Hot Leg: Justin Hawkins volta ainda mais extravagante

Resenha - Red Light Fever - Hot Leg

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Gabriel Menezes, Fonte: Blog Cena
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Após o fim do THE DARKNESS, era previsível que JUSTIN HAWKINS voltaria mais cedo ou mais tarde com uma carreira solo ou com outra banda. Ele preferiu a segunda opção, e montou o HOT LEG. O grupo já lançou o seu primeiro álbum, “Red Light Fever”.
Metal: 10 passos para você se tornar um verdadeiro metalheadComo batizar a criança: os nomes de bandas mais estúpidos

Quem curtiu a irreverência do vocalista em canções como “I Believe in a Thing Called Love”, certamente irá aprovar este novo projeto. Em “Red Light Fever”, HAWKINS eleva suas músicas a um nível ainda maior de humor e extravagância. Um exemplo disto é a canção “Cocktails”, que no refrão ele canta metade da palavra repetidamente e só no final a diz por inteiro. Quem entende um pouco do idioma inglês vai entender a piada!

Mas não só de humor é construído “Red Light Fever”. O disco traz músicas poderosas. Como vinha acontecendo no Darkness, a influência dos anos 80 em Justin é cada vez maior, e por isso em grande parte das canções há a presença dos sempre polêmicos sintetizadores. Inclusive o título de uma das canções, “Gay in the 80’s”, faz referência à década.

A maioria das canções que estão no disco já eram velhas conhecidas dos fãs antes mesmo do HOT LEG existir. Isto aconteceu porque elas foram compostas na época que Justin ainda estava no DARKNESS, mas já pensava adiante. Algumas sofreram pequenas alterações no arranjo ou no título para entrarem no álbum.

“Red Light Fever” não é melhor nem pior do que os dois álbuns feitos pelo DARKNESS, e sim completamente diferente. Inclusive porque desta vez Justin não dividiu o controle criativo das canções com o irmão, DAN HAWKINS, que teve participação ativa nas composições da ex-banda.

Não é um disco que traga músicas revolucionárias ou novas. Mas que provavelmente vai agradar os fãs de um tipo de rock que praticamente não é feito nos dias de hoje.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Darkness"

Anos 2000
A morte do Rock nas novelas da Rede Globo

Iron Maiden
Conheça outras capas do criador de The Book Of Souls

Intrigas
Bandas em família que terminaram mal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Hot Leg"Todas as matérias sobre "Darkness"

Metal
10 passos para você se tornar um verdadeiro metalhead

Sem imaginação?
Os nomes de bandas mais estúpidos da história

Slash
Ele teve aulas de guitarra com Myles Kennedy

Death: "Chuck Schuldiner não era um cara simpático!"Machine Head: Rob diz que A7X copia Guns, Metallica e MegadethAxl Rose: "Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"Finalmente explicado: Metalheads seguram laranjas invisíveisSlayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela bandaSlash: "Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor

Sobre Gabriel Menezes

Gabriel Menezes é jornalista, natural de Volta Redonda, no Sul Fluminense. Atualmente, mora na cidade do Rio de Janeiro. Edita o Blog Cena (www.blogcena.com), onde escreve sobre rock e cultura pop. É um apaixonado por rock’n roll, em quase todas as suas vertentes. É baixista e membro da banda Dakocaga (www.myspace.com/dakocaga).

Mais informações sobre Gabriel Menezes

Mais matérias de Gabriel Menezes no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online