Black League: porções de rock, heavy metal e insanidade

Resenha - Ghost Brothel - Black League

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Provavelmente alguns desconheçam, mas assim que o Sentenced começou a crescer, o vocalista Taneli Jarva decidiu abandonar seu posto para posteriormente montar esta excelente banda em 1998. O Sentenced continuou sua escalada ao sucesso com Ville Laihiala até encerrar dignamente suas atividades em 2005, enquanto o The Black League permaneceu atuando mais a nível underground mesmo.
Invisible Oranges: os 5 melhores momentos Metal dos filmesMachine Head: Amps Falsos no Palco - pode isso, Arnaldo?

Após dois anos trabalhando em estúdio, "Ghost Brothel" é um quinto álbum que mostra o The Black League mais maduro do que nunca, consequência direta de a formação se manter estável desde seu último registro, "A Place Called Bad", liberado em 2005. E, quanto ao leitor que não possui intimidades com esta banda, não vá tirar a precipitada conclusão de que sua sonoridade seja similar ao velho e condenado Sentenced...

Ainda que o repertório de seu debut, "Ichor" (00), fosse uma verdadeira colcha de retalhos, a proposta do The Black League foi rapidamente tomando forma e atualmente é o que podemos chamar simplesmente de Rock´n´Roll, próximo do Stoner pesadão e viajandão, acrescentando aí outra gigantesca gama de influências setentistas muito bem amarradas, o que garante ainda mais credibilidade ao disco.

Aliás, o próprio The Black League dá a dica de sua receita: 1 porção de Rock (AD/CD - Hendrix - Hurriganes - Skynyrd - Stooges), 1 porção de Heavy Metal (Motorhead - Sabbath - COC - Danzig) e 1 porção de insanidade (Floyd - Doors - King Crimson - Cave - Cohen - Waits). Nada mal! E, além de toda a fertilidade em boas melodias e groove, a tão característica e maltratada voz rosnada de Jarva conta muito a favor. Selecionar destaques é uma sacanagem, mas na ocasião em estes linhas foram escritas, admito que "Malabarista", "Bones 'N' Thangs" e "Until We Sail" deixaram este escriba tão entusiasmado que sua audição se repetiu a todo o momento...!

Fugindo das tendências pela qual o Rock e Heavy Metal se enveredaram ao longo dos anos, "Ghost Brothel" é totalmente recomendável aos amantes daquele certo tradicionalismo que consegue fugir do previsível. E fica a sugestão de, preferencialmente, escutar estas canções acompanhado de duas doses de um bom uísque! Ok, e uma boa garota nunca é demais, não é mesmo?

Contato:
http://www.theblackleague.fi
http://www.myspace.com/theblackleague

Formação:
Taneli Jarva - voz
Maike Valanne - guitarra
Kimmi ‘Heavy’ Hiltunen - guitarra
Ilkka Tanska - baixo
Rale Tiiainen - bateria

The Black League - Ghost Brothel
(2009 / Brainbomber Records - importado)

01. Zero Providence (Intro)
02. Southern Scars & Curse
03. Malabarista
04. Bones 'N' Thangs
05. Misfortune
06. The Beast Is A Riddle
07. Bipolar Meltdown
08. No Parole
09. Ghost Brothel
10. Until We Sail
11. Vin Mariani
12. Joke's Over
13. Heavy Downer

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black League"

Invisible Oranges
Os 5 melhores momentos metal dos filmes

Machine Head
Amps Falsos no Palco - pode isso, Arnaldo?

Motorhead
Lemmy e o direito de morrer como quiser

Guns N' Roses: "Case-se comigo Axl, tenho 18 anos"Gene Simmons: US$ 200 milhões para reunir o Led Zeppelin?Rockstars: as histórias por trás de seus nomes artísticosU2: histórias dos bastidores no show do grupo no MorumbiVocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rockNew York Times: os 100 melhores covers de todos os tempos

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online