Astafix: Honesto, sincero e definitivamente acima da média

Resenha - End Ever - Astafix

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Fábio Cavalcanti
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Formada entre meados de 2008 e 2009 (confesso que não sei ao certo), a banda de thrash metal Astafix logo chamou a atenção dos metaleiros, especialmente por trazer em seu 'line up' o vocalista/guitarrista Wally, conhecido por ter sido guitarrista da banda de 'proto-emocore tupiniquim' (discorde à vontade do rótulo, se assim preferir) CPM 22.
A História do Baixo ElétricoGaleria - Fotos ousadas da sensual vocalista do WitchcrafT

Em 2009, a banda lançou "End Ever", seu primeiro registro de estúdio. O som puxa a vertente mais cadenciada e recheada de grooves do thrash metal, sem se contentar em ser apenas uma cópia de bandas como Pantera ou mesmo do inevitável Sepultura. Já os temas das músicas parecem sugar mais da fonte do metal industrial, o que também é bastante curioso.

Sim, temos faixas bastante voltadas ao thrash/groove metal 'old school', um gênero que, ironicamente, domina a primeira parte do disco. São elas: "Red Streets", "Cipher", "False Eyes", "Dead Forever", "Drown Your World" e "End Ever". Simplesmente uma porrada atrás da outra, com aquelas tradicionais variações rítmicas do gênero.

Algo de alternativo permeia em faixas como a melodiosa "The 13th Knot", e em três exemplares macabros de doom metal: "Black Blood Blight", "Seven" e "Desert Eyes". Já a ótima "The Havoc Clutch" traz uma inusitada - e aparentemente espontânea - influência de stoner metal. Como ponto negativo, temos apenas "Desordem e Retrocesso", um hardcore sem graça e mal produzido que destoa do álbum em todos os sentidos imagináveis...

Apesar das pouquíssimas imperfeições citadas, Wally conseguiu mostrar, através do seu Astafix, o seu considerável domínio sobre o thrash metal, o que faz de "End Ever" um trabalho honesto, sincero e definitivamente acima da média. Aguardemos agora por novos trabalhos deste promissor quarteto.

Músicas:
1. Red Streets
2. Cipher
3. False Eyes
4. Dead Forever
5. Drown Your World
6. The 13th Knot
7. End Ever
8. Seven
9. The Havoc Clutch
10. Black Blood Blight
11. Desordem e Retrocesso
12. Desert Eyes

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de End Ever - Astafix

Astafix: Thrash Metal bastante contemporâneo e pesadoAstafix: Sonoridade focada no Thrash Metal modernoAstafix: A nova banda de Wally em nada lembra o CPM22Astafix: Thrash capaz de surpreender o mais cético fãAstafix: ex-CPM 22 em linha musical muito mais interessante

Todas as matérias e notícias sobre "Astafix"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Astafix"

Baixo elétrico
Leo Fender deu ao instrumento um status inédito

WitchcrafT
Mais fotos ousadas da vocalista Liudmila Angel

Collectors Room
A clássica coleção de Bento Araujo, editor do Poeira Zine

Tenacious D: faturando o Grammy com cover de Ronnie James DioRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 90Guitarpedia: os 5 erros mais comuns do guitarristaObituário: todas as mortes do Rock e Metal em 2016Google: "não nos culpem pela pirataria"AC/DC: quem Dave Mustaine gostaria de ver no vocal?

Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online