As I Lay Dying: agressivo e com doses certeiras de melodia

Resenha - Powerless Rise - As I Lay Dying

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O quinteto norte-americano As I Lay Dying é um dos principais nomes da cena metalcore. Formado em San Diego em 2001, o grupo chega ao seu quinto disco, "The Powerless Rise", sucessor de "An Ocean Between Us", de 2007.
As I Lay Dying: Tim Lambesis estaria fora da prisãoAvantasia: gafes durante show na Alemanha em 2010

Raivoso, agressivo e com doses certeiras de melodia, o som do As I Lay Dying é pra lá de competente, e, apenas como efeito de comparação para quem nunca ouviu sua música, lembra o que o Soilwork vem fazendo em seus últimos discos.

Os vocais guturais de Tim Lambesis recebem o apoio da voz limpa do baixista Josh Gilbert em várias faixas, e isso dá uma dinâmica bem interessante às composições. Um exemplo disso é “Anodyse Sea”, onde as intervenções de Gilbert são excelentes. Essa faixa contém trechos com grandes melodias de guitarra, que empolgam qualquer pessoa que curte heavy metal. Outro grande momento ocorre em “Without Conclusion”, dona de um ótimo riff e um solo pra lá de inspirado.

Mas a principal faixa do álbum, para mim, é “Anger and Apathy”, com uma melodia de guitarra muito interessante e ótimo refrão – mais uma vez, com os vocais limpos de Josh Gilbert.

O clima fica interessante também quando a banda tira um pouco o pé do acelerador e investe em composições mais cadenciadas como “Upside Down Kingdom”, uma excelente faixa carregada com doses maciças de peso.

Não posso deixar de mencionar também a belíssima capa, que mantém a tradição do As I Lay Dying de ter artes de cair o queixo em seus discos. O encarte vem em forma de poster, com a arte da capa em um lado e as letras no outro.

"The Powerless Rise" é um bom álbum, daqueles discos que se tornam melhores a cada nova audição. Se a sua praia é o metalcore, ouça sem contraindicação!

Faixas:
1 Beyond Our Suffering 2:50
2 Anodyne Sea 4:35
3 Without Conclusion 3:15
4 Parallels 4:57
5 The Plague 3:42
6 Anger and Apathy 4:26
7 Condemned 2:50
8 Upside Down Kingdom 4:00
9 Vacancy 4:27
10 The Only Constant Is Change 4:08
11 The Blinding of False Light 5:05

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Powerless Rise - As I Lay Dying

As I Lay Dying: sem idéias inovadoras, mas sem se estagnar

As I Lay Dying: Tim Lambesis estaria fora da prisão2017: veja lista com 10 álbuns que completam 10 anosTodas as matérias e notícias sobre "As I Lay Dying"

Metalcore
Os trabalhos essenciais do estilo segundo About.com

As I Lay Dying
"90% das bandas gospel fingem fé pra vender mais"

Loudwire
Site escolhe as melhores "caras de guitarra"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "As I Lay Dying"

Avantasia
Gafes durante show na Alemanha; confira em vídeo

Avenged Sevenfold
"Lepo-Lepo"' no show em São Paulo

Ghost
Papa Francisco impede apresentação da banda nos EUA

Noisecreep: dez melhores canções de Metal (e Hard) dos 80sIndústria: quanto $$$ ganham as bandas do "Time B" do Metal?Bruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidosVelvet Revolver: mulher de Slash teve parte na saída de ScottO que é ser Beat?Slipknot: 20 saltos épicos de Sid Wilson registrados em vídeo

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online