WHIPLASH.NET - Rock e Heavy MetalWHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal

FacebookTwitterGoogle+RSSYouTubeInstagramApp IOSApp Android
MenuBuscaReload

Aborted: Quinze anos lapidando seu som

Resenha - Global Flatline - Aborted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Em mais de 15 anos de carreira a banda belga Aborted tem lapidado seu som de forma extraordinária e consciente. Iniciando sua discografia com álbuns que cultivavam mais a linha Gore/Death e depois passando a discos mais trabalhados e melódicos, a banda chega ao seu ápice em “Global Flatline”, onde une todos os elementos possíveis do Death Metal que praticou neste tempo.
Kreator/Sepultura, Part Soilwor/Aborted: show na terra da rainha

O novo trabalho, lançado pela Shinigami Records, demonstra uma técnica apurada que sempre fez parte dos traços do grupo, mas sem dúvidas esse é o auge. As guitarras, a cargo de Eran Segal e Michael Wilson, despejam riffs sensacionais e variados com nuances que flertam com o Grindcore e até com Death Metal sueco, passando por influências do ‘old school’ e solos bem elaborados.

A cozinha contém uma linha de baixo extremamente eficiente e com uma bateria extremamente insana, onde Ken Bedene abusa dos blast beats e mantém uma quebrada brutal aliada ao já citado baixo a cargo de JB Van Der Wal.

Os vocais do mentor Sven De Calue (confira entrevista feita com Sven em vídeo pelo blog som extremo durante a passagem da banda pelo Brasil aqui) estão mais técnicos e com uma variação impressionante de timbres, que vão do rasgado ao gutural sem soar forçado e com vários backings bem encaixados.

Quanto aos destaques do disco é realmente muito difícil citar apenas algumas faixas, já que o trabalho mantém um pique impressionante durante todo o trabalho. Mas para mostrar a variação que a banda demonstra dentro do Death Metal, Of Scabs And Boils possui grande influência do Death Metal sueco, com uma melodia nada exagerada, e Expurgation Euphoria já parte para o lado mais ‘old school’ com linhas de guitarras bem Morbid Angel e uma cadência típica do estilo.

O disco, além de grandes qualidades, foi produzido por Jacob Hansen no Hansen Studios e conta com várias participações especiais como de Trevor Strnad (The Black Dahlia Murder) em Vermicular, Obscene, Obese, Keiijo Niinima ( Rotten Sound) em Our Father, Who Art Of Feces, Julien Truchan (Benighted) em The Origin Of Decease e Jason Netherton (Misery Index) em Grime.

Para contentar a nação gore, as ilustrações da capa e do encarte são extremamente fincadas no estilo, com belos desenhos canibalescos que retratam bem os temas propostos pela banda. Corra atrás do seu!

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Global Flatline - Aborted

Aborted: Death Metal com alguma dose de melodiaAborted: Absurdamente violentos e inegavelmente no augeAborted: Global Flatline é o apocalipse feito música

Kreator/Sepultura, Part Soilwor/Aborted: show na terra da rainhaPegadas de Andreas Kisser: Ouça entrevista com belgas do Aborted

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Aborted"




Joe Satriani: por que ele não entrou no Deep Purple?Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1991

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online