Coldworker: Death influenciado por Entombed e Dismember

Resenha - Doomsayer's Call - Coldworker

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini, Fonte: Blog Arte Metal
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Relativamente nova, a banda Coldworker surgiu em 2006 e este é o seu terceiro trabalho full-length e quinto no total (a banda também gravou dois splits). Apesar da curta carreira, a banda conta em sua formação com experientes nomes tais como Joel Fornbrant (vocal, ex-Phobos), Anders Jakobson (bateria, ex-Nasum), Daniel Schröder e Anders Bertilsson (guitarras) e Oskar Palsson (baixo, Relentless).
Autismo: rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismoRafael Bittencourt: Com o Aquiles eu não mantenho mais contato e nem tenho vontade

Pouco conhecido por aqui, o grupo sueco mostra em seu som um Death Metal influenciado pelos ícones compatriotas Entombed e Dismember, além de unir a isso influências do Death Metal da Flórida, ou seja, uma junção perfeita! Tudo isso produzido por, nada mais nada menos, que Dan Swanö (Opeth, Evoke).

O som praticado pelo grupo foge de inovações e não trará nada de novidade ao Metal extremo (como se precisássemos disso), mas agradará e muito o verdadeiro fã do Metal da morte. O tradicionalismo fala mais alto aqui, e com a bela produção sonora e compatível com o estilo proposto o negócio flui de maneira prazerosa.

O primeiro destaque fica para a veloz e brutal The Reprobate. A faixa é aquele típico soco na cara, com tudo veloz, vocais, riffs e cozinha. Flesh World consolará os fãs de Morbid Angel que se decepcionaram com o último trabalho dos caras. O som segue a mesma linha que os mestres americanos, com riffs intricados e ferozes, além de blast beats de dar gosto, tudo com aquela quebrada manjada, mas sempre interessante.

The Wall Of Eryx mostra o lado mais técnico da banda. O som é cadenciado durante toda a composição e, apesar disso, não soa nada ‘light’. São belos e trabalhados riffs aliados a uma cozinha competentíssima e um show de interpretação de Fornbrant. Unindo o útil ao agradável, ou seja, a técnica com a selvageria, Becoming The Stench fecha a lista de destaque, que é até injusta, pois são 13 composições de alto nível.

O curioso é que quando recebi este trabalho da Shinigami Records e bati o olho na capa logo imaginei se tratar de uma banda de Death Metal melódico ou Prog Metal, ou seja, apesar de interessante, a arte feita por Pär Olofsson foge um pouco dos padrões do Death Metal tradicional. Aprovado!
http://www.coldworker.com/

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Doomsayer's Call - Coldworker

Coldworker: Mais uma boa banda buscando seu espaçoColdworker: Death Metal/Grindcore brutal e arregaçadorColdworker: Dinamismo sem conspurcar o Metal extremo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cold Worker"

Autismo
Rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismo

Rafael Bittencourt
Com o Aquiles eu não mantenho mais contato

Motorhead
Phil Campbell explica porque não foi ao funeral de Lemmy

O Som do LP de vinil é superior?: Sabe de nada, inocente!Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesMetallica: prejudicando as finanças da Igreja UniversalAC/DC: Zakk Wylde fala sobre o que acha da parceria com AxlBlaze Bayley: "é melhor ser ex do Iron que do A-HA"Game of Thrones: a inspiração do Blind Guardian e Hammerfall

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online