Resenha - Overkill (Deluxe Expanded Edition) - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rodrigo Werneck
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
O Motorhead é uma daquelas bandas amadas por uns e odiadas por outros, mas ignoradas por poucos. Criando em meados dos anos 70 o seu estilo próprio que se situava entre o heavy metal e o punk, Lemmy & Cia têm mantido desde então uma coerência rara de se achar em outros grupos. “Overkill” talvez seja a melhor expressão de tudo o que o Motorhead representa, e essa nova versão dupla contendo várias faixas bônus faz jus a essa responsabilidade.
Motörhead: pela 1ª vez, Mikkey Dee visita estátua de LemmyLars Ulrich: "Quem são essas outras bandas para nos criticarem?"

10 clássicos, menos de 35 minutos de duração. Este é o resumo do que é “Overkill”. Dando uma aula sobre como é possível ser simples e ao mesmo tempo talentoso, o trio formado por Lemmy Kilmister (baixo e vocais), Fast Eddie Clarke (guitarra) e Philthy Animal Taylor (bateria) gravou em 1979 o seu mais brilhante álbum. Esclarecendo um pouco a confusão que existe com relação aos primeiros discos do Motorhead, o primeiro gravado (“On Parole”) somente foi de fato lançado em 1979, 3 anos após sua gravação, e com o Motorhead já tendo 3 discos na praça. O segundo disco gravado, “Motorhead”, foi na realidade o primeiro a sair, em 1977. “Overkill” é na realidade o terceiro a ser gravado, mas o segundo lançado. E “Bomber” foi o quarto gravado, mas o terceiro lançado. Confuso? Sim, de fato, mas a partir daí as coisas se acertaram, devido ao sucesso da banda e a seu novo contrato com a Bronze Records de Gerry Bron.

O mais difícil é se destacar alguma faixa em “Overkill”,, pois todas possuem riffs sensacionais e empolgantes, e refrãos idem. Muitas delas, tocadas ao vivo pela banda até o dias de hoje. Numa mistura de ingredientes do Hawkwind (banda anterior de Lemmy, e que fazia/faz um som mais na linha de um “punk progressivo”), do heavy metal visceral e cru, e do punk propriamente dito, músicas como “Overkill”, “Stay Clean”, “I’ll Be Your Sister”, “No Class”, “Damage Case” e “Tear Ya Down” são de tirar o fôlego e de fazer até um monge tibetano sair de sua reclusão e bater a cabeça. O vocal rouco de Lemmy, junto a seu baixo Rickenbacker destorcido (ouça seu solo em “Stay Clean”), a guitarra certeira de Clarke e a bateria agressiva de Taylor, estão aqui em sua melhor forma e desenvolvendo o som tão característico da banda.

Esta novíssima edição em CD duplo, luxuosa e caprichada, inclui o disco original completo no primeiro CD, e várias “bonus tracks” no segundo. Entre elas, estão “Louie Louie”, “Too Late Too Late” e “Like A Nightmare”, tão clássicas quanto as faixas do disco original em si, e que fizeram parte de singles lançados antes e depois do LP. Além dessas, foram incluídas gravações em shows, habitat natural da banda, especificamente para o programa do DJ John Peel na rádio BBC londrina (em 1978, antes do disco sair) e ao vivo no Paris Theater em 1979, gravação que depois também faria parte da programação da BBC Radio 1, no programa “In-Concert”. Um detalhe que valhe a pena comentar é que foram sacadas deste lançamento uma música de cada gravação ao vivo citada. No CD “BBC Live & In-Session”, também lançado recentemente, estão incluídas as gravações completas, porém. A música “Keep Us On The Road” aqui está faltando no show de John Peel, e “White Line Fever” ficou de fora do registro do “In-Concert”.

O encarte deste CD inclui texto de Malcolm Dome, da rádio TotalRock e da revista Classic Rock inglesas, dando uma perfeita perspectiva do momento em que o mesmo foi gravado, assim como várias fotos, pôsters, recortes de jornais e outras imagens da época. Definitivamente um grande lançamento para os “hardcore fans”, mas também para fãs de rock pesado em geral.

Tracklist:

CD 1 (original album)

1. Overkill
2. Stay Clean
3. (I Won't) Pay Your Price
4. I'll Be Your Sister
5. Capricorn
6. No Class
7. Damage Case
8. Tear Ya Down
9. Metropolis
10. Limb From Limb

CD 2 (bonus tracks)

1. Louie Louie (single a-side)
2. Louie Louie (alternative version)
3. Louie Louie (alternative long version)
4. Tear Ya Down (b-side single “Louie Louie”)
5. Tear Ya Down (alternative version)
6. Tear Ya Down (Instrumental version)
7. Too Late Too Late (b-side single “Overkill”)
8. Like A Nightmare (b-side single “No Class”)
9. Like A Nightmare (alternative version)

BBC JOHN PEEL SESSION '78:

10. Louie Louie
11. I'll Be Your Sister
12. Tear Ya Down

BBC RADIO 1 IN-CONCERT '79:

13. Stay Clean
14. No Class
15. I'll Be Your Sister
16. Too Late, Too Late
17. (I Won't) Pay Your Price
18. Capricorn
19. Limb From Limb

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Motörhead
Pela 1ª vez, Mikkey Dee visita estátua de Lemmy

Blend Guitar: em vídeo, as dez maiores bandas de Heavy MetalRock e Metal: em vídeo, as 10 despedidas mais épicas da históriaTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Motorhead
"Radiohead e Coldplay não são rock"

Mikkey Dee
"O Motorhead acabou, claro. Lemmy Era o Motorhead."

Motorhead
Cover de "Stand By Me" com Lemmy e Lombardo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Motorhead"

Lars Ulrich
"Quem são essas outras bandas para nos criticarem?"

Avril Lavigne
Aprenda com Rihanna como fazer um meet & greet

Aerosmith
Slash conta como o disco "Rocks" mudou a sua vida

E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?Galeria - Tatuagens em homenagem a Pantera e Dimebag DarrellMetallica: Jason Newsted revela truque que usou para ser chamadoDave Mustaine: ensinando como pegar todas as gatinhas da escolaGuns N' Roses: Chuva de Novembro, com os Venenos do ForróGNR: "novos membros são uns idiotas", diz Michael Paget

Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D’Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online