Comatose Vigil: Arrastado, depressivo e suicida

Resenha - Fuimus, non sumus... - Comatose Vigil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rodrigo Mendes Bueno
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O alarme não desperta, o café te dá azia, o chuveiro não esquenta, quase batem em seu carro quando espera que alguém espere você fazer a baliza, chega suado e atrasado ao trabalho e metade da sessão está gripada e preferem não ligar o ar condicionado mesmo lá fora fazendo 23 graus às 9 da manhã? E a primeira coisa que lhe vem a cabeça é: tá tudo uma merda. E você pensa, será que ainda pode piorar??
Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposImmortal: fotos de Horgh se divertindo no Brasil

Se você colocar esse play do Comatose Vigil pra rolar em seu aparelho você terá a sensação de que sim. São apenas 3 faixas totalizando 1h15min e temos um verdadeiro funeral doom em estado de decomposição avançado, ou seja, arrastado, melancólico, fétido, suicida e cadavérico.

Fuimus, non Sumus é a faixa de abertura e vem com suas melodias fúnebres, guitarras distorcidas, uma bateria ultra lenta e um vocal gutural cavernoso, a medida que a faixa avança você sente como se um trem em câmera lenta estivesse passando vagarosamente sobre seu corpo, esmagando cada osso e quebrando cada vértebra.

A seguinte, Autophobia, é a faixa mais curta, em seus pouco mais de 23 minutos, encontramos melodias de teclado, quebradas de andamento muito bem focadas/tocadas e uns vocais falados que em meio a quietude que você se encontre, acabará se questionando se está ouvindo vozes.

The Day Heaven Wept vem para encerrar e entregar a carcaça agonizante aos abutres, e apesar de seu nome em inglês, ela é cantada em sua totalidade em russo, o que da um certo charme para a música. O trampo de guitarra é bem elaborado e acaba lembrando o My Dying Bride em seu primeiro trabalho.

Esse álbum do Comatose Vigil é tão miserável que fará você se sentir um verdadeiro trapo após terminar sua audição. E aí, quer tentar a sorte??

Comatose Vigil – Fuimus, non Sumus (Solitude Prod)
1. Fuimus, non Sumus
2. Autophobia
3. The Day Heaven Wept

Contatos:
http://www.solitude-prod.com
https://www.facebook.com/COMATOSE.VIGIL

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Comatose Vigil"

Ultimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos

Humor
As primeira fotos de Horgh, do Immortal, no Brasil

Para Músicos
Como tirar músicas de ouvido?

Viva a diferença: como cada músico arranja sexoBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaSlipknot: causando medo no cantor Latino durante o Rock In RioSlayer: Kerry King arrebenta mostrando os riffs da banda em vídeoGilby Clarke: Axl Rose nem falava diretamente comigoAndreas Kisser: "Pirataria é o efeito colateral do monopólio!"

Sobre Rodrigo Mendes Bueno

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online