Les Discrets: A natureza, o amor e o medo da morte

Resenha - Septembre et ses dernières pensées - Les Discrets

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por M. Mortifer
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
“Septembre et ses dernières pensées” é o álbum de estréia da banda de Pós-Rock/Shoegazing francesa LES DISCRETS. “Septembre et ses dernières pensées” foi gravado no estúdio francês Drudenhaus e produzido por Neb Xort (ANOREXIA NERVOSA, ULTRAVOMIT etc.). As músicas foram compostas entre 2003 e 2009. O álbum foi lançado pela gravadora alemã Prophecy Productions.
W. Axl Rose: surge foto rara dos "anos perdidos" do vocalistaPaul Gray: viúva diz que ele não era apenas um viciado

A música do LES DISCRETS pode ser descrita como uma expressão dos trabalhos artísticos de Fursy Teyssier. Ou seja, originalmente Fursy é um ilustrador e os seus trabalhos evocam contemplação e esoterismo, atmosferas, sentimentos, medos e sensações relacionados à vida e ao mundo. A música do LES DISCRETS expressa tudo isso. As letras têm como tema a natureza, o amor e o medo da morte. Em outros termos, vida, amor e perda.

A faixa introdutória é a instrumental “L’ Envol des Corbeaux”, uma breve e bela música. A segunda faixa é a “L’ Échappée”. Fala sobre a necessidade de refugiar-se em si mesmo para compensar o sentimento de abandono e ausência no convívio das grandes cidades. Destaque para o trabalho da guitarra e bateria.

A terceira faixa é “Les feuilles de l’ Olivier”. Um pouco mais agitada do que a anterior, (o que não significa que podemos classificá-la de “pesada”), também possui um belo arranjo, alternando passagens de distorção e passagens acústicas da guitarra, de peso e velocidade da bateria com a suavidade dos vocais. A letra é uma metáfora sobre a morte, sobre a consciência da inevitabilidade da morte.

A quarta faixa “Song for Mountains”, sem dúvida uma das mais belas do álbum, possui um andamento lento, e lembra o ALCEST. A melodia envolve o ouvinte desde o seu início. A letra descreve um sonho que simboliza a transitoriedade.

Eu destacaria ainda a canção que dá título ao álbum, “Septembre et ses dernières pensées”, com uma introdução falada e sons de corvos. Sem dúvida a música que está mais relacionada imagem temática da banda. Uma canção breve, com arranjos sofisticados que evocam um sentimento de nostalgia no ouvinte.

Como também destacaria “Chanson d’Automne”, sem dúvida a melhor música do álbum. As passagens de guitarra lembram LOVE SPIRALS DOWNWARDS. A letra é uma poesia de Paul Verlaine. Simboliza o desejo, fatalidade e o inconsciente. Sentimentos evocados pela mágica das palavras de sons repetidos e da cadência dos versos.

“Septembre et ses dernières pensées” é um trabalho artisticamente bonito, elegante e melancólico, desde suas canções ao belíssimo trabalho gráfico do álbum.

Ficha técnica:

Tracklist:
01 - L’ Envol des Corbeaux
02 - L’ Échappée
03 - Les feuilles de l’ olivier
04 - Song for Mountains
05 - Sur les Quais
06 - Effet de Nuit (Song composed for Phest)
07 - Septembre et ses dernières Pensées
08 - Chanson d’Automne
09 - Svipdagr & Freyja
10 - Une Matinée d’ Hiver

Membros:
Fursy Teyssier: (Amesoeurs, Phest) – Guitars, Bass, Vocals and composition.
Winterhalter: (Amesoeurs, Alcest) – Drums.
Audrey Hadorn – Vocals and lyrics.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Discrets"

W. Axl Rose
Surge foto rara dos "anos perdidos" do vocalista

Paul Gray
Viúva diz que ele não era apenas um viciado

Em vídeo
Seguidores do Demônio, as 10 bandas mais perigosas segundo pastor americano

Janick Gers: descartável ou essencial ao Iron Maiden?Megadeth: Nick Menza e Marty Friedman iam retornarMetallica: Dave Mustaine revela seu álbum favorito da bandaA História da Guitarra - Parte 1: do Alaúde ao ViolãoSlipknot: Corey Taylor dá tapa em lutador da WWEOzzy Osbourne: a estrada do Sabbath a Blizzard

Sobre M. Mortifer

Possui graduação e Mestrado em Filosofia, atualmente cursa Doutorado e ensinanesta área. É eclético com relação à música, ouve de música erudita a Black Metal. Seus gêneros preferidos são os seguintes: Post-Punk, Dark Wave, Gothic Rock, Neo-Folk/Neo-Classical, Doom Metal, Death Metal, Gothic Metal, Folk Metal, Black Metal, Progressive Metal e Alternative Metal.

Mais matérias de M. Mortifer no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online