Divine Element: Não é original, mas transparece sinceridade

Resenha - Divine Element - Divine Element

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Mais Heavy Metal made in Grécia! Tendo iniciado suas atividades na Atenas de 2002, as coisas parecem transcorrer lentamente para o Divine Element. Ao longo deste período o pessoal liberou somente uma mísera demo e nada mais, a não ser tocar onde pudessem e correr constantemente atrás de um selo que ajudasse a financiar o tão desejado álbum de estreia. Nada conseguiram de concreto, mas tantos obstáculos apenas servem para serem transpostos, não é mesmo?
Há quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universoLimp Bizkit: Os visuais mais bizarros do guitarrista Wes Borland

Pois bem, então a alternativa foi arregaçar as mangas e fazer as coisas acontecerem de forma independente. Houve muita preocupação por parte do Divine Element para que seu debut auto-intitulado chegasse ao público da forma mais profissional possível, a começar pelo esmero de um bonito acabamento gráfico todo em digipak e seguindo a velha tradição das ilustrações contrastadas – a seção que retrata os músicos ficou magnífica! E tudo para embalar canções cujas gravações demoraram nada menos do que três anos para serem concluídas.

O resultado final provou que os esforços valeram a pena. "Divine Element" misturas vários dos subgêneros metálicos e, ainda que consideravelmente melódico, consegue manter toda uma atmosfera extrema. Seja com a propensão de passagens velozes ou pelos ritmos mais calmos e melódicos, tudo se mantém muito bem estruturado. O Thrash, Death e Black Metal são veias explodindo frequentemente, e ainda com alguns elementos acústicos espalhados para enriquecer corpo de algumas faixas.

O áudio é adequadamente forte e ríspido, com toda aquela testosterona nada polida e tipicamente underground. Não há espaço para vacilos, está tudo lá: guitarras, baixo e bateria, tudo aparecendo certinho. É meio complicado eleger destaques entre as seis canções propriamente ditas, mas por ora este escriba tem alguma predileção pelas espetaculares "Dawn Of Battle" e a longa "Crossing The Rubicon", que encerra os 45 minutos de audição com um forte sentimento épico.

Sem ser original, apenas sincero até o fundo do coração, o Divine Element provou se capaz de fazer um som muito interessante a ponto de, quem sabe, ser um degrau para alcançar o devido prestígio pelo underground grego. Esse é um dos 500 discos espalhados pelo planeta, mas o headbanger que curte Primordial, Bathory e o início da carreira do Amon Amarth poderá ter grande interesse em baixar essas canções em www.myspace.com/divineelement.

Formação:
Alchemist - voz e baixo
Nihilus Ayloss - guitarra e sintetizadores
Jahrold - guitarra
Loukas - bateria

Divine Element - Divine Element
(2010 / independente – importado)

01. Introitus
02. Of Darkness
03. A Day For The Hunter, A Day For The Prey
04. Dawn Of Battle
05. Ancient Pride (Necromantia Cover)
06. Fall Of Purity
07. Crossing The Rubicon

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Divine Element"

Há quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

Limp Bizkit
Os visuais mais bizarros do guitarrista Wes Borland

Ronnie James Dio
Escolhendo entre coprofilia, necrofilia e bestialismo

Metallica: Rock In Rio explica pane que ocorreu durante o showTrollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaInovação: conheça primeira guitarra feita inteiramente de titânioSerguei: "não conheci Axl Rose porque eu estava cansado"Heavy Metal: 10 ótimas novas bandas para atualizar o ouvido

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online