Encéfalo: Evitando a esterilidade de uma simples fórmula

Resenha - Slave Of Pain - Encéfalo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Foram necessários 10 anos de dedicação e planejamento das finanças para que o Encéfalo conseguisse marcar sua estreia em disco. E, desde que o público teve acesso às potencialidades da demo “Destruction” (08), muitos esperavam por um trabalho profissional por parte destes cearenses, que agora se materializa de forma independente sob o título “Slave Of Pain”.
Belphegor: numa cerimônia dedicada ao mal pode dar tudo certo?Arquivos em MP3: quem os ouve, não ouve o que foi feito em estúdio

E “Slave Of Pain” comprova o que já era perceptível na demo de 2008: o Encéfalo consegue trabalhar com muitos elementos do Thrash, mesclando com o Death e muitas melodias do Metal Tradicional, mas evitando a esterilidade de uma simples fórmula. É claro que a agressão oitentista pura e simples existe, mas o fio condutor de tudo por aqui é o velho e infalível sentimento, o que naturalmente faz uma enorme diferença em qualquer campo artístico.

Algumas comparações com nomes clássicos do gênero surgem em várias ocasiões – o que é perfeitamente compreensível – mas é inegável que o Encéfalo tenha plena consciência e domínio ao estruturar seus arranjos, sabendo valorizar a transição entre a velocidade e passagens cadenciadas de forma que os 50 minutos de audição não soem como um mero tributo glorificado aos mestres. E canções como “All The Hate In My Soul”, “Reactions”, “Despair” e “Destruction” são verdadeiros pedaços de concreto que bem exemplificam este fato.

Produzido nos estúdios 746 e VTM (ambos em Fortaleza/CE), editado, mixado e masterizado por Moisés Veloso (MV Estúdio), o Encéfalo passou por cima das dificuldades inerentes a um trabalho independente e procurou fazer as coisas com os devidos cuidados (mas faltam muitas informações pertinentes no encarte!), tanto que “Slave Of Pain” resultou em um debut muito bem sucedido, violentamente anticomercial e underground. Uma bela maneira de iniciar uma discografia!

Contato:
http://www.myspace.com/bandaencefalo

Formação:
Álex Maramaldo - voz e guitarra
Laílton Souza - guitarra
Augusto Filho - baixo
Rodrigo Falconieri - bateria

Encéfalo – Slave Of Pain
(2012 / independente – nacional)

01. Intro
02. All The Hate In My Soul
03. Emptiness Brain
04. Reactions
05. Despair
06. Nightmare
07. Destrocter
08. My Own Way
09. Destruction
10. The Last Gate
11. Slave Of Pain

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Slave Of Pain - Encéfalo

Encéfalo: trabalho pode ser considerado "poderoso"Encéfalo: Metal tradicional, mas visceral e de qualidadeEncéfalo: Metal nordestino continua ecoando com toda força.

Belphegor
Numa cerimônia dedicada ao mal pode dar tudo certo? Pode.

Belphegor: abertura em Fortaleza será da EncéfaloTodas as matérias e notícias sobre "Encéfalo"

Melhores de 2012
As escolhas do redator Leonardo Daniel Tavares

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Encéfalo"

Arquivos em MP3
Quem ouve, não ouve o que foi feito em estúdio

Iron Maiden
Bruce Dickinson continua andando de metrô

Slash
"Nunca fui o que você chamaria de guitarrista técnico!"

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"Justin Bieber: "Baby" em versões Hard, Metal e ExtremoNirvana: Jason Everman, que quase ficou famoso duas vezesGhost Metal: filho de Nicolas Cage explica conceito do estiloRicardo Seelig - a coleção do criador da Collector's Room

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online