Resenha - Damned, Damned, Damned - Damned

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Damned, Damned, Damned - Damned


  | Comentários:

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

Imagem
O Sex Pistols é inquestionavelmente a primeira banda punk a surgir, mas, apesar disso, foi The Damned quem primeiro lançou um compacto e um disco em um rock frenético reconhecido como punk. O compacto é “New Rose” (James) / “Help!”(Lennon-McCartney), lançado em outubro de 1976. Quatro meses depois, outro compacto, “Neat, Neat, Neat”(James) / “Stab Your Back” (Scabies) e este disco, Damned, Damned, Damned, chegavam às poucas lojas que aceitam material punk de gravadora independente.

Com Brian James na guitarra , Rat Scabies na bateria, Captain Sensible no baixo e Dave Vanian nos vocais, The Damned criaram um testamento à algazarra e anarquia. Um completo desrespeito por convenções começa pela capa, onde temos uma foto dos quatro membros cobertos pelas reminiscências de uma autêntica guerra de tortas, no melhor estilo cinema-pastelão. Aliás, esta é uma das características do Damned, a de ser o mais criançola e impertinente possível. Na contra-capa, temos uma foto da banda no palco, onde podemos observar o bumbo do Scabies todo rabiscado e Captain Sensible vestido com um uniforme de empregada doméstica (saínha azul e avental branco), enquanto a banda destrincha velozmente alguns dos seus números. Aqueles que conseguiram acompanhá-los à época devem ter se espantado ao admirar o vinil, em sua primeira prensagem, onde o selo da Stiff Records está artisticamente desenhado para parecer que está todo estilhaçado e rasgado. Pura molecagem.

A anarquia e presença de palco, tão cruciais a essa banda atomicamente energizada, foram muito bem transportadas para o estúdio e captadas pelo produtor Nick Lowe. O disco começa com "Neat, Neat, Neat", em uma linha de baixo seguida por um caixote de som. Muita energia e velocidade, além de um solo agressivo de James. O pique cai na música seguinte, "Fan Club", que ironiza a idéia de existir groupies a mercê de qualquer banda.

Waiting for my autograph,
Aguardando por meu autógrafo
well you must be mad
você deve estar louca
Standing in the pissing rain, must be a drag
Em pé na chuva de mijo, deve ser um saco
That's what you want to do and I won't say no
É o que você quer fazer então não vou te negar
Well she wants me, see me after the show
Se quiser me ver depois do show

Well here I am
Bem, aqui estou eu
I'm just another one night stand
Sou apenas mais um para uma noite
Anyway I don't know why I'm sad
Não sei porque eu estou triste
From my fan clubÉ do meu fã clube

Seguem dois petardos atômicos. O primeiro, "I Fall", que olha para as tentações do mundo e conclui - I fall (eu caio) - e depois "Born To Kill". "Stab Your Back" começa com a bateria passando por uma caixa Leslie, na única composição de Scabies. A banda executa a canção com velocidade e fúria psicótica, tanto que a canção acaba com 58 segundos. As coisas acalmam um pouco com "Feel The Pain", onde a banda abre espaço para Vanian explorar um pouco sua voz mais cadavérica e assim lembrar algo do teatro de horrores tão característico à obra de Alice Cooper.

Passamos então para o outro lado (lembrem que em 1977 sequer existiam computadores caseiros, quanto mais gravações digitais) e o disco começa com "New Rose", obra-prima de Brian James. A canção celebra a vinda do movimento punk com a metáfora de uma nova rosa.

I got a feeling inside of me
Tenho uma sensação dentro de mim
It's kind of strange, I can strongly see
Posso perceber que é meio estranho
I don't why, I don't know why
Eu não sei porque, eu não sei porque
I guess these things have gotta be
Essas coisas simplesmente acontecem
I got a new rose, I've got it good
Tenho uma nova rosa, para valer
Guess I knew that I always would
Suponho que sempre soube que eu poderia ter
I can't stop to mess around
Não posso parar e ficar de bagunça
I got a brand new rose in town
Eu tenho uma nova rosa na cidade

See the sun, see the sunny skies
Veja o sol, veja o céu ensolarado
Don't get too close or it'll burn your eyes
Não chegue perto demais ou queimará sua vista
Don't you run away that way
Não vá fugindo assim
You can't come back another day
Não poderás voltar outro dia
I got a new rose, I've got it good
Tenho uma nova rosa, para valer
Guess I knew that I always would
Suponho que sempre soube que eu poderia ter
I can't stop to mess around
Não posso parar e ficar de bagunça
I got a brand new rose in town
Eu tenho uma nova rosa na cidade

I never thought this could happen to me
Jamais pensei que poderia acontecer comigo
I feel so strange, oh why should it be?
Me sinto tão estranho, porque será?
I don't deserve somebody this great
Eu não mereço, alguém tão maravilhoso
I better go or it'll be too late!
Melhor eu ir antes que seja tarde demais!

Scabies, com sua bateria extremamente esporrenta, e James com sua guitarra ácida e furiosa acertam o tom para o final da década de 70. "Fish" traz de volta o aspecto mais moleque e travesso das letras da banda. Conta a história de uma meretriz da vizinhança que vive dando bola. Mas o narrador, embora solitário, está desconfiado e logo avisa:

When you're kind of cold
Quando se está com frio
you need something hot to hold
você precisa de algo quente para segurar
But I'll only lay with you
Mas eu só vou me deitar com você
If you promise you don't smell like fish
se prometer que não fede como peixe
I said fish!
Eu disse peixe!

Sensible mostra aqui, e melhor, sua capacidade como baixista e James oferece o solo mais rock’n'roll do álbum. O tema é um trem lotado e dura um minuto e meio... pronto, o estrago está feito. Segue a demolição de princípios com "See Her Tonight", "1 Of The 2" e "So Messed Up", que com quase dois minutos inclui um final falso. O disco termina com um cover do clássico dos Stooges, "1970", mais conhecido como "I Feel Alright". A versão perde em peso para o original, mas não em energia. Diria até que a versão do Damned é também um clássico, com seu final de quase um minuto e meio, com a banda tocando a maior zorra, entre bateria pirando no tempo e depois nos pratos, o guitarrista chicoteando acordes dissonantes e o baixista e o vocalista esgoelando, histéricos. Quando tudo acalma, ainda assim Scabies está com as baquetas batucando no aro de sua caixa.

Basicamente "Damned, Damned, Damned" é um disco de uma banda que quer tocar seu rock, e o resto que se dane. Eles deixam a retórica para os teóricos. Sensible ainda passaria para a guitarra em futuros discos e mostraria talento tanto no instrumento como em suas composições. Neste seu álbum de estréia, ele deixa a frente para os demais. Vanian começou bem mas ainda iria crescer muito na banda, e é seguramente um dos poucos, se não o único vocalista punk que pode se considerar um cantor propriamente dito. Sua voz e seu controle sobre ela seriam ainda melhor testados nos futuros trabalhos. Rat Scabies mostra nestas gravações todo seu incrível senso de tempo e como preenchê-lo, o que lhe permite tantas acrobacias e brincadeiras, especialmente no palco, rendendo-lhe diversas comparações ao lendário Keith Moon, então ainda vivo.

Porém, mais do que qualquer outro membro, o disco atesta a capacidade artística de Brian James, mentor inicial da banda e compositor de dez das doze faixas. Através dos anos, críticos e estudiosos têm colocado Brian James entre os dez nomes mais importantes para o surgimento do punk. Certamente este trabalho capta seu ápice registrado. Nenhum de seus trabalhos posteriores lhe traria reconhecimento igual. A banda com James na formação duraria até fevereiro de 1978. Juntos, porém, promovendo a liberação de seus instintos mais infantis e lhes permitindo voltar a ser crianças, maravilharam o público que pode ver e ouvi-los ao vivo no processo. É difícil ouvir este disco sem dançar, suar e sorrir.

Track List
Neat Neat Neat (James)
Fan Club (James)
I Fall (James)
Born to Kill (James)
Stab Your Back (Scabies)
Feel the Pain (James)
New Rose (James)
Fish (James/Thanx Tony)
See Her Tonite (James)
1 of the 2 (James)
So Messed Up (James)
I Feel Alright (Stooges)

Formação
Brian James – Guitarrra e Vocal
Captain Sensible - Baixo e Guitarra
Rat Scabies - Bateria
Dave Vanian - Vocal

Produzido por Nick Lowe

Gravadora: Stiff Records

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs
Todas as matérias sobre "Damned"

Damned: excentricidade e fúria no terceiro álbum do grupo
The Damned: tarde de autógrafos na London Calling
The Damned: Dave Vanian, o vampiro do punk
Em 24/04/1955: Nasce Ray Burns aka Captain Sensible (Damned)
Em 18/02/1961: Nasce Brian James (Damned)
Wallpapers (Papéis de Parede) Damned
Damned
Campanha The Damned no RJ
The Damned pode se apresentar em nosso país
The Damned ganha compilação de raridades e inéditas
Damned lança DVD de show com formação clássica
Box set compila clássicos e raridades do Punk setentista
The Damned em projeto com Lemmy Kilmister
Resenha - Damned, Damned, Damned - Damned

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas