarei no teu cadáver

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Charles Manson
Casamento era plano para expor seu cadáver

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Blasfemador"

Robert Plant
Desdenhando Liam Gallagher, do Oasis

Metallica
Lars Ulrich: "St. Anger será o nosso Born Again!"

As novas caras do metal
Mais 40 bandas que você deve conhecer

Sarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito maisIndústria musical: sete coisas que um músico não quer ouvirFoo Fighters: Taylor Hawkins na noite paulistanaSeparados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker SpanielPattie Boyd: a linda garota que inspirou vários clássicos do rockMamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?

Sobre Uilliam Rieffel

Gaúcho de São Gabriel – RS, 22 anos, Gestor Ambiental graduado na Universidade Federal do Pampa. Teve como porta de entrada para a música, as quatro primeiras faixas do Adios Amigos gravadas no espaço que ficaria em branco no lado B do k7 do Mamonas Assassinas. Colecionador de discos, com gosto musical que vai do Thrash Metal ao AOR, passando por outras vertentes do metal, até o Blues e um pouco de rock nacional e gaúcho. Tenta estar sempre atento às notícias de seus artistas favoritos e no cenário nacional de rock e heavy metal.

Mais matérias de Uilliam Rieffel no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online