Children Of Bodom: Distante da sofisticação sombria inicial

Resenha - Relentless Reckless Forever - Children Of Bodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Ainda que os detratores insistam no contrário, algo interessante no Children Of Bodom foi o fato de este não se acomodar artisticamente, remodelando e atualizando sua proposta em detrimento dos elementos neoclássicos que causaram forte impressão positiva no início de sua carreira. Se por um lado essa linha de atuação fez com que fossem considerados como uma piada poser pelos (ex) fãs mais radicais, por outro, sua base de admiradores foi renovada e ampliada pelos quatro pontos cardeais do planeta.
2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentadosDonald Trump: "famosa banda de rock" pediu mais de US$1 milhão

“Relentless Reckless Forever” é o sétimo álbum de estúdio do Children Of Bodom, que agora está ganhando sua versão brasileira através do tradicional selo Hellion Records. Este novo trabalho apresenta a mesma tendência em flertar com alguns arranjos que remetam aos velhos tempos, tal como feito em “Blooddrunk” (08), mas, que fique claro, tudo ainda permanece muito distante da sofisticação sombria de seus três primeiros discos.

Ou seja, cada vez mais os finlandeses estabelecem os limites de sua música, que nada mais é do que um amálgama dos mais variados subgêneros pelos quais o Heavy Metal se expandiu ao longo das décadas. Guitarras que exploram riffs técnicos e bem sacados, melodias e grooves eficientes, interação com os teclados de extremo bom gosto em várias canções, além de o próprio Alexi Laiho estar mais refinado (para seus próprios padrões, naturalmente) e até mesmo cantando de forma mais compreensível.

Neste sentido, insistir em categorizar o Children Of Bodom como sendo simplesmente Death Melódico pode vir a ser uma atitude leviana... Pela linearidade do repertório há vários destaques como “Shovel Knockout” (grandes guitarras!), “Roundtrip To Hell And Back”, "Ugly" e “Cry Of The Nihilist”, ambas com Janne Warman em seus melhores momentos atrás do teclado, além, é claro, da simplicidade grudenta do single “Was It Worth It?”.

O Children Of Bodom comprova que possui personalidade e convicção muito maiores do que a maioria dos ‘medalhões’ assombrados por fórmulas desgastadas e que continuam sobrevivendo através de dispendiosas campanhas publicitárias. Se o leitor apreciou “Are You Dead Yet?” (05) e o já citado “Blooddrunk”, pode conferir esse novo álbum sem medo, pois segue no mesmo nível de qualidade. É amar ou odiar...

Como curiosidade, vale citar que “Relentless Reckless Forever” é o primeiro álbum da banda que não possui uma canção com a palavra ‘Bodom’ em seu título...!

Contato:
http://www.cobhc.com
http://www.myspace.com/childrenofbodom

Formação:
Alexi ‘Wildchild’ Laiho - voz e guitarra
Roope Latvala - guitarra
Janne Warman - teclados
Henkka T. Blacksmith - baixo
Jaska W. Raatikainen - bateria

Children Of Bodom - Relentless Reckless
(2011 - Spinefarm Records / Hellion Records – nacional)

01. Not My Funeral
02. Shovel Knockout
03. Roundtrip To Hell And Back
04. Pussyfoot Miss Suicide
05. Relentless Reckless Forever
06. Ugly
07. Cry Of The Nihilist
08. Was It Worth It?
09. Northpole Throwdown

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Relentless Reckless Forever - Children Of Bodom

Children Of Bodom: Mais peso com menos velocidadeChildren of Bodom: Novo álbum entre os mais consistentes

2000 a 2002
10 shows/turnês pouco comentados

Todas as matérias e notícias sobre "Children Of Bodom"

Mascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

Metal
Você acredita na "lenda do terceiro álbum"? - Parte 2

Lado feminino
Astros do rock que se vestiram de mulher

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Children Of Bodom"

Donald Trump
"Famosa banda de rock" pediu mais de US$1 milhão

Hangar
Pesada troca de críticas entre Aquiles Priester e ex-vocalistas

Enjaulados
Os crimes mais chocantes da história do rock

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"Justin Bieber: "Baby" em versões Hard, Metal e ExtremoSergiy Putyatov: o guitarrista mais rápido do mundo?Megadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeoRamones: os números dos 2.263 shows da banda

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online