Ágona: Thrash/Death Metal muito bruto e agressivo

Resenha - Essencial Putrefação - Ágona

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Há discos e discos na vasta história do Heavy Metal e suas vertentes, e alguns, por muitas limitações de várias ordens, passam anos e anos escondidos do conhecimento do grande público, o que é uma infelicidade, já que trabalhos sublimes são totalmente perdidos. Mas graças à internet e ao esforço heróico de muitas bandas, sempre na base da raça e na força de vontade, essas barreiras são vencidas. E um dos mais raçudos guerreiros, indo conta tudo e todos, vencendo as dificuldades e mostrando a cara é o ÁGONA, quarteto carioca, que mostra seus frutos em seu mais recente testemunho em CD, o recém lançado EP ‘Essencial Putrefação’, centro desta resenha.
Iron Maiden: "o fim de nossa carreira está próximo", diz Steve HarrisDavid Bowie: muito mais assustador que Michael Jackson

Comprometidos até a alma com um Thrash/Death Metal muito bruto e agressivo, mas bem feito e minimalista, com nuances de outras vertentes do Metal, mais letras em português que passam ótimas mensagens, daquelas que levam o ouvinte a analisar o mundo que nos cerca com uma visão mais crítica e aprofundada.

A produção visual do CD é de primeira, com letras e informações bem descritas, e a sonoridade que sai pelos falantes é muito bem cuidada (graças ao esforço conjunto da banda e de Rômulo Pirozzi), com cada nuance sonora em seu devido lugar. Mas não se enganem: a limpeza sonora de forma alguma retira o vigor sonoro ou a agressividade da música dos rapazes.

O EP abre com ‘Caminhos Fechados’, uma faixa bem bruta, com ótimos vocais variando entre urros guturais e gritos estridentes, além de ótimos riffs; a próxima é ‘Floresta de Cadáveres’, com um início bem trampado, e daqui a pouco vira uma verdadeira manifestação de caos brutal, graças à base baixo/bateria coesa e pesada, que certamente desencadeia rodas de pogo nos shows.

Seguindo, vem ‘Destino de Sangue’, rápida e com certo jeitão Hardcore nas levadas iniciais, que depois mostram uma cadência bem empolgante, com partes de guitarra bem trabalhadas, onde os andamentos ditados pelo baixo são algo de absurdo; ‘Frio’ tem uma introdução com um teclado bem sacado, mas que logo vira uma pancadaria mais cadenciada, com alguns momentos amenos bem cativantes;

‘Karma’ é uma pequena intro bem climática para ‘Ianuarius’, que fecha o EP, mais uma música cheia de mudanças de andamentos, onde a banda mostra uma técnica apurada e que realmente vai agradar aos fãs do gênero.

Definitivamente, o ÁGONA sai da condição de promessa e entra com os dois pés firmes na categoria de bandas do primeiro escalão no Rio de Janeiro, e talvez até no Brasil.

Formação:
Alan Muniz – Vocais
Leonardo Milli – Guitarras
Rafael Ferraz – Baixo
Vinícius Bhering - Bateria

Tracklist:

01. Caminhos Fechados
02. Floresta de Cadáveres
03. Destino de Sangue
04. Frio
05. Karma
06. Ianuarius

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Ágona"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ágona"

Iron Maiden
"O fim de nossa carreira está próximo", diz Steve Harris

David Bowie
Muito mais assustador do que Michael Jackson

Rock Progressivo
Os dez discos mais importantes da história

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do ChavesRingo Starr: baterista ignora fãs em São PauloMetallica: os motivos da saída de Jason NewstedPantera: banda foi discretamente mencionada na cerimônia do OscarMetallica: Eles arrecadam bem mais que Iron Maiden e Black SabbathW. Axl Rose: surge foto rara dos "anos perdidos" do vocalista

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online