Black Majesty: prato cheio para fãs de power

Resenha - Tomorrowland - Black Majesty

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Formado em 2002 na cidade australiana de Melbourne, o Black Majesty já vem chamando há algum tempo a atenção do público europeu amante do Power Metal Melódico. O quarteto formado por John Cavaliere (voz), Steve Janevski (guitarra), Hanny Mohamed (guitarra), Evan Harris (baixo) e Pavel Kornvalinka (bateria) está disponibilizando seu terceiro álbum, “Tomorrowland”, um prato cheio para quem aprecia o estilo e uma das mais bonitas capas do ano.
Classic Rock: elegendo os 10 melhores álbuns de estréiaSolos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NME

O leitor pode ter a certeza de encontrar uma ótima dupla de guitarristas nesta banda, em especial durante a execução de canções como “Forever Damned” – esta é um Power Metal clássico! – e na faixa-título “Tomorrowland”, com alguns dos mais intensos e pesados riffs do álbum. A atuação de Cavaliere também merece sua cota de elogios, pois arrasa em “Into The Black“. Além de ter uma voz muito bonita, o vocalista sabe se expressar de forma muito emocional, seja nos momentos limpos ou quando opta por algo mais áspero.

É claro que, por ser um gênero tão tradicional, fica difícil inovar as estruturas do Power Metal. A velocidade e, principalmente, as boas melodias estão em profusão por aqui, mas o Black Majesty também procura fugir do óbvio ao apresentar certa tendência em seguir o caminho das composições mais bem elaboradas, com alguma complexidade que até as aproximam do progressivo em alguns momentos. E neste quesito, acertam no alvo nas agradáveis mudanças de tempo de “Bleeding World”. Os australianos também apresentam sua versão para “Soldier Of Fortune”, gravada originalmente pelo Deep Purple no álbum “Stormbringer” (74), com um resultado mais metálico bem conveniente.

Com uma produção tão polida que chega a brilhar, é difícil encontrar algo realmente negativo em “Tomorrow Land”... Mesmo não inovando em absolutamente nada, os tão conhecidos elementos são abordados com muita competência e propriedade, resultando em canções muito fortes e que se garantem por si. O Black Majesty merece ser conhecido principalmente por fãs de Iron Maiden, Helloween e Dragonland. Um belo álbum!

Black Majesty - Tomorrowland
(2007 / Limb Music Products – importado)

01. Forever Damned
02. Into The Black
03. Evil In Your eyes
04. Tomorrowland
05. Soldier Of Fortune
06. Bleeding World
07. Faces Of War
08. Wings To Fly
09. Another Dawn
10. Scars

Homepage: www.blackmajesty.com

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Majesty"

Classic Rock
Elegendo os 10 melhores álbuns de estréia

Solos de guitarra
Lista dos 50 melhores segundo a NME

Raul Seixas
A explicação de Gita, por ele mesmo

Álcool e Rock: uma mistura explosivaMike Portnoy: veja o baterista e filho tocando "Nightmare"Lady Gaga: "Eu quase tirei minhas calças para o Dave Grohl"Brian May: "eu não sabia que Freddie era Gay"Black Sabbath: filósofo escreve livro sobre as letrasElton John: músico diz que os Rolling Stones não são relevantes

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online