A Tribute to Vulcano: Homenagem a uma lenda brasileira

Resenha - Satanic Legions - A Tribute to Vulcano

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Em uma época que o cenário underground era fortemente influenciado pela NWOBHM, o surgimento das vertentes mais extremas abalou a mesmice sonora da década de oitenta, sobretudo em nosso país. O início do death/black metal viu o VENOM dominar Europa e consolidou – exatamente no mesmo período – o VULCANO como o maior expoente do gênero na América Latina. No ano em que completa trinta anos de carreira, a banda santista é homenageada com “Satanic Legions”, um competente tributo que chega às lojas via Violent Records.
Vulcano: Novo álbum, "XIV", está pronto e disponívelChico Anísio: um bom disco de rock nacional

A carreira da banda, que nunca foi oficialmente interrompida, enfrentou altos e baixos desde o compacto “Om Pushne Namah” (1982), curiosamente cantando em português. Em meio a muitas dificuldades de gerenciamento por ser um grupo independente, o VULCANO resistiu à pressão e proporcionou importantes obras para o gênero que ajudou a construir, como “Live!” (1985) – o primeiro álbum de metal brasileiro a ser gravado ao vivo – e “Bloody Vengeance” (1986). Não há dúvidas de que uma série de mudanças internas corroborou para os momentos inconsistentes que Zhema & Cia. enfrentaram no passado – por muitos anos os fãs não viram nenhum disco novo chegar às lojas. No entanto, o VULCANO deu a volta por cima e desde “Tales from the Black Book” (2004) vem retomando o espaço que nunca deixou de ser o seu.

O disco “Satanic Legions: A Tribute to Vulcano” mostra um interessante panorama da carreira da banda, inclusive da sua fase mais recente. Embora não possua uma (necessária) uniformidade nas gravações apresentas, o tributo evidencia cuidados técnicos e gráficos irreparáveis por parte da gravadora. Da capa à escolha das bandas participantes, a Violent Records deu vida a um álbum coeso e praticamente obrigatório para os fãs mais antigos desse ícone do metal brasileiro. Para comprovar, a versão de “Witche’s Sabbath” abre a obra com uma surpresa. Os santistas do CHEMICAL DISASTER adicionaram em estúdio os vocais adicionais de Angel (que por muito tempo participou do VULCANO) e um solo de Soto Jr. (ex-guitarrista e falecido do grupo), ambos retirados de um show da banda na década de oitenta. O resultado é excelente.

Na sequência, “Spirits of Evil”, assinada pelo ORGY OF FLIES; e “From the Black Metal Book”, em uma versão executada pelo INFECTOR, mantêm as características originais que o VULCANO propôs nos discos “Blood Vengeance” (1986) e “Tales from the Black Book” (2004), respectivamente. As faixas, que podem até não possuir uma gravação primorosa, não fazem feio. Da mesma forma, “Guerreiros do Satã” – executada pelo black metal do MALEFICARUM – mostra como a banda serviu de referência para todo o movimento extremo que surgiu em nosso país nas décadas seguintes. Por outro lado, “Incubus” pode ser considerado um destaque do disco porque é Luiz Carlos Louzada, atual cantor do VULCANO, que assume os vocais da HIERARCHICAL PUNISHMENT.

Embora possa parecer um pouco de preciosismo, não há nenhuma incompetência na execução do repertório de “Satanic Legions: A Tribute to Vulcano”. A versão de “Fall of the Corpse”, assinada pelo MORLFOK, pode soar mais agressiva, mas isso certamente pouco importa. “Welcome to the Army”, retirada do álbum “RatRace” (1990), ganhou uma roupagem de luxo pelas mãos do PREDATORY. Com influências mais próximas do MOTORHEAD, até mesmo a gravação proporcionada pelo ABOMYDOGS possui elementos que se encaixaram muito bem à proposta original da música, mais próxima do death/black. Do mesmo modo, repertório mais clássico do VULCANO é bem representado pelo FRONT ATTACK LINE em “Death Metal” e pelo PENTACROSTIC em “Fallen Angel”.

Com certo prejuízo em razão da gravação abafada, o BLASPHEMICAL PROCREATION mostra um trabalho apenas mediano em “Holocaust”. Do mesmo modo, as versões para “Dominios of Death” pode aparecer um pouco apagada, mas é evidente que o GOREMPIRE mostrou competência na sua execução, assim como o CHAOSMASTER evidenciou em “Prisoner from Beyond”. De outro lado, “Ready to Explode”, assinada pelo IMPETY; e “The Signals”, apresentada pelo REPULSÃO EXPLÍCITA, relembraram com destaque as músicas que projetaram o VOLCANO na década de oitenta.

Na reta final do tributo, a versão de “Red Death” do AQUERONTE e de “The Bells of Death” do BRUTAL EXUBERÂNCIA podem até passar em branco, mas a inclusão de “Besta Cibernética”, do primeiro compacto do VULCANO, é muito bem-vinda para o caráter contemplativo da obra. Embora não possuam uma gravação exemplar como a anterior, “Gates of Iron” e “Riding in Hell” – do MIDNIGHTMARE e do READY TO EXPLODE respectivamente – não possuem os requisitos mínimos para serem apontadas como destaque. Por outro lado, “Legiões Satânicas” aparece muito bem na versão assinada pelos veteranos do NERVOCHAOS, que tem tudo para ser o melhor momento de “Satanic Legions: A Tribute to Vulcano” ao lado da faixa de abertura. Por fim, duas faixas medianas – “F.T.W. (Fuck the War)” do UNBORN e “Bloody Vengeance” do EIGHTEENTH ANGEL – encerram o tributo sem o mesmo pique do seu início.

De qualquer forma, “Satanic Legions: A Tribute to Vulcano” é representativo e simboliza uma sincera homenagem a um dos ícones do underground brasileiro, importantíssimo para o movimento death/black nacional. A Violent Records está de parabéns por concretizar esse tributo. Os fãs certamente aguardam o retorno do VULCANO com um novo disco nos próximos anos, ainda mais que a banda oficializou o seu novo line-up com Luiz Carlos Louzada (vocal), Zhema Rodero e Fernando Nonath (guitarras), Carlos Diaz (baixo) e Arthur Justo (bateria).

Site: www.myspace.com/violentrecs

Track-list:

01. Witche’s Sabbath (Chemical Disaster)
02. Spirits of Evil (Orgy of Flies)
03. From the Black Metal Book (Infector)
04. Guerreiros de Satã (Maleficarum)
05. Incubus (Hierarchical Punishment)
06. Fall of the Corpse (Morfolk)
07. Welcome to the Army (Predatory)
08. Devote to the Devil (Abomydogs)
09. Total Destruição (Sepulcro)
10. Death Metal (Front Attack Line)
11. Fallen Angel (Pentacrostic)
12. Holocaust (Blasphemical Procreation)
13. Dominios of Death (Gorempire)
14. Prisoner from Beyond (Chaosmaster)
15. Ready to Explode (Impiety)
16. The Signals (Repulsão Explícita)
17. Red Death (Aqueronte)
18. The Bells of Death (Brutal Exuberância)
19. Besta Cibernética (Breakdown)
20. Gates of Iron (Midnightmare)
21. Riding in Hell (Ready to Explode)
22. Legiões Santânicas (Nervochaos)
23. F.T.W. (Fuck the War) (Unborn)
24. Bloody Vengeance (Eighteenth Angel)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Vulcano: Novo álbum, "XIV", está pronto e disponívelTodas as matérias e notícias sobre "Vulcano"

Heavy Metal
Site elege as dez melhores bandas do Brasil

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Vulcano"Todas as matérias sobre "Nervochaos"Todas as matérias sobre "Chemical Disaster"Todas as matérias sobre "Infector"

Chico Anísio
Ele gravou também um bom disco de "rock nacional"

Roda de Pogo
No show punk o objetivo é dançar uma dança peculiar

Monsters of Rock
O que o festival nos ensina sobre preconceito

Cópia Infiel: Ato 1, Raul Seixas e o Dolo de OuroBaixista Magnus Rosén quase morre durante vôo rumo à América do SulMetallica: guitarrista carioca grava medley com 102 riffsDream Theater: Petrucci comenta influência de David GilmourCreed: suicídio, alcoolismo e abuso na infânciaRock in Rio: a Cidade do Rock que a TV não mostrou, parte 2

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online