Ensiferum: para fãs de Viking, Power e Folk Metal

Resenha - Victory Songs - Ensiferum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Com pouco mais de uma década de existência, o finlandês Ensiferum já é considerado um ícone nos círculos de apreciadores do chamado Viking Metal. Então imagine a expectativa gerada entre este pessoal quando o vocalista e guitarrista Jari Mäenpää, a força motriz responsável por “Ensiferum” (01) e “Iron” (04), anunciou em 2004 que estava abandonando seu posto para se concentrar somente em outro projeto, o Wintersun.
Top 10: as músicas mais acessadas do YouTubeRita Lee: "eu fui expulsa dos Mutantes"

Markus Toivonen, guitarrista e agora único membro da formação original, assumiu as rédeas e partiu para a criação das novas composições, recrutando para o posto atrás do microfone Petri 'Pete' Lindroos (Norther). E em que resultou toda esta mudança estrutural na sonoridade do Ensiferum? Bom, para quem já teve oportunidade de escutar alguns de seus álbuns percebeu o quão especial eram suas canções, com grande apego ao Power Metal – e não ao extremismo em que a maioria das bandas do gênero se baseia – e, mesmo em função da influência da música folclórica, tudo permanecia bastante frio e agressivo.

Já “Victory Songs” não é bem assim... A fórmula principal permanece, mas sua música soa mais otimista e com maior predomínio de seções Folk. Petri é habilidoso com suas linhas vocais hostis – deixo ao leitor as comparações com Jari – e, juntamente com os coros entoados pelas vozes limpas de Markus e Sami, fica garantido um caráter épico e triunfante que empolga por todo o dinamismo, tendo como destaques “Deathbringer From The Sky”, a alto-astral “Ahti”, “One More Magic Potion” (que refrão!!!), a semi-balada “Wanderer” e a longa faixa-título, que encerra a audição.

Não há o que questionar sobre a beleza e integridade da música de “Victory Songs”, que se torna um item bastante atraente a qualquer headbanger que aprecie Viking, Power e Folk Metal. E inclusive levanta aquela questãozinha básica: por que diabos nenhuma distribuidora se dispôs a lançar algum dos álbuns do Ensiferum aqui no Brasil?

Formação:
Petri Lindroos - voz e guitarra
Markus Toivonen - guitarra e vozes limpas
Meiju Enho - teclados
Sami Hinkka - baixo e vozes limpas
Janne Parviainen - bateria

Ensiferum - Victory Songs
(2007 / Spinefarm Records – nacional)

01. Ad Victoriam
02. Blood Is The Price Of Glory
03. Deathbringer From The Sky
04. Ahti
05. One More Magic Potion
06. Wanderer
07. Raised By The Sword
08. The New Dawn
09. Victory Song

Homepage: www.ensiferum.com/

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Ensiferum"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ensiferum"

Top 10
As músicas mais acessadas do YouTube

Mutantes
Rita Lee: "Fui expulsa dos Mutantes!"

Separados no nascimento
Ronnie James Dio e Maria Bethania

Mulheres e guitarras: as mais importantes segundo a GibsonBin Laden: possível sucessor era músico de Death MetalWatchMojo: os 10 guitarristas mais subestimados de todos os temposAC/DC: "Éramos comuns até Angus decidir se vestir como colegial!"As piores capas da história do Rock e Heavy MetalSlash: como ele começou a gostar de rock?

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online