Candlemass: a história e as curiosidades do álbum de 2005

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Candlemass: a história e as curiosidades do álbum de 2005


  | Comentários:

Após a separação da formação clássica, antes de gravar o álbum “Chapter VI”, o Candlemass enfrentou um período de grande instabilidade. Foram lançados três álbuns no período e nos dois últimos, Leif Edling era o único membro da formação clássica a permanecer na banda. Em baixa tanto em popularidade quanto comercialmente, o futuro era incerto. Não havia nada planejado e o Candlemass entrou em estado de hibernação.

Imagem

As coisas começaram a mudar quando álbuns como “Epicus Doomicus Metallicus” e “Nightfall”, começaram a aparecer nas famosas listas de melhores álbuns de metal do milênio de diversas publicações européias, mostrando que a banda ainda era muito popular. Toda essa repercussão despertou o interesse do recém-criado selo Powerline Records, que decidiu relançar os primeiros álbuns da banda em edições duplas, incluíndo shows, demos e entrevistas como bônus. Leif passou a pesquisar em seus arquivos o material que seria aproveitado nas reedições. Até aquele momento ele era contra uma possível reunião, mas ouvir todo o material antigo começou a fazê-lo mudar de ideia. Um convite para uma apresentação no “Sweeden Rock Festival” em 2002 foi crucial para que a formação clássica se reunisse. Leif entrou em contato com os outros integrantes e um encontro em uma pizzaria de Estocolmo selou a volta do Candlemass.

Uma das reinvidicações de Messiah Marcolin para voltar à banda era que tivessem uma estrutura melhor, principalmente no que diz respeito às condições de viagem e hospedagem durante as turnês. Para resolver o problema, a banda entrou em contato com o empresário Ole Bang (Mercyful Fate/King Diamond). Ole teve êxito em agendar shows nos mais conhecidos festivais europeus, incluíndo “Wacken”, “Bang Your Head” e outros. A turnê de reunião, que no começo se resumia a uma ou duas apresentações para promover os relançamentos dos primeiros álbuns, acabou durando um ano. Com a ótima repercussão de sua volta aos palcos, a banda lançou o álbum ao vivo “Doomed For Live” e o Dvd “Documents Of Doom” com um show gravado em 1990 e trechos de apresentações antigas e da reunião, além de cenas de bastidores. Em novembro de 2003 é lançado o Dvd “The Curse Of Candlemass”, com o último show da turnê, gravado em Estocolmo.

Imagem

Com o fim da turnê, os fãs e a imprensa musical naturalmente começaram a questionar a banda sobre um possível novo álbum de estúdio. Antes de anunciar sua volta, eles já haviam declarado que não pretendiam gravar um novo álbum. Os integrantes passam a cuidar de seus projetos pessoais. Leif, junto com Mats Léven e integrantes do Entombed gravam o primeiro álbum de sua nova banda o “Krux”, lançado em 2003. Mats, forma a banda “C.r.a.n.k.”, enquanto Lars e Jan Lindh formam a banda “Creozoth”. Um comunicado no site oficial do Candlemass em maio de 2004 anuncia o fim de suas atividades e qualquer possibilidade de gravarem um novo álbum de estúdio parecia improvável.

Durante o verão de 2004, Leif começa a escrever músicas e gravar demos, mostrando-as para o guitarrista Mats Bjorkman. Empolgados com as composições Mats e Leif concordam que seria um desperdício não gravá-las. Várias conversas foram trocadas entre os integrantes através de e-mail, sem que chegassem a um acordo. Não havia consenso quanto à escolha do estúdio, divisão do dinheiro, gravadora e outras questões. Em várias entrevistas Messiah reconhece que essas conversas sempre complicavam a situação, já que por e-mail você nunca sabe o tom que a pessoa usa nas suas mensagens e isso pode causar discórdia principalmente quando se fala em questões financeiras. A situação seguia sem definição até o casamento de Mats Bjorkman, onde todos se encontraram e conversaram pessoalmente pela primeira vez desde o fim da turnê em 2003. Durante a festa a banda sobe ao palco para tocar “Samarithan” e “Solitude” e ainda que houvesse questões pendentes decidem gravar um novo álbum.

A banda começa a ensaiar e gravar demos que seriam enviadas a diversas gravadoras. Embora houvesse interesse de alguns selos, nenhum contrato foi assinado, mesmo assim decidem agendar a gravação do álbum para o final de novembro. Mats Bjorkman hipoteca sua casa para financiar as gravações. Em meio às incertezas quanto à participação de Messiah Marcolin, a banda continua a gravar demos em busca de uma gravadora. Dessas sessões uma versão para “Witches” foi gravada pelo ex-vocalista do Black Sabbath, Tony Martin. Tony gravou sua demo quando a banda estava prestes a gravar o álbum e naturalmente sua participação gerou diversos rumores dando conta que ele seria o vocalista do novo álbum. Sempre que questionado a respeito, Leif nega que houvesse a intenção de substituir Messiah por Tony, mas o fato é que a banda deu um ultimato a Messiah, comunicando-o que o álbum seria gravado com ou sem a sua participação. Diante de todos os rumores e temendo que eles fossem verdadeiros, Messiah confirma sua participação.

No final de novembro a banda entra no Polar Studios em Estocolmo, para gravar seu primeiro álbum de estúdio com a formação clássica, desde “Tales Of Creation” em 1989. Com o repertório já escolhido e ensaiado a banda levou menos de duas semanas para gravá-lo. Gravaram primeiro a bateria e o baixo e foram adicionando os outros instrumentos posteriormente. As faixas seguem a mesma sequência em que elas aparecem no álbum e na maioria das vezes gravando-as na primeira tentativa.

Em janeiro de 2005 o álbum é mixado e a banda assina com a Nuclear Blast um contrato para a gravação de três álbuns. Em maio o álbum é lançado e recebe ótimas críticas por parte do fãs e da imprensa musical. Ganham o Grammy sueco e saem em turnê pela Europa e América do Sul, incluindo sua primeira apresentação no Brasil em 2006.

Com todo o sucesso do álbum e da turnê para promovê-lo, a banda começou a se preparar para gravar um novo álbum. Mas uma nova novela a respeito da participação de Messiah Marcolin implodiu a banda mais uma vez. A novela se arrastou por um bom tempo até que a banda dispensou o vocalista, através de um comunicado no site oficial.

Black Dwarf

Black Dwarf é uma crítica às manchetes dos jornais, tablóides e a mídia de fofoca de uma forma geral, capaz de fabricar heróis e vilões conforme seus interesses. Nela Leif compara a imprensa à Astaroth, um demônio representado como um homem nu com asas, mãos, pés de dragão e um segundo par de asas com plumas, abaixo das asas principais, cavalgando um cachorro ou lobo enquanto usa uma coroa e carrega uma serpente nas mãos. É considerado por muitos demonologistas como o príncipe dos acusadores e inquisitores.

Foi gravado um vídeo promocional, lançado como bônus do Dvd “The Curse Of Candlemass”. Nele a banda toca à frente de um enorme banner, formado por vários jornais, enquanto são mostradas várias manchetes.

No box “Doomology” temos uma demo gravada por Messiah Marcolin, com uma versão um pouco mais lenta que a versão final e com pequenas mudanças na letra. Outra versão do box contém uma demo em sua fase inicial, com Mats Léven nos vocais.

Seven Silver Keys

Fala de alguém que se encontra em um estado de isolamento e depressão. Embora queira se libertar de sua condição, a pessoa não consegue se livrar da prisão interior que ela mesmo criou. Fala da guerra interna que a pessoa trava, para superar seus medos e abrir as “portas” da sua prisão e realizar seus sonhos.

Assassin Of Light

Uma das faixas enviadas para diversas gravadoras enquanto a banda buscava um contrato para gravar o álbum. A demo enviada é uma versão praticamente idêntica à versão gravada no álbum.

Copernicus

Nicolau Copérnico foi um astrônomo e matemático polonês que desenvolveu a teoria heliocêntrica que colocava o Sol como o centro do sistema Solar, contrariando a teoria aceita na época, a do geocentrismo que colocava a Terra como o centro do universo. Sua teoria foi assimilada e melhorada por cientistas renomados e que fariam parte da história como Galileu e Kepler. A teoria do heliocentrismo estabeleceu o rompimento entre o pensamento dogmático religioso e o pensamento científico.

Em uma entrevista para um web zine, Messiah Marcolin disse que a letra da música fala sobre os reality shows, tão populares nas redes de TV nos últimos tempos. Mas a pergunta que surge é, qual a relação de Copérnico com o tema da letra? O Copérnico da letra se refere aos telespectadores desse tipo de programa. Aqueles que observam as “estrelas” de hoje. É uma crítica à alienação e a futilidade das pessoas na atualidade. Como diz a letra “Hoje as estrelas são para os tolos e a vaidade”.

The Man Who Fell From The Sky

Faixa instrumental. Surgiu a partir de um riff extraído das primeiras versões de “Born In A Tank”, não aproveitado na versão final dela.

Witches

Em meio à indefinição quanto a volta de Messiah, a banda gravou algumas demos, dentre elas “Witches”, que contou com a participação de Tony Martin do Black Sabbath nos vocais. Tony trabalhou com a banda em três faixas, mas achou que as músicas não se adaptavam a seu estilo. A participação de Tony, pode ser conferida no box “Doomology” e na apresentação ao vivo em comemoração ao vigésimo aniversário do Candlemass, lançada em Dvd. Doogie White, vocalista do Rainbow em “Stranger In Us All” e outras bandas, também gravou uma demo para a faixa, mas as circunstâncias de sua participação são desconhecidas.

Born In A Tank

A letra fala de um garoto que foi criado por seus pais em um abrigo, para protegê-lo dos males do mundo. Em determinado momento o garoto assustado ouve alguém gritar e bater à sua porta, quando se dá conta de que tudo não passou de um sonho, o garoto volta a viver em segurança dentro do mundo que foi criado para ele por seus pais.

A letra gerou várias especulações por parte dos fãs, uma delas é que ela seria uma metáfora para se referir à pessoas alienadas. Que vivem no seu próprio mundo sem se importar com o que acontece à sua volta.

A demo do box “Doomology” é muito diferente da versão final. É curioso ver como a canção se desenvolveu até chegar a versão final. Ela tinha uma introdução seguida pelo riff que se transformou na base da versão final e o riff que mais tarde deu origem à faixa instrumental “The Man Who Fell From The Sky” e uma parte mais lenta na metade da canção, com uma letra bem diferente daquela gravada no álbum.

Spellbreaker

As demos com Mats Léven e Messiah nos vocais, mostram poucas diferenças para a versão final. Basicamente a banda acelerou levemente a parte instrumental, enquanto as maiores mudanças ocorreram nas letras.

The Day And The Night

A canção mais longa do álbum, alternando passagens lentas e outras mais rápidas. Mats Bjorkman gravou a base da canção e foi embora para casa, quando o restante da banda verificou a gravação, perceberam que ainda faltava algumas partes. Como era o último dia agendado no estúdio e Mats morava longe, Lars Johansson teve que improvisar para gravar a guitarra base da faixa.

Mars And Volcanos

Faixa bônus da versão em Vinil e digipack do Cd.

Fonte(s):

archive.classicrockmagazine.com/view/july-2005/15/candlemass
http://www.themetalcircus.com/entrevista.php?id=245
U-zine.org
http://www.themetalcircus.com/entrevista.php?id=240
http://www.getreadytorock.com/pure_metal/candlemass_intervie...
blabbermouth.net
metal-rules.com
Roadie Crew nº 50, Ano 5 – Março de 2003.
Roadie Crew nº 76, Ano 8 – Maio de 2005.
Rock Brigade nº 227, Ano 24 – Junho de 2005.
http://www.vs-webzine.com
The metal circus
Wikipedia
http://www.last.fm/music/Candlemass/+wiki

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Matérias e Biografias
Todas as matérias sobre "Candlemass"

Avatarium: Inspiração e conhecimento de causa
Candlemass: As curiosidades de "King Of The Grey Islands"
Candlemass: vídeo de Thomas Vilkstrpm cantando Nessun Dorma
Candlemass: o lado punk em Sjunger Sigge Fürs
1986: O ano definitivo da música pesada
Candlemass: o maior nome do Doom em entrevista para o Brasil
Candlemass: a história e as curiosidades do álbum de 2005
Candlemass: A história e as curiosidades de "From the 13 th Sun"
Candlemass: a história e as curiosidades de "Dactylis Glomerata"
Candlemass: a histórias e as curiosidades de Chapter VI
Candlemass: vídeos com Mats Léven nos vocais
Candlemass: história e as curiosidades de Tales Of Creation
Candlemass: A história e as curiosidades de Ancient Dreams
Candlemass: A história e as curiosidades de "Nightfall"
Candlemass: A história e as curiosidades do primeiro álbum

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Alcides S. Maia Júnior

Conheceu o rock ainda moleque através do futebol, ao escutar We Are The Champions do Queen, a partir daí foi conhecendo diversas bandas clássicas como Black Sabbath, Deep Purple, Pink Floyd, Led Zeppelin, Rainbow, Judas Priest, Iron Maiden, Candlemass, entre outras.

Mais matérias de Alcides S. Maia Júnior no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas