Amorphis: um ótimo trabalho com o álbum "Skyforger"

Resenha - Skyforger - Amorphis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Após os ótimos lançamentos com boa repercussão da crítica em “Silent Waters” e “Eclipse”, a banda finlandesa Amorphis vem com mais um ótimo lançamento. “Skyforger” é, sem sombra de dúvidas, o álbum da banda que alcançou maior notoriedade em toda sua carreira, ao alcançar o topo das paradas em sua terra natal e alcançar pela primeira vez as paradas da Billboard nos Estados Unidos.
Amorphis: clipe de "Her Alone" com Anneke van GiersbergenLemmy Kilmister: o personagem de Super Mario que foi inspirado na lenda

A banda, que se mostra indiferente a rótulos e conotações sobre o estilo de música que toca, evolui a cada álbum lançado, buscando novas perspectivas, principalmente no som. A temática do álbum continua sendo a mesma, com a obra épica finlandesa “Kalevala” como principal fonte de inspiração para as letras das músicas, que combinam o ar sombrio de seus tons de death melódico com o progressivo e o folk metal.

Em “Skyforger”, porém, é visível que a banda seguiu em suas músicas um tom mais light, utilizando menos os vocais guturais e mais o som característico do progressivo. As músicas “Sampo” e “Silver Bride” seguem um tempo médio, com uma melodia bem marcante firmada nos teclados e guitarra, com refrões pegajosos, daqueles que grudam de primeira e não saem da cabeça.

“From the Heaven of my Heart” vem logo depois, trazendo uma balada mais lenta, com alguns tons épicos e com a voz de Joutsen ainda mais melódica. “Majestic Beast” vem no caminho contrário, com guitarras mais pesadas e o vocal gutural como marca registrada. “My Sun” e “Highest Star” trazem uma levada mais folk, com um mix de sons mais forte, no melhor do experimentalismo já comum do Amorphis.

“Skyforger”, no caso, acaba até fugindo um pouco deste experimentalismo comum da banda, mostrando uma linha de raciocínio bem mais clara. Apesar disso, ele não perde em nada para seus antecessores, e pelo contrário, mostra mais consistência tanto na música quanto nas composições, independente do estilo praticado.

O grupo fez um ótimo trabalho com “Skyforger”, onde as músicas se fundem de uma forma marcante, em um conjunto memorável e bastante significativo. É um álbum que sem dúvidas merece ser ouvido e experimentado.

Formação:
Tomi Joutsen – vocal
Tomi Koivusaari – guitarra
Esa Holopainen – guitarra
Niclas Etelävuori – baixo
Santeri Kallio – teclado
Jan Rechberger – bateria

Faixas de “Skyforger”:
01. Sampo
02. Silver Bride
03. From the Heaven of My Heart
04. Sky Is Mine
05. Majestic Beast
06. My Sun
07. Highest Star
08. Skyforger
09. Course of Fate
10. From Earth I Rose

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Skyforger - Amorphis

Amorphis: união de elementos prog, death melódico e folkAmorphis: depois de ótimos álbuns, um ainda melhor

Amorphis: clipe de "Her Alone" com Anneke van GiersbergenHallatar: projeto com membros de Amorphis, HIM e Swallow The SunTodas as matérias e notícias sobre "Amorphis"

HailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

Arte Gráfica
Designer brasileiro cria versões para clássicos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Amorphis"

Lemmy Kilmister
O personagem de Super Mario que foi inspirado na lenda

Zakk Wylde
"Eu bebia porque curto tomar um porre!"

Mudanças
5 bandas que seguem sem membros da formação original

Fotos de Infância: Robert Plant, do Led ZeppelinMetallica: banda passa dificuldades financeiras, dizem biógrafosTempo implacável: os rockstars também envelhecem parte 1Dream Theater: as canções mais subestimadas da bandaTed Nugent: "Não dá para competir com McCartney em mortes!"Em 16/01/1993: o Nirvana fazia um show catastrófico no Brasil

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online