Cobalto: porrada na orelha do início ao fim

Resenha - Metamorphic - Cobalto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Este é um dos raros casos em que um conjunto brasileiro encarou os palcos europeus sem pretensão alguma, abraçou as oportunidades que surgiram e colheram frutos na empreitada. Formado no ano de 1999 em Salvador, Bahia, o Cobalto sempre se mostrou uma banda das estradas, tanto que já havia rodado boa parte do Brasil quando possuía somente duas demos. Após sua estréia com "Elemental" em 2005, o pessoal partiu para uma tour de nove meses por países como Finlândia, Alemanha, Bélgica, entre outros, tocando ao lado do Kreator, The Gathering, Masterplan e Whitesnake, o que possibilitou o lançamento de seu debut pela Europa através do selo finlandês Dethrone Music.
Afinal de contas, o que é um riff?Jimi Hendrix: Segundo Carmine Appice, ele não gostava do Led

Um começo bastante promissor, mas insuficiente para fazer com que o vocalista Jan permanecesse em seu posto... Após algumas decisões estruturais, Daniel Dattoli (guitarra), Chris Gomes (baixo) e Louis (bateria) recrutam Viktor Lemoz para o microfone e agora estão liberando "Metamorphic" pelo selo Torto Fono Gramas. Segundo o novo vocalista, este novo álbum mostra uma banda mais amadurecida, com um som mais trabalhado, arranjos mais promissores, ‘porrada na orelha’ do início ao fim.

E é, literalmente, uma 'porrada'. Sua música se aproxima do Thrash Metal, mas com várias características que sugerem o moderno Metalcore norte-americano. A sensação geral é que tudo é bastante rude, e nem mesmo as boas melodias – incluindo-se aí a versatilidade das linhas vocais – estrategicamente encaixadas conseguem mudar esta percepção, o que é algo totalmente positivo em se tratando de Heavy Metal. Ainda que os músicos mostrem intimidade com seus instrumentos, outro ponto relevante neste trabalho acaba sendo o desempenho de Daniel Datolli, cuja guitarra enriquece em muito as canções, em especial seus solos que transbordam feeling.

Confesso que as duas primeiras audições de "Metamorphic" realmente não me tocaram. Mas foi a partir daí que comecei a perceber a enormidade destas canções, que, mesmo sendo de fácil assimilação, conquistam pela honestidade e nervosismo. "Fearing To Bleed", "Falling Nowhere", "Owner Of My World" e "Simple" são alguns dos grandes momentos do disco, e, quando o ouvinte pensa que terá tempo para tomar fôlego, surge abruptadamente uma faixa escondida, que nada mais é do que a própria versão do Cobalto para "Ace Of Spades", de você-sabe-quem (ou não?). Pô, inesperada surpresa que fechou o CD com chave de ouro!

Contato:
http://www.cobalto1.com
http://www.myspace.com/cobalto

Cobalto - Metamorphic
(2007 / Torto Fono Gramas Records - nacional)

01. Fuse Archetypes (prologue)
02. Fearing To Bleed
03. Disconnected
04. Falling Nowhere
05. Morph
06. The Psyche Lives (interlogue)
07. Owner Of My World
08. Burning Inside
09. Simple
10. Parting Ways
11. Cycle Logical (epilogue)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Todas as matérias e notícias sobre "Cobalto"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cobalto"

Riff
Afinal de contas, o que é um? E qual a sua receita?

Jimi Hendrix
Segundo Carmine Appice, ele não gostava do Led

Covers inusitados
COB tocando Britney Spears? Shakira tocando ACDC?

Rimbaud e Morrison: A grande maioria passa pela vida imersa na multidãoIron Maiden: as dez melhores faixas "desconhecidas" da bandaDeep Purple: a contestada entrevista na Globo em 2006Fotos: confira 10 das mais curiosas no mundo do Rock - Parte 1Pink Floyd: "o Rock prestou um desserviço à música"GNR: "novos membros são uns idiotas", diz Michael Paget

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online