David Feinstein: "I am metal, and I never die", canta Dio

Resenha - Bitten by the Beast - David "Rock" Feinstein

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Você precisa ouvir esse disco, e a razão é simples: ele traz uma das últimas gravações de Ronnie James Dio, em uma música que soa como um legado de toda a sua carreira.
Black Sabbath: em vídeo, Ozzy Osbourne vs. Ronnie James DioIron Maiden: o verdadeiro poder da música da donzela

Mas antes, deixa eu contar um pouco de história. O guitarrista e vocalista David 'Rock' Feinstein é primo de Dio e foi seu companheiro no Elf. Os dois seguiram caminhos distintos quando Ronnie ingressou no Rainbow de Ritchie Blackmore, em 1975. Enquanto o vocalista gravava álbuns que serviriam de base para o heavy metal das décadas seguintes, David montou o trio The Rods em 1980, cujo terceiro disco, "Wild Dogs", é sem dúvida um clássico do metal obscuro oitentista.

Após vagar por várias bandas, David Feinstein lançou em 2010 "Bitten by the Beast", sua estreia como artista solo. Compositor de mão cheia, Feinstein concebeu um álbum que é um deleite para quem curte o lado mais tradicional do heavy metal. "Bitten by the Beast" traz nove faixas que tem como elemento principal os riffs da guitarra de Feinstein e uma sonoridade que nos leva de volta ao tempo em que o metal e o hard rock eram muito próximos. As composições são cruas e diretas, sem espaços para arranjos grandiosos e épicos. Ouvir o álbum é uma experiência empolgante e extremamente gratificante!

“Smoke on the Horizon” abre o disco com o pé direito, despejando um ótimo riff e um grande refrão sobre o ouvinte. “Evil in Me” poderia estar em um álbum lançado pelo Judas Priest nos anos 80, e suas linhas vocais trazem à mente a mais do que clássica “Electric Eye”. “Rocks Boogie” soa como um ZZ Top mais pesado, enquanto “Gambler Gambler”, regravação da faixa que fecha o primeiro álbum do Elf, de 1972, é outro grande momento.

Mas o principal destaque de "Bitten by the Beast", como não poderia deixar de ser, é “Metal Will Never Die”. Uma das últimas gravações de Ronnie James Dio, “Metal Will Never Die” é uma composição excelente, que fica ainda mais emocionante por deixar transparecer as pequenas falhas da já debilitada voz de Dio. O trecho da letra que diz “I am metal, and I never die” levará os fãs mais apaixonados às lágrimas. Um clássico instantâneo!

Outro ponto alto é a capa do álbum, que fica ainda mais bonita na embalagem digipak lançada no Brasil pela Hellion Records.

"Bitten by the Beast" é um disco excelente, e com duas grandes qualidades: a primeira, é claro, vem carregada de emoção e atende pelo nome de “Metal Will Never Die”, uma faixa já é uma gravação histórica. E a segunda é o fato de a participação de Dio servir de chamariz para o trabalho de David Feinstein, um grande compositor e músico com diversos serviços prestados ao metal, que prova aqui mais uma vez o seu talento.

Como já disse lá em cima: você tem que ter esse disco!

Faixas:
1 Smoke on the Horizon 4:49
2 Evil in Me 6:44
3 Break Down the Walls 4:27
4 Metal Will Never Die (feat. Ronnie James Dio) 5:20
5 Kill the Demon 5:42
6 Rocks Boogie 4:04
7 Give Me Mercy 4:04
8 Run for Your Life 5:13
9 Gambler Gambler 4:05

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Black Sabbath: em vídeo, Ozzy Osbourne vs. Ronnie James DioBlend Guitar: em vídeo, as dez maiores bandas de Heavy MetalRock e Metal: em vídeo, as 10 despedidas mais épicas da históriaTodas as matérias e notícias sobre "Dio"

Dio
Aparição sobrenatural em show?

Ronnie James Dio
Os álbuns com o vocalista, do pior para o melhor

Nerd Metal
Os 5 Maiores Frontmen do Heavy Metal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "David Feinstein"Todas as matérias sobre "Dio"Todas as matérias sobre "Rods"

Iron Maiden
Nicko explica o verdadeiro poder da música da donzela

Metallica
O insistente uso do "Yeah!" por James Hetfield

Metallica
Hetfield: "Fico deprimido quando não pego a guitarra!"

Angra: banda errou na escolha de Fabio Lione?Mustaine: "eu nem te daria um tapa, porque merda esparrama"Metallica: a regressão técnica de Lars UlrichCorey Taylor: "Scott Weiland é um preguiçoso de merda"Sebastian Bach: "Guns é maior que o Rock"Ghost: seriam eles na verdade o Molejo disfarçado?

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online