DarkTower: banda original da cena extrema nacional

Resenha - Lord ov the VastLands - DarkTower

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O Metal Brasileiro é rico de Norte a Sul, e isso é fato histórico confirmado, já que nosso país é capaz de gerar bandas tão boas, e muitas vezes, melhores que as do exterior, tamanha a capacidade de inovação que o brasileiro tem, melhorada ainda mais com as facilidades tecnológicas dos dias de hoje, com a internet permitindo maior alcance de público, com os computadores e softwares usados em estúdio para gravar. E aí entra o fator brasileiro: o músico é quem faz a música e a executa, e nisso, o Brasil está bem servido. E uma das bandas mais originais da cena extrema nacional é justamente esta: DARKTOWER.
Megadeth: Nick Menza e Marty Friedman iam retornarDave Mustaine para James Hetfield: "Nós mudamos o mundo, irmão"

Mesmo sendo rotulada por muitos como Black Metal, a banda é rica musicalmente, lançando mão de vários elementos de outras subdivisões, até mesmo de algumas coisinhas de fora do Metal, o que torna seu trabalho único, e extremamente de bom gosto, e é o que podemos conferir ao pôr seu single “Lord of the Vast Lands” para ouvir.

Apresentação visual extremamente esmerada e bela, permitindo ao ouvinte captar a essência do que está ouvindo, fora a produção musical estar bem acima da média, permitindo a audição perfeita de cada instrumento sem embolar, mas pesada e agressiva. O detalhe interessante é que a própria banda fez toda a produção, tanto a sonora (a mixagem e a masterização foram feitas pelo guitarrista Niccollo e pelo baixista Hanged) quanto a visual (concebida e dirigida pelo baterista Argos).

Abrindo o single, temos a faixa-título, “Lord of the Vast Lands”, onde o vocal de Galf vai do rasgado ao gutural com extrema naturalidade, usando também sua voz normal em vários momentos, e o andamento não tão rápido mostra a pegada pesada, conjunta e variada da cozinha de Argos e Hanged, e Niccollo mostra riffs bem agressivos e variados, mas em vários momentos apela para levadas Thrash. Sem querer fazer comparações, está numa linha à lá KEEP OF KALESSIN. “The Mightiest Being” vem em seguida, mostrando mais e mais variações, ora melodiosa, ora agressiva, ora rápida, ora mais cadenciada, e prende o ouvinte, que não consegue deixar de ouvir a música do início ao fim. Encerrando o single, temos uma música mais longa, “Creatures of Moonlight”, com seus quase 8 minutos, que inicia bem cadenciada, mas logo vira uma música rápida e com excelentes harmonias na guitarra, indo do Thrash, Death e Black a momentos de Metal Tradicional e Música Clássica, fora Argos mostrar extrema técnica nas baquetas e bumbos, Hanged mostrar que não é só um baixista ‘feijão com arroz’, e Galf mostrar que não é uma promessa, mas um dos melhores vocalistas do Metal Extremo brasileiro, sem sombra de dúvidas. Pode-se dizer que é uma canção tão cheia de variações de andamento e nuances que o melhor é ouvir com calma.

http://img707.imageshack.us/img707/971/dtpressfront.jpg

Um ótimo aperitivo para o CD que deve estar chegando entre o final deste ano e o início de 2011.

See the Rise, guys!!!!

Tracklist:
01. Lord ov the VastLands
02. The Mightiest Being
03. Creatures of the Moonlight

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Dark Tower"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dark Tower"

Megadeth
Nick Menza e Marty Friedman iam remontar formação do "Rust In Peace"

Mustaine para Hetfield
"Nós mudamos o mundo, irmão"

Loudwire
As 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Galeria - Tatuagens em homenagem ao Nightwish e TarjaMetallica: a letra que fez Hammett e Hetfield chorarCapas de CD estranhas: o que está por trás dessas imagens?Slayer: Fatos sobre Kerry King que o deixariam surpresoComo enviar conteúdo ou se tornar um colaborador do Whiplash.Net?Ira! - Para entender os mods

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online