DarkTower: Misturando estilos e criando harmonia em single

Resenha - Retaliation - DarkTower

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Plínio Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Quando eu habitava as terras da MACEDÔNIA, carregando sacos de areia e cimento, vergalhões e pedras graúdas sob sol escaldante em planícies áridas, mestre Xangai Chen Hao, senhor das montanhas, recitou palavras inesquecíveis: "Meu Filho, boca que bebe e come de tudo, nunca passarás fome".
Galeria - Tatuagens em homenagem ao Iron Maiden (I)Limp Bizkit: Os visuais mais bizarros do guitarrista Wes Borland

E é exatamente disto que eu estou falando: DarkTower é uma banda que come e bebe de diversas fontes. No entanto, não basta juntar tudo e fazer uma colcha de retalho: tem que saber misturar estilos e criar harmonia com VIGOR, assim como DarkTower o faz.

ENFIM, o single "Retaliation" conta com apenas, - porém ricas - duas canções: "Retaliation" e "Blood Down The River". A primeira canção, faixa título do single, começa em ímpeto, mantendo estrutura cadenciada entrelaçada a porradeiro, e andamento viciante. Em 1:17 recaindo em um andamento viscoso e comovente. O vocal por hora lembra Angela Gossow do Arch Enemy, entrelaçado a outro vocal que nos remete ao Peter do Vader.

"Blood Down The River" começa pausada, e logo executada de forma mais devastadora, de fato, como sangue jorrando a longos despenhadeiros e tornando a água dos rios ferozes avermelhadas. A bateria reta e as palhetadas constantes são interrompidas em 0:35, para um andamento cadenciado e melódico. A canção ganha um FORMIDÁVEL vocal limpo ao final, permitindo um melhor escoamento para o término da música e para o sangue que escorre abaixo ao rio.

O DarkTower executa canções edificantes e provocadoras, e grande destaque para o polimento técnico entrelaçado à melodia, que nos diz entrelinhas que os caras tem trabalhado duro para fazer um trabalho de respeito.

Escala de Notas:

Nota 666 - Você jamais chegará aqui
Nota 10 - Deus do Metal
Nota 9,0 - Satã esta feliz por você
Nota 8,0 - Promissor
Nota 7,0 - Excelente
Nota 6,0 - Bom
Nota 5,0 - Entre "bom" e "precisa melhorar"
Nota 4,0 - Desce quadrado
Nota 3,0 - Você não conseguirá sua passagem para o INFERNO tocando deste jeito
Nota 2,0 - Lastimável
Nota 1,0 - HARMONIA do Samba
Nota Zero - Acidente Vascular Cerebral

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Retaliation - DarkTower

DarkTower: Apesar da evolução, essências firmes e fortes

Todas as matérias e notícias sobre "Dark Tower"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Tower"

Tatuagens
Homenagens à banda Iron Maiden na pele dos fãs

Limp Bizkit
Os visuais mais bizarros do guitarrista Wes Borland

Alex Skolnick
"Dave Mustaine veio me pedir dicas de guitarra!"

Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposImmortal: fotos de Horgh se divertindo no BrasilPara Músicos: como tirar músicas de ouvido?Dj Ashba: guitarrista fala sobre guitarristas preferidosSepultura: a história por trás do álbum "Beneath The Remains"SketchShe: Uma versão de "Bohemian Rhapsody" com humor e peitos

Sobre Plínio Alves

Plínio Alves, formado em Administração de Empresas, blogueiro nas horas vagas. O primeiro contato com o Heavy Metal se oficializou aos 11 anos de idade com um um CD do Nirvana, "Nevermind". Depois deste marco, a paixão pela música pesada se desencadeou de forma bem natural e prazerosa. Dois anos depois, estarrecido com o som pesado e provocador de bandas de Death e Black Metal, se tornou um fã de carteirinha do estilo. Embora seja fã de estilos específicos, declara ter afinidade com qualquer rótulo musical dentro do Heavy Metal, sem preconceito algum. Duas bandas que resumem sua vida: Alice in Chains e Deicide. Os demais textos do autor podem ser vistos no blog Polêmico Rock.

Mais matérias de Plínio Alves no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online