As Diversas Sessões de Jimmy Page

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

As Diversas Sessões de Jimmy Page


  | Comentários:

Na Inglaterra, o rock só ganhou respeitabilidade internacional a partir do surgimento dos Beatles no ano de 1963. Em Londres surgiram três guitarristas que são considerados até hoje os mais representativos e imitados das décadas de sessenta e setenta, exceção feita ao americano Jimi Hendrix, que por sinal foi primeiro apreciado em Londres e depois exportado de volta para a América. Estes três ingleses são Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page. Dos três, sem sombra de dúvida, o mais eclético e prolífico é Jimmy Page.

Índice das partes desta matéria

Introdução

Imagem
No início da década de sessenta na Inglaterra praticamente só haviam dois guitarristas profissionais de confiança para cuidar de rock 'n' roll. Eram eles 'Big' Jim Sullivan e 'Little' Jim Page. Algumas estatísticas dão uma estimativa de que os dois dividiram entre si entre 60% e 90% de tudo que foi produzido pelos estúdios londrinos entre 1963 e 66. Creio que estas estimativas estejam exageradas, no entanto, são facilitados pelo fato de não haverem registros bem documentados sobre as participações de quais músicos em quais sessões.

O público, em última análise, deveria acreditar que os músicos da banda em questão, aqueles que aparecem na capa do disco, são os que se ouvem tocando. Dependendo muitas vezes exclusivamente da memória de técnicos e outros profissionais participantes das referidas sessões, o número de gravações em que Jimmy Page tenha participado é literalmente incontável, e nem ele mesmo sabe ao certo de todas.

Músicos de Estúdio

Através dos anos, em parte por causa da fama de Page, tem se procurando saber mais informação sobre esses músicos anônimos que efetivamente gravavam os discos de alguns de seus artístas prediletos, embora não aparecessem na capa ou nos créditos. Geralmente este trabalho era feito por músicos de jazz que viam no pop e no rock como um tipo de música inferior. Porém, em Londres no inicio da década de sessenta, surgia uma geração diferente, feita por músicos que idolatravam a música a partir de Elvis Presley.

De todos, certamente o mais valorizado e tido como o grande ás da guitarra elétrica é Jim Sullivan. Foi com Marty Wilde & The Wild Cats que ele surgiu em maio de 1959. Outros dois integrantes do The Wild Cats, que reverteriam suas carreiras para o trabalho de estúdio são Licorice Locking e Brian Bennett, respectivamente baixo e bateria.

John Paul Jones, 1967
Outros músicos que tiveram uma considerável carga de trabalho na década de sessenta são Clem Cattini, baterista da segunda e melhor formação do grupo Johnny Kidd & the Pirates, além de integrante do The Tornadoes; Bobby Graham, baterista do Joe Brown & the Bruvvers e com passagem tambem pelo The Outlaws; Nicky Hopkins, pianista original de Screaming Lord Sutch & The Savages mas que ficou mais conhecido durante sua fase na banda Cyril Davies & The All Stars. E pela janela, veio o baixista e aprendiz de arranjador John Paul Jones, que fez amizade com Mickie Most e acabou aprovado e utilizado por Most em um cem número de sessões a partir de 1964. Como adendo, tem também o guitarrista Ritchie Blackmore, integrante de outra formação dos Outlaws, que embora tenha sido o profissional menos requisitado desta lista, ainda assim teve sua cota de trabalho de estúdio.

Jimmy Page comentaria que dentro do esquema da época, quando se gravava uma banda que era de fato aproveitada para o disco, eles ainda assim teriam o costume de chamar um baterista e um guitarrista como garantia. Com certeza os titulares desta dupla de guitarra e bateria eram Jim Sullivan e Clam Cattini. Os outros dois mais requisitados eram Jimmy Page e Bobby Graham.

Produtores

Apesar de Jimmy Page ter trabalhando com vários produtores diferentes, existem quatro nomes que precisam ser destacados. O primeiro deles é Joe Meek, produtor e empresário que infelizmente faleceu cedo (1966) e acabou tornando-se uma pequena lenda da era do rock mais ingênuo. Meek foi um dos primeiros a sistematicamente optar pelos serviços do novato Jimmy Page. Em 1963 surgia na cena inglesa o americano Shel Talmy, que igualmente adotou Jimmy Page para uma boa parcela das sessões com o qual ele tenha sido envolvido. Depois temos Mickie Most, que de artísta se tornou um dos mais famosos empresário/produtor da década. Por último temos Andrew Loog Oldham que depois de deixar a Decca no verão de 1965, fundou a gravadora Immediate Records e conferiu para Jimmy Page o importante cargo de produtor artístico. Estas informações nos ajudam a rastrear várias de suas participações junto ao catalogo da Immediate. Contudo, Jimmy trabalhava também para vários outros produtores e artistas durante o mesmo período em que estava ligado a aquela gravadora.

A Segunda Metade da Década

A partir de junho de 1966, Jimmy Page iniciou o seu envolvimento como integrante do grupo The Yardbirds. Isto apenas o fez diminuir sua carga de trabalho como músico de estúdio, mas não a extinguiu. Como podem perceber, torna-se praticamente impossível determinar e mapear com certeza inquestionável todas as sessões com sua participação. O trabalho fica ainda mais hercúleo se incluirmos ao caldeirão suas participações em jingles comerciais e material muzak. Page, como todo bom profissional, nunca recusou um trabalho se o salário pago no final fosse bom. Méritos artísticos do produto gravado nunca foi uma preocupação sua. O que lhe interessava era apenas a qualidade de sua execução. E nisso, a fama de Jimmy Page era impecável, capaz de conseguir a versão perfeita logo no primeiro ou segundo 'take.'

Imagem
Embora a tendência tenha sido de sempre associa-lo com os solos de guitarra, na grande maioria dos casos Page está tocando apenas guitarra ou violão rítmico. Em seu primeiro ano de carreira, Little Jim Page aprendeu muito com Big Jim Sullivan, quem realmente solava na maioria dos discos produzidos na Inglaterra durante a década de sessenta. Foi Sullivan também quem ensinou Page a ler partitura, uma necessidade para a profissão no qual Page era visivelmente fraco, porém compensava com muita técnica e intuição em suas escolhas de notas. Em alguns casos Page estaria tocando o baixo elétrico ou a gaita de boca. Em outros, ele é responsável apenas pela produção da sessão, sem participar como músico. Evidentemente existem também as faixas onde Jimmy Page está realmente cuidando dos solos.

Por falta de registros exatos, podem haver músicas constando nesta lista onde a participação de Jimmy Page se limita aos arranjos ou à produção sem este fato ser apontado no texto. Álbuns serão mencionados em itálico. Esta lista de maneira alguma tem a pretensão de ser considerada completa. Se você tiver informações complementares sobre alguma participação de Jimmy Page em uma gravação de estúdio que não consta nesta lista, por favor escreva para [email protected]. No email, deve constar o nome do artísta e o nome da musica. Informações adicionais (como mês, ano, álbum, etc.) serão bem vindos.

O Começo

Bem, se é impossível saber ao certo todas as sessões em que Page tenha participado, mais impossível ainda seria poder informá-las em ordem. Versões variam sutilmente mas basicamente Jimmy Page tocava desde 1959 em uma banda de seu bairro em Epsom, com aparições regulares no Epsom Dance Hall, geralmente abrindo para a banda principal da noite. Parece que foi a namorada de Christopher Tidmarsh, então motorista de uma banda chamado Red E. Lewis Rock 'n' Roll Band, que lhe falou deste menino na guitarra que seria inacreditável.

Christopher foi vê-lo e após o seu set, que naquela noite abria para Johnny Kidd & the Pirates, chamou o então menino de apenas 15 anos de idade para excursionar pelo o país como guitarrista do Red E. Lewis Rock 'n' Roll Band. Depois de receber o consentimento dos pais, Page começa sua carreira profissional excursionando por boa parte da Inglaterra em uma van com a banda. Em determinado momento o vocalista Red E. Lewis foi demitido e Christopher Tidmarsh assume o posto, agora utilizando o nome artístico Neil Christian.

A banda igualmente mudou de nome, nascendo assim Neil Christian & the Crusaders. Jimmy Page no final de 1960, desnutrido e com febre glandular, desiste da vida de músico e passa dois anos estudando desenho em Art College. No entanto, Page durante este tempo transforma a sala de estar de sua casa em um pequeno estúdio de ensaio onde aos domingos, vários amigos aparecem para tocar com ele. Entre esses, Jeff Beck e Glyn Johns. Depois, em 1962, passaria a frequentar o Marquee Club nas noites que apresentava Cyril Davies & His All Stars. Entre sets, Jimmy Page e três outros garotos se juntavam e tocavam. Mais tarde, Jeff Beck tambem iria passar a participar destes encontros informais. Cyril Davies então convida Jimmy Page a entrar em sua banda mas temendo voltar a adoecer, Page recusa.

Sessões 1962

Retomando o interesse por música, Neil Christian o chama para gravar com o Neil Christian & the Crusaders no lugar de seu atual guitarrista Albert Lee, nos dois primeiros compactos da banda. Assim, Page grava "The Road To Love” e seu lado B, “Big Beat Drum”. Produzido por Joe Meek, a guitarra de Page está soterrado pela produção nos dois lados. O compacto é lançado em dezembro de 1962 pela Columbia.

Neil Christian & the Crusaders
Para o próximo, é certo a presença de Page em “Get A Load of This”, lançado em julho de 1963. Nenhuma destes compactos fizeram qualquer presença nas paradas.

Em 1964 Page voltaria a contribuir em duas canções, “Honey Hush” e “Crusading”, lançados em maio. Depois, apareceria novamente em “I Like It” lançado em abril de 1965. Em 1966, Neil Christian & the Crusaders trocam a Columbia Records pelo selo Strike, onde lançam em março o compacto “That’s Nice” e “She’s Got The Action”, última participação de Jimmy Page com Christian. “That’s Nice” acabou se tornando o grande hit na carreira de Neil Christian, chegando a No.14 na Inglaterra.

Albert Lee mais tarde viria a se tornar um exímio guitarrista de aluguel, trabalhando ainda na década de sessenta para as bandas de Chris Farlowe e Joe Cocker. Se a banda de 1962 tinha na guitarra Albert Lee, na sessão de 1965, o guitarrista dos Crusaders era um jovem chamado Mick Abrahams que dentro de mais alguns anos ajudaria a formar Jethro Tull e Blodwyn Pig. Neil Christian, percebendo que fazia mais sucesso na Alemanha, acabaria se mudando para lá de vez em 1967, indo inicialmente com uma banda que incluía Ritchie Blackmore, Ricky Brown e Carlo Little, todos ex-membros da banda The Savages.

O guitarrista amador e engenheiro de som profissional Glyn Johns já conhecia Page por freqüentar seu bairro de Epsom e participar de suas domingueiras de som na casa de Page. Por volta de dezembro de 1962, Glyn convida Jimmy para passar no estúdio onde ele trabalhava. Lá, Glyn apresenta Jimmy a Mike Leander que acabou escalando ele para a sessão de Carter-Lewis & the Southerners, formada pelo duo de compositores John Carter e Ken Lewis. Algumas fontes informam que Page gravaria “Who Told You?” e “Sweet & Tender Romance.” No entanto, outras afirmam categoricamente que a sessão que produziu essas duas canções ficara a cargo de Jim Sullivan. No entanto, ainda em dezembro, Page grava para Carter-Lewis & the Southerners as faixas “Your Momma’s Out of Town.” e “Somebody Told My Girl”.

“Your Momma’s Out of Town” seria lançado apenas em outubro de 1963, surpreendendo muito por chegar a No.1. Page havia no início do ano feito o mesmo feito para a dupla Tony Meehan e Jet Harris, sessão do qual mencionarei em seguida. O fato de Jimmy Page ter conseguido dois hits, fez com que ele passasse a ser visto pelo meio como um cara que dá sorte para as músicas em que participa. A partir de então os convites começaram a chover.

John Carter, Ken Lewis, Viv Prince e Jimmy Page
Para Carter-Lewis & the Southerners, Jimmy Page participaria ainda de mais algumas gravações. Em agosto de 1963, sai “Skinny Minnie” que tem Page e também pontuaria bem nas paradas de sucesso. Além de compositores, John Carter e Ken Lewis acabariam tornando-se prestigiosos cantores de estúdio formando The Ivy League em 1964. The Ivy League apesar de ter seus próprios lançamentos é mais lembrado por participarem nos vocais de fundo e coro em todos os primeiros discos do The Who.

Mike Leander então apresenta Page para Jet Harris e Tony Meehan, dois renomados músicos, ex-membros da banda The Shadows. Este é considerado em muitos lugares como a primeira sessão de estúdio de Jimmy Page, e de fato é o primeiro em que ele trabalhou com músicos inteiramente profissionais. Embora Page ainda não lesse partitura, sua técnica impressionou o suficiente para este defeito se tornar irrelevante. Page na guitarra estava maravilhado por estar tocando em uma banda montado por duas lendas vivas do rock inglês, Jet Harris e Tony Meehan, respectivamente o ex-baixista e ex-baterista dos Shadows.

Imagem
O resultado foi o instrumental “Diamonds” que se tornaria um hit inglês, chegando a No.1 nas paradas de sucesso. A dupla Meehan e Harris voltariam a trabalhar juntos com sucesso até meados de 1963 quando um acidente automobilístico denegriu consideravelmente a saúde de Harris. Tony Meehan voltaria a trabalhar em promoção de bandas na Decca, função que ele exerceu quando primeiro saiu dos Shadows. Jet Harris depois de recuperado voltaria a gravar e tocar ao vivo, formando a banda Jet Harris & the Diamonds.

Sessões 1963

Mickie Most
Com 1963 caminhando em toda sua lucrativa glória, Jimmy grava para uma banda chamada Mickie Most & The Most Brothers. Este é o mesmo Mickie Most que mais tarde viria a se tornar um dos mais importantes produtores da Inglaterra, galgando sucessos para bandas como Herman’s Hermits, Lulu & The Luvvers e Donovan. Porém, entre 1962 e 63, ainda tentando fazer sua carreira como músico lucrar, ele grava com o auxilio do guitarrista Jimmy Page algumas faixas sob uma variação de nomes que vão desde apenas o mais sucinto, Mickie Most para o curioso Mickie Most & The Gear.

Como Mickie Most & The Most Brothers, é lançado em maio de 1963 “Mr Porter” e “Yes Indeed I Do”. Embora Page seja muitas vezes creditado por participar do compacto seguinte, “The Feminine Look” e “Shame On You Boy”, este na verdade é o trabalho de Jim Sullivan. Como Mickie Most, é a vez de “Sea Cruise” e “It's A Little Bit Hot” lançado em dezembro daquele mesmo ano. Seu último compacto sai em março de 1964, com o nome de Mickie Most & The Gear. As faixas são “Money Honey” e “That's Alright.” Todos esses lançamentos contam com a participação de Jimmy Page na guitarra. É provável que a gaita em “That’s Alright” seja tambem de Page. Em um artigo datado de 1965, Jimmy Page teria comentado que o solo em “Money Honey” era o seu favorito até então.

Ainda tem a canção “Night Comes Down” que embora gravada nessa ocasião, acabou ficando de fora e arquivada. O riff desta canção seria reaproveitado por Page na composição “How Many More Times”, repertório do Led Zeppelin. Ambas tem como fonte original o riff da canção “Come Back Home” de Howlin’ Wolf.

Mickie Most se tornaria um importante produtor e empresário ao "descobrir" atrações como The Nashville Teens e depois, The Animals. Durante estas sessões para o seu trabalho solo, Most e Page travam uma boa amizade rendendo muito trabalho ao guitarrista quando a carreira do produtor deslancha. Eles se desentenderiam porém em 1967, durante o periodo em que Most cuidava da carreira dos The Yardbirds. Mickie Most fundaria seu próprio selo, RAK em 1969. Sua antiga banda The Most Brothers continha também Alex Murray entre seus integrantes, que se tornaria produtor dos Moody Blues.

Imagem
Brian Poole And The Tremoloes é uma banda de Dagenham, Essex que foi formada em 1959 por três colegas de escola, Brian Poole (vocais), Alan Blakely (guitarra e vocais) e Alan Howard (baixo). Dave Munden (bateria e vocais) e por último Rick Westwood (guitarra) completariam o quinteto.

Em 1962 fizeram um teste para Decca que lhes rendeu seu primeiro contrato. Essa é a banda que Mike Smith preferiu contratar no lugar dos Beatles. Em 1963, Jimmy Page contribuiu na versão da banda para “Twist And Shout”, a Decca aproveitando do fato que a versão dos Beatles, embora estando no LP, ainda não havia saído em compacto. No ano seguinte, para o sétimo compacto da banda, a canção “Candy Man” um lado B esquecido de Roy Orbson, voltou a contar com a guitarra de Jimmy Page. O compacto chegou a No.6 nas paradas britânicas. Em 1966, Brian Poole e The Tremoloes se separaram, cada um seguindo suas carreiras, ambos com relativo sucesso.

Brian Howard and The Silhouettes é uma banda de Mitcham em Surrey. Com o que conseguiu produzir entre 1962 e 1964, a média é de um compacto por ano. Jimmy Page participa apenas do segundo,“The Worryin’ Kind” e “Come To Me”, lançado em junho de 1963, pela Columbia. A banda é melhor lembrado pelo sua versão de “Back In The U.S.A” de Chuck Berry, seu último lançamento antes de desaparecerem.

Page gravou em 1963 a canção “Don't You Dig This Kinda Beat”, lado B do único compacto da banda Chris Ravel & the Ravers. Chris Ravel depois seguiu uma carreira relativamente bem sucedida como compositor, usando seu verdadeiro nome Chris Andrews. Ele havia sido ator quando criança e escolhera o nome artiístico Chris Ravel para se distanciar de sua antiga imagem. Novamente como Chris Andrews, grava com o auxilio de Page, os compactos “Yesterday Man” com “Too Bad You Don`t Want Me”, lançado em setembro e “To Whom It Concerns” com “It's All Up To You Now” em novembro de 1965, ambos pela Decca. Em 1966, ele se uniria ao grupo The Fleur de Lys, que também irá receber auxilio profissional de Jimmy Page.

Já The Marauders foi uma banda de r& b de Trent formados por Danny Davis e Bryn Martin nas guitarras, Kenny Sherratt no baixo, e Barry Sargent na bateria. Seu primeiro compacto, “That's What I Want” e “Hey What'd You Say”, fez um relativo sucesso e tem a participação de Jimmy Page. Lançado pela Decca, a canção “That's What I Want” é uma composição da dupla Carrter-Lewis. The Marauders teria ainda outros dois compactos lançados pela Decca antes de migrarem para Fontana. Seu último compacto foi em 1965. Não confundir com outras seis bandas americanas chamadas de Marauders.

Já a banda de Birmingham, Pat Wayne & The Beachcombers, tem a oferecer nesta lista sua versão de "Roll Over Beethoven” segundo compacto da banda lançado pela Columbia em 1963. A banda se chamava Pat Wayne & The Rockin’ Jaymen e foi formada em 1957.

Pat Wayne & The Beachcombers
Em 1963, com o estouro da Beatlemania, caçadores de talentos inundaram as cidades do norte e do interior. Assim, acabaram contratados porém alguem da gravadora achou que o nome poderia se confundido com a banda Peter Jay & The Jaywalkers então mudaram para The Beachcombers. Formados por Pat Wayne nos vocais, Brian "Monk" Finch e Dario Capaldi no saxofone, Mal Edwards no baixo, Jeff Roberts na guitarra, e Brian Sharpe na bateria, esta banda nada tem a ver com a banda The Beachcombers de Londres que tinha Keith Moon como baterista.

Apesar de Jeff Roberts insistir que o solo seja dele, acredita-se que seja na verdade Jimmy Page. Esta versão de "Roll Over Beethoven” foi gravado no estúdio de Abbey Road e lançado antes da versão dos Beatles. A banda chegou a lançar outros compactos, todos com vendagem limitada. Pat Wayne deixou o grupo em 1964 continuando uma carreira solo igualmente obscura.

Três meninas de quinze anos de idade vencem um concurso de talentos realizado no Coventry's Orchid Ballroom em Coventry. São elas Georgina Oliver, Pamela Oliver, e Valerie Jones. Assistindo e impressionado, o empresário Larry Page as contrata, grava e depois vende a fita para a Decca. Pelo selo, chegaram a lançar três compactos enquanto ainda frequentavam o científico. Este trio ficou conhecido como The Orchids e seu primeiro compacto "Gonna Make Him Mine" com "Stay At Home," foi produzido por Shel Talmy. Como a maioria das produções Talmy, foi chamado para a sessão seus músicos de confiança, entre estes estando Jimmy Page. O segundo compacto foi o que realmente estourou na Inglaterra. Refiro-me a "Love Hit Me," com “Don’t Make Me Mad.” Este já é menos certo de ter contado com a participação de Page, embora especula-se mais que sim do que não. The Orchids continuariam até meados de 1965, fazendo discos que quem ouve jura tratar-se de um grupo de negras americanas. Não são. São brancas inglesas e seu material, embora não tenha vendido muito na época, é até hoje largamente respeitado pela qualidade.

Imagem
Outro artista descoberto pelo empresário Joe Meek foi Heinz Bert, um alemão morando em Southampton. Meek colocou Heinz inicialmente como cantor dos Outlaws e depois dos Tornados antes de arruma-lhe sua própria banda. Em agosto de 1963 ele estreava com Heinz & The Saints e depois, Heinz & The Wild Boys.

Heinz conseguiu três hits entre 1963 e 1964, todos relativamente bons rocks. The Saints funcionava como sua banda apenas ao vivo enquanto The Outlaws era aquela com quem ele gravava.

Desta maneira, durante 1963 e início de 1964, nas canções “Just Like Eddie”, “Country Boy” e “Long Tall Jack”, ouvimos Heinz nos vocais, Ken Ludgren no violão acústico, Ritchie Blackmore na guitarra rítmica, Jimmy Page na guitarra eletrica e no solo, Chas Hodges no baixo, e Mick Underwood na bateria. Todo este material foi lançado pelo selo Decca.

Em abril de 1964, já como Heinz & The Wild Boys, Heinz lançou pela Columbia o compacto cujo lado A, “Diggin' My Potatoes.” Nesta faixa, temos Heinz nos vocais, Ritchie Blackmore na guitarra rítmica, Jimmy Page na guitarra eletrica com um gargalo de garrafa para soar como uma guitarra haviana, Burr Bailey no órgão, Brian Woods no baixo e Ian Broad na bateria.

A banda acabaria no inicio de 1965 e Heinz continuaria sua carreira se apresentando no circuito de cabarés.

The Zephyrs
Jimmy gravou em cinco compactos de uma banda de Finchley chamado The Zephyrs. Seus integrantes são John Hinde no baixo e vocais, John Peeby na guitarra, Mick Lease no órgão e John Carpenter na bateria.

O material gravado entre 1963 e 1964, foi produzido por Shel Talmy. Embora Talmy e Page nada tem com o primeiro compacto da banda que saiu pela Decca, estão trabalhando juntos nos cinco compactos seguintes.

Em agosto viria a sair “I Can Tell” e “Sweet Little Baby.” Já durante o ano de 1964, foram lançados os compactos "A Little Bit Of Soap” e “No Message”, "Wonder What I'm Gonna Do” e “Let Me Love You Baby”, “She's Lost You” e “There's Something About You.” O último, já lançado em 1965, foi "I Just Can't Take It” e “She Laughed,” lançados pela Columbia.

Esta banda não deve ser confundida com outra banda chamado The Zephyrs formada em Stockton em 1956. Mais antiga, continuaram até 1966 quando mudam de nome para The Zephrons, encerrando atividades em 1969. Embora nunca gravaram um disco, participaram de diversos concursos de talentos na televisão e rádio, dos quais ganharam vários. Tampouco confunda estes com a banda americana Zephyr de Denver, Colorado formado por Tommy Bolin em 1967. Zephyr lançou alguns álbuns e encerram atividades em 1972, muito embora alguns membros tentassem reformá-la em 1977.

Houston Wells & the Marksmen é outra banda trabalhada por Joe Meek. A banda foi formado em 1959 com Norman Hull na guitarra, Pete Willsher na guitarra slide, Brian Gill no baixo e Peter Nye na bateria mais Andrew Smith nos vocais. Chamados então de Andy Smith & the Coasters, mudaram para the Marksmen por causa da fama atingida pela banda americana homônima. Quando Joe Meek os leva para a Parlophone, foi decidido que o nome Andy Smith era comum demais, tendo sido criado para ele então o nome artístico, Houston Wells.

O forte deles era o country, que os diferenciava das outras centenas de bandas da época. Em termos de vendagem, o melhor lançamento da banda foi o terceiro compacto "Only The Heartaches", lançado em agosto de 1963 e que conseguiu ficar entre as trinta mais na Inglaterra, e dez mais na Irlanda. Em novembro, lançam “Blowing Wild” com “Crazy Dreams” como seu lado B. Neste está a guitarra de Jimmy Page. The Marksmen e Houston Wells se desentendem durante o fim de uma excursão na Irlanda. Wells iria continuar a gravar para Joe Meek, com seu mercado alvo voltado para a Irlanda. Ele gravaria geralmente usando a banda The Outlaws, embora sob o nome de The Marksmen. Quanto aos Marksmen originais, Pete Willsher se tornou um dos maiores especialistas em country steel guitar do Reino Unido.

The Redcaps
Outra banda entre os menos lembrados é The Redcaps. Seus integrantes contam com o baterista Alan Morley que viria a tocar com Chicken Shack em uma de suas muitas formações. O guitarrista e vocalista Dave Walker passou por bandas como Savoy Brown, Fleedwood Mac e Black Sabbath. Seu irmão Mick Walker, baixista da banda, se tornou um conhecido comediante. Mick Blythe, o outro guitarrista, sumiu.

Produzidos por Mike Smith, com direção musical de Mike Leander, The Redcaps não ficaram felizes em descobrir que os dois haviam chamado um guitarrista profissional para tocar em seu disco. Jimmy Page é creditado pelo solo de guitarra na canção “Talkin’ ‘Bout You”, clássico de Chuck Berry, fato que Dave Walker contesta, afirmando que o solo é dele. O compacto foi lançado em novembro de 1963 pela Decca.

Existiu outra banda chamado The Redcaps entre 1958 e 1962, que eram bem mais conhecidos. Passaram o ano de 1959 servindo como banda para o já popular baladeiro Cuddley Duddley. Depois acabariam mudando de nome unindo-se ao Johnny Kidd e transformando-se na terceira encarnação dos Pirates no verão de 1961. O nome The Redcaps tem sua origem provavelmente como uma variação para The Blue Caps, a famosa banda de Gene Vincent.

Chris Sandford
Chris Sandford é mais lembrado no Reino Unido como DJ da radio pirata Radio Caroline. No entanto, seu inicio foi como ator, chegando a fazer o papel de ‘Walter Potts’ em uma representação televisiva da peça “Coronation Street.” Na história, Walter era um leiteiro que se tornou cantor pop. Sua canção na peça “Not Too Little Not Too Much,” foi lançada como compacto pela Decca em novembro de 1963 e acabou ficando entre as vinte mais tocadas das paradas. Na gravação desta canção, Jimmy Page contribui na guitarra. É incerto que o lado B, “I’m Lookin’”, também tenha a participação de Page, embora seja bastante provável.

Cyrill Davies
Certamente entre os maiores prazeres do primeiro ano de sua carreira como músico de estúdio foi poder gravar para Cyril Davies and The All Stars. Cyril Davies e Alexis Korner são os dois grandes precursores do blues inglês que juntos formaram The Blues Incorporated. Sem os esforços destes dois músicos, dificilmente haveria a tradição de blues elétrico inglês que viria a surgir no decorrer daquela década. Entre sets da banda, costumava-se abrir espaço para artistas iniciantes, que quizessem se apresentar. Por exemplo, foi Alexis quem deu a primeira oportunidade para Brian Jones tocar blues em um palco, e foi Cyril quem convidou Mick Jagger e Keith Richards para fazerem o mesmo, criando a oportunidade para surgir os Rolling Stones.

Ao deixar o Blues Incorporated no final de 1962, Cyril Davies formou os All Stars que contava com Nicky Hopkins, Long John Baldry, Bernie Watson, Ricky Brown e Carlo Little, todos nomes de relativa importância dentro do desenvolvimento do rock inglês.

E entre os sets do All Stars, Jimmy Page e depois Jeff Beck apareceriam regularmente para “brincarem” um pouco. Jimmy Page foi convidado algumas vezes durante o ano de 1963 a se juntar aos All Star, porém Page sabia que como ‘sessionman’ ganhava mais dinheiro do que como integrante de uma banda, muito embora sem nenhuma notoriedade popular. Tambem lhe preocupava a hipótese de voltar a ficar doente após seguidas viagens.

Apesar de Page namorar a idéia de voltar a participar de uma banda, ele comentaria que a morte de Cyril em janeiro de 1964 lhe tirou todo o encantamento de uma apresentação ao vivo. Gravaram apenas um compacto em 1963 onde Page participou do lado B, “Not Fade.”

Triste pela morte de Cyril Davies, Jimmy Page acaba desistindo da ideia de pertencer a uma banda. Depois do produtor Joe Meek, Page trabalhou mais com Shel Talmy, Mickie Most e Andrew Oldham. Page também conhece e passa a namorar a cantora americana Jackie Del Shannon, com quem forma uma dupla de compositores.

Dave Berry
Dave Berry & The Cruisers foi uma banda de Sheffield que surgiu em 1962, extremamente influenciada por Chuck Berry. Descoberto por Mickie Most, o empresário fechou para eles um contrato com a Decca. Formados por Dave Grundy (que adota o nome Berry em homenagem a seu herói), Frank White e Alan Taylor nas guitarras, Peter Cliff no baixo e John Riley na bateria.

Levam oito horas para gravar duas músicas para o primeiro compacto. Mesmo tendo chegado entre as vinte mais tocadas, The Cruisers foram proibidos por Mike Smith da Decca, de gravar com Dave Berry, servindo apenas como sua banda em apresentações ao vivo.

Doravante, quando muito, The Cruisers conseguiram participar de alguns lado B. O segundo compacto da banda, "My Baby Left Me" de Arthur Crudup, foi gravado com uma banda formado por Jim Sullivan e Jimmy Page nas guitarras, Arthur Greenslade no órgão, Allan Weighell no baixo, e Bobby Graham na bateria. Historicamente, esta sessão tem de significante o fato de ser o primeiro encontro destes dois guitarristas principais da indústria. Segundo consta a lenda, Page mostrou para Sullivan um solo de James Burton que Sullivan não conseguia tirar, tendo os dois se tornado amigos imediatamente.

Dentre as gravações tidas como certa de ter a participação de Page estão "Hoochie Coochie Man" de Willie Dixon, compacto lançado em janeiro de 1964; "The Crying Game" e "Don't Gimme No Lip Child" lançado em julho. "One Heart Between Two" com "You're Gonna Need Somebody" seria lançado em dezembro. O primeiro LP de Dave Berry, simplesmente intitulado Dave Berry, foi lançado pela Decca em janeiro de 1964, e conta ainda com a faixa "C. C. Rider" e "Go On Home", ambos tendo a presença de Jimmy Page.

No ano seguinte, Page ainda gravaria para Dave Berry, "Little Things" e "I've Got A Tiger By The Tail" em março; "This Strange Effect" e Now" em julho; e "I've Got My Tears To Remind Me", uma composição da dupla Jackie DaShanon e Jimmy Page, lançado em dezembro. Para 1966, Page participa pela última vez em "Mama", composição de BJ Thomas, e "Walk, Walk, Talk, Talk." A carreira de Dave Berry seguiria com relativo sucesso pela Europa, especialmente Holanda, até o inicio da década de setenta. Depois ele foi para os cabarés e o circuito da nostalgia. Ele tem dois LP's lançado em 64 e 65 e coletâneas reeditadas em CD.

A cantora conhecida como Antoinette é uma menina de 13 anos de idade chamada Marie Antoinette Daly de Southend. Brit-pop produzido por Charles Blackwell, e lançada pela Decca, a canção "Jenny Let Him Go", composição de Ken Lewis, além da ter a dupla Carter e Lewis fazendo vocais de apoio, conta com Jimmy Page na guitarra e Bobby Graham na bateria e castanholas. O compacto foi lançado em janeiro de 1964 e é um excelente exemplo de imitação inglesa de uma produção tipicamente Phil Spector.

Imagem
Mickey Finn & the Bluemen é uma banda em que Jimmy Page não só tocou em seus discos, mas quase se associou como integrante. Notem ao lado, Page pousando com o grupo nesta foto promocional. Jimmy é aquele em pé à direita.

Formada por Alan Marks nos vocais, Micky 'Finn' Waller na guitarra, John Burkitt no baixo, Danny 'Fluff' Peyronel no órgão, e Richard Brand na bateria, a banda nasceu de uma dissidência de uma outra do leste Londrino, The Strangers. Seus dois ex-integrantes Micky Waller e Richard Brand, montaram então a banda mod chamado Mickey Finn & the Blue Men, cujo som é fortemente ligado a ska e jazz, além de R&B. Mickey Waller conheceu Jimmy Page quando sua antiga banda The Strangers abriu para Neil Christian & the Crusaders. Waller confessa ter ficado tão impressionado pelo guitarrista que passou a tentar imita-lo estilisticamente.

Jimmy Page toca gaita na maioria das suas participações com o grupo, começando pelo segundo compacto, "Pills", clássico de Bo Diddley, com "Hush Your Mouth" de Jimmy Reed, lançado pelo selo Oriole em março de 1964. Curiosamente, pouco tempo após o lançamento da canção "Pills," uma batida policial de surpresa resultou nos canas encontrarem anfetaminas conhecidos entre os mods como 'Purple Hearts' escondidas dentro da caixa de alto falante do grupo. A banda foi processada e, em uma tentativa de transformar publicidade negativa em lucro, passaram a ser chamados de Mickey Finn & The Pills durante um período. Acabaram optando por sintetizar o nome da banda para apenas Mickey Finn, após a saída de Burkitt, que foi substituido por outro ex-membro da extinta Strangers, Mick Stannard.

Praticamente todos os discos do Mickey Finn tem Shel Talmy na produção. É possível que Page participe de todas as gravações da banda. São sete compactos, portanto quatorze canções. No entanto, como certo, temos "Pills" e "Hush Your Mouth"; seguido em junho por "Reelin' And Rockin'," de Chuck Berry, e "I Still Want You," o primeiro original da banda. Esta canção é pesadamente influenciada em "Boom, Boom" de John Lee Hoooker, e tem Jimmy Page na guitarra além da gaita. Em março de 1965, Jimmy Page participa tocando guitarra na faixa "Night Comes Down" e novamente em dezembro de 1967, no psicodélico "Garden Of My Mind."

Jackie Lynton é um cantor que veio de Shepperton, Middlesex, e que foi empresariado inicialmente por Tom Littlewood, um dos donos do prestigioso 2I's Coffee Club. Littlewood conseguiu levá-lo para a Pye Records, onde ele gravou uma série de compactos. A banda The Jury é a que em 1962 tocava regularmente no 2I's Coffee Club e serviu como banda para as gravações de Jackie Lynton, Vince Eager, Keith Kelly e Lance Fortune. A formação geralmente compreendia Albert Lee (guitarra), Bob Xavier (sax), Pat Donaldson (baixo), e Roy Mills (bateria). No entanto em 1963, já pelo selo Piccadilly, o material lançado com o nome Jackie Lynton & the Jury era gravado por músicos de estúdio contratado.

Por sugestão da gravadora, querendo aproveitar o sucesso do segundo disco dos Beatles, sugeriu-se para Jackie Lynton gravar "Little Child" (Lennon-McCartney). O compacto lançado em março de 1964 tem como banda sob o nome The Jury os músicos Jimmy Page na guitarra, Les Reed no piano, Herbie Flowers no baixo e Bobby Graham na bateria. Depois Lynton seguiu para mais outra passagem por Hamburgo. Gravou sem o consentimento da sua gravadora cerca de dezesseis faixas que foram lançadas com pseudónimos engraçados como Boots Wellington & His Rubber Band. Com o novo ano, Jackie Lynton estaria investindo em sua firma de construção, pintura e decoração, cantando à noite por paixão. Mesmo assim, ele continuaria lançando alguns compactos, nenhum nunca chegando a aparecer nas paradas.

Em setembro de 1972, arrancaram Jackie Lynton de sua obra e o colocaram para cantar no Savoy Brown, substituindo Dave Walker que deixou a banda para cantar no Fleetwood Mac semanas antes de uma importante excursão para os Estados Unidos. Foi o auge de sua carreira. Sem vender na Inglaterra, Savoy Brown foi então desfeita por Kim Simmonds em 1974, se mudando então para os Estados Unidos e remontando a banda lá. Jackie Lynton então reformou o Jackie Lynton Band, cuja a formação tem integrantes rotativos e continua tocando ao vivo até hoje. Lançando vários albuns solos, Jackie Lynton pôde contar com participações de músicos amigos como Jim Sullivan, Ian Anderson, Martin Barre, Mick Abrahams, Mick Summerland, Clive Bunker, Dick Taylor, Al Hodge e Colin Pattenden.

Outra banda que pouco se sabe a respeito é The Brooks Brothers que lançariam pela Pye o compacto "Trouble Is My Middle Name" com "Let The Good Times Roll." Uma das duas faixas, se não as duas, deve ter a participação de Jimmy Page. É praticamente certo porém sua participação na faixa "Once In A While" lançado em março de 1964. Desta vez a gravadora é a Decca e os irmãos Brooks, transformados em banda, usam o nome The Brooks.

Louise Cordet
A jovem Louise Cordet foi uma pequena estrela pop na Inglaterra entre 1962 e 1964. Seu pai era uma personalidade da televisão e seu padrinho era ninguém menos do que o Principe Philip, marido da Rainha Elizabeth. Criada em um convento, Louise é em retrospecto lembrada como precursora da Marianne Faithfull, o início de carreira de ambas tendo de fato certas similaridades. Seu primeiro compacto "I'm Just A Baby" (Lourdan) chegou logo a No.13 e fez dela uma sensação repentina.

A Decca passou a tratá-la como a resposta da gravadora para Helen Shapiro, outra cantora menina no mercado. Como Shapiro (e mais tarde Faithfull), excursionou com os Beatles e Gerry & the Pacemakers. Foi uma das primeiras namoradas de Beatle Paul em Londres e sua graça pessoal inspirou Gerry Marsden a compor o seu hit "Don't Let The Sun Stop You Crying," muito como Marianne Faithfull inspirara The Hollies a compor o hit "Carrie Anne".

Participou em 1963 de dois filmes, e gravou um total de sete compactos, o último lançado em abril de 1964. Nele temos "Don't Make Me Over" (Burt Bacharach) com "Two Lovers" (Smokey Robinson), sucesso da Motown que nesta versão, conta com a guitarra firme de Jimmy Page.

A carreira de Louise Cordet continuou a partir de 1965, não como artista, mas como assistente de Marianne Faithfull.

Wayne Gibson & the Dynamic Sounds
Para Wayne Gibson & the Dynamic Sounds, Page participa no lado A de seu segundo compacto "Come On Lets Go" e nos dois lados de seu terceiro compacto, "Kelly" e "See You Later Alligator." Todas produções de Shel Talmy, o primeiro saindo pela Decca e o segundo pela Pye. Em 1966 Wayne Gibson tentou carreira solo e tem na sua versão de "For No One" dos Beatles, o marco de ser o primeiro artista inglês lançado pelo selo Tamla, subsidiária da Motown, dentro nos Estados Unidos.

The First Gear foi uma boa banda que apareceu e desapareceu com pouca gente notando a existência, composta pelos guitarrisats Phil Birkenshaw e Raymond Wafer, Dave Walton's nos vocais e Ian Colling na bateria. Produzidos por Shel Talmy, essa banda conseguiu em seus poucos compactos mostrar muita explosão e energia. Via das dúvidas, Shel Talmy botou Jimmy Page nos discos para fazer os solos. Entre '64 e '65 lançam "Leave My Kitten Alone" e "A Certain Girl", "Sporting Life" e "Night Comes Down", "The 'In' Crowd" e "Gotta Make Their Future Bright."

História curiosa é a do Texano James Marcus Smith, que sonhava em ser ator e depois, quando sua irmã passou a namorar Elvis Presley, passou a desejar ser músico. Através do amigo de infância Tommy Sands, Smith conheceu a compositora Sharon Sheeley, que namorava na epoca Eddie Cochran. Com composições de Sheeley, Smith grava com o nome artístico de Jet Powers. Depois compondo seu próprio material, acabou conseguindo um contrato como compositor para a Liberty Records.

Imagem
Em 1960, Jet Powers passou a trabalhar com Kim Fowley, mudando no ano seguinte seu nome para P.J. Proby. No final de 1963, Proby foi apresentado por Jackie DeShannon para o importante produtor inglês Jack Good que o levou para Inglaterra. Brian Epstein ficou interessado no cantor e passou a ser seu empresário. Na Inglaterra a carreira de P. J. Proby foi um sucesso instantâneo.

Seu primeiro compacto, "Hold Me", lançado em maio de 1964, além de chegar entre as cinco mais tocadas da semana, tem a participação de Jimmy Page na guitarra. Page participaria também de seus próximo lançamento, "Together" e "Sweat And Tender Romance," composição da dupla Carter-Lewis. Voltariam a trabalhar juntos em 1968 no compacto "The Day Lorraine Came Down" com "Mary Hopkins Never Had Days Like These" lançado pelo selo Liberty em agosto de 1968.

Imagem
Declarando falência em 1969, Jimmy Page veio novamente ajudar participando pesadamente no disco de Proby, "Three Week Hero", álbum visado por colecionadores, não tanto pelo trabalho de Proby quanto pelo fato que Jimmy Page trouxe com ele seus novos amigos, John Paul Jones, Robert Plant e John Bonham para gravar. As faixas com esta interessante reunião de forças são "Today I Killed A Man", a canção titulo "Three Week Hero" e o medley, "It's So Hard to Be a Nigger"/"Jim's Blues"/"George Wallace Is Rollin' In This Mornin'".

Proby em 1975 regravaria seu primeiro sucesso "Hold Me" para o seu álbum "Somewhere", novamente com a participação de Jimmy Page. PJ Proby viria a casar em 1973 com Claudia Martin, filha de Dean Martin e continuaria com uma carreira instável, com incursões no teatro e televisão nas décadas de oitenta e noventa, sempre com temas relacionados à música. Além do seu disco com Led Zeppelin, outra grande curiosidade na carreira deste cantor certamente é seu disco gravado com a banda holandesa de rock progressivo Focus. Seu álbum "Focus Con Proby" é lançado em 1978.

The Poets
Banda Escocêsa formada originalmente em 1961, The Poets estabilizou sua formação em 1963 com George Gallagher nos vocais, Hume Paton na guitar líder e vocais, Tony Myles na guitarra rítmica, John Dawson no baixo e Alan Weir na bateria. Andrew Oldham se tornou o empresário da banda e assinou eles com Decca em 1964. O primeiro compacto da banda, "Now We're Thru'" com "There Are Some", teve participação de Jimmy Page e chegou a No.30.

Oldham levaria a banda com ele para Immediate Records no ano seguinte. É possivel, porém incerto, que Page tenha se involvido também com estes trabalhos. A falta de vendas fez Oldham desinteresar por eles, que com uma nova formação e novo empresário, gravaram no final da década novamente com a Decca, Pye e Strike Records.

Imagem
The Rolling Stones é uma outra banda que viria a ter a ajuda de Page em suas gravações. Page participa das faixas "Heart of Stone" onde toca baixo, "Try A Little Harder", "Each And Every Day Of The Year", "Sleepy City", "We're Wastin' Time", e "Blue Turns To Grey", todas gravados entre junho e setembro de 1964.

Page ainda participaria da canção "Through The Lonely Nights" em 1973, o que pode ter contribuído para os boatos que surgiram em 1975, sobre a possiblidade de Jimmy Page ter sido seramente cogitado a ingressar na banda após a saída de Mick Taylor no final de 1974.

Considerando o sucesso comercial de Led Zeppelin e os ciúmes provocados nos Stones pela popularidade do Led na América, tais boatos não podem ser levados a sério. Mais tarde na carreira dos Rolling Stones, em 1986, Jimmy Page viria a ser convidado a participar de algumas sessões. Ele toca nas faixas "One Hit (To The Body)" e "Back To Zero".

The Kinks
E já que estamos falando dos grupos maiores, a banda que fez Shel Talmy famoso foi The Kinks. Apesar de controvertida, é certa a participação de Jimmy Page como guitarrista ritmico no famoso hit da banda, "You Really Got Me," fato nunca negado pelo seu guitarrista principal Dave Davies, mas nem sempre confirmado pelo seu irmão mais velho Ray Davies. Outras faixas com Page são o instrumental "Revenge", composição creditada ao empresário Larry Page e "Bald-Headed Woman" composta por Shel Talmy especialmente para os Kinks. Jimmy Page participa ainda em outros dois grandes sucessos da banda, "All Day And All Of The Night" e "Tired of Waiting For You."

Sua participação continua com as faixas "Long Tall Shorty", "Set Me Free", "I Need You" e "I'm A Lover Not A Fighter", todas produzidas por Shel Talmy e tendo Jimmy Page apenas na guitarra ritmica. Estas e outras faixas teriam sob imposição de Talmy em detrimento do que queria os Kinks, a participação de músicos de estúdio. Além de Jimmy Page, sabemos como certa a participação, em canções variadas, dos músicos Arthur Greenslade no piano, Bobby Graham e depois Clam Cattini na baterista.

Billy Fury
Billy Fury foi o primeiro músico a surgir em Liverpool e fazer sucesso na Inglaterra. Em 1960, ele excursionou na Escócia com uma banda chamada The Silver Beatles, que contava com a primeira formação de um Beatles ainda semi-amador. Jimmy Page participou em abril de 1964 de sua versão para "Ain't Nothin' Shakin' (But The Leaves On The Trees)". Depois, em julho de 1966, participou de outra sessão que inclui "Give Me Your Word" e "She's So Far Out, She's In", ambas lançadas pela Decca.

Rod Stewart, então recém saído da banda The Five Dimensions, lança pela Decca em outubro de 1964 o seu primeiro e mais raro compacto, com "Good Morining Little Schoolgirl" e "I'm Gonna Move To The Outskirts of Town", que não só conta com Jimmy Page, como também traz como banda base os Yardbirds com Eric Clapton.

Imagem
Van Morrison era um saxofonista em Belfast tocando para The Monarchs até visitar Londres e assistir os grupos do circuito Londrino. Decidiu então montar sua própria banda de r&b, retornando para Irlanda e unido-se com The Gamblers, formando assim a banda conhecida internacionalmente como Them. Ótima banda ao vivo, Morrison lembra com tristeza o fato que muitos de seus discos na verdade eram gravados por músicos impostos pelo produtor ou gravadora.

Assim, sabemos que Jimmy Page contribuiu em várias faixas gravadas entre 1964 e 1966. São elas "Baby Please Don't Go", "Here Comes The Night", "Call My Name", "Bring 'Em On In" e "Mystic Eyes". Isto porém não quer dizer que Page necessariamente está fazendo os solos.

Outra bandinha obscura que merecia maior reconhecimento é The Untamed. Com apenas seis compactos em sua carreira entre 1964 e 1966, eles fazem um som que mistura mod rock, rhythm & blues, e blues com nuances de cool jazz. Diferente da maioria das bandas, a ênfase está no órgão e não na guitarra. Jimmy Page toca em pelo menos uma faixa, "I'll Be Crazy", repertório de James Brown e que é produzido por Shel Tamy. A banda continuou durante a década de sessenta, embora a ultima gravação conhecida seja datada de 1966. Passaram a utilizar também o nome Lindsay Muir's Untamed, mudança que não contribuiu em nada para a carreira.

The Sneakers foi uma banda que Shel Talmy produziu para Columbia. Talmy lhe deu para gravar "I Just Can't Go To Sleep" de Ray Davies, dos Kinks, e uma composição sua originalmente gravada pelos Kinks, "Bald Headed Woman", composta por Talmy e que por sinal, acabaria também sendo gravada pelo The Who. Jimmy Page tocou nas duas faixas deste que é o único compacto da banda.

Imagem
Page toca uma excelente guitarra em "She's Too Way Out", canção obscura do primeiro álbum da banda The Honeycombs. Uma das últimas descobertas de Joe Meek antes de falecer, The Honeycombs surgiu quando em 1963, um cabeleireiro profissional e guitarrista amador de nome Martin Murray, resolveu chamar uma colega de trabalho, Ann Lantree, a ajudá-lo a formar um grupo. Ann Lantree, que já era apelidada de Honey, tocava bateria amadoramente e se torna a segunda baterista feminina a surgir no circuito profissional da Inglaterra.

Para completar a banda foram convidados John Lantree, irmão de Ann no baixo, Alan Ward na guitarra e teclados e o vocalista Denis Dalziel, que usava o nome profissional D'ell. O maior sucesso da banda foi "Have I The Right?," primeiro compacto lançado em 1964. A banda acabou antes do final da década.

Imagem
Jimmy Page e John Paul Jones trabalharam juntos para Lulu, que se tornou mundialmente famosa com a faixa titulo do filme "To Sir With Love," onde ela também participa como atriz. No entanto, ela já era um nome conhecida na Inglaterra desde 1964, outra descoberta de Mickie Most. Para apresentações ao vivo, ele se apresentava com sua banda Lulu & the Luvvers. The Luvvers eram Alec Bell nos teclados, Jim Dewar e Ross Nelson nas guitarras, Jimmy Smith no sax, Tony Tierney no baixo e Dave Miller na bateria.

No entanto, para gravar seus discos, Mickie Most chamava seus músicos de maior confiança. Assim, é certo que John Paul Jones tenha participado em praticamente todas as gravações da Lulu. Sabemos que a dupla Page e Jones podem ser ouvidas com certeza em "I'll Come Running" de 1964 e "Surprise, Surprise" de 1965. No entanto, credita-se também a "Shout" e "Forget Me Baby", lançados em março de 1964, como tendo a participação de Jimmy Page.

A popularidade de Lulu viria a crescer a ponto dela ter seu próprio programa de variedades na televisão, e em 1969, casaria com Mourice Gibb dos Bee Gees. Na década de setenta ela lançaria alguns discos menos comerciais, embora com maior substância artística. O guitarrista Jim Dewar viria a tocar na banda de Robin Tower na década de setenta.

Imagem
Marilyn Ripley se tornou a cantora conhecida simplesmente como Twinkle ao conseguir um certo sucesso com seu primeiro compacto, a canção "Terry", composição sua que tem Jimmy Page na guitarra. Ela teve uma série de outros lançamentos, gravando até o final da década. Page supostamente também participou de outra gravação, "Try To Forget Me". De se destacar está o fato de Twinkle compor suas próprias letras. Infelizmente ela não conseguiu outra gravadora depois que a Immediate Records faliu. Twinkle também é lembrada por ser a então namorada de Peter Noone, vocalista de Hermit's Hermit.

David Bowie & the Lower Third
Davie Jones & The Mannish Boys é a primeira banda em que David Bowie conseguiu gravar. Em 1964, ele ainda usava o seu verdadeiro nome. Uma produção de Shel Talmy, a faixa "I Pity The Fool" lançada pela Parlophone e tendo a participação de Jimmy Page, fez pouco para sua carreira. No ano seguinte, agora como David Bowie & The Lower Third, Jimmy Page volta a contribuir, desta vez nas duas faixas, "You've Got a Habit of Leaving" e "Baby Loves That Way". Seria somente na década de setenta que David Bowie viria a fazer de seu nome, um sinônimo de sucesso internacional.

Jimmy Page conheceu Jackie DeShannon durante as sessões de Philippa Lewis, gravando uma composição de Jackie, "Just Like In The Movies". Page participa desta gravação, conhece e passa a namorar Jackie e juntos, passam a compor cerca de oito canções em parceria que vão aparecer no repertório de um número de artistas variados. Este compacto é lançado pela Decca.

Foi como Doug Gibbons que este baladeiro primeiro se lançou. Seu primeiro compacto pela Decca é "I've Got My Tears To Remind Me" da dupla DeShanon e Page. É incerto se Jimmy realmente tenha participado desta sessão, afora ser co-autor da canção. A gravação chamaria atenção de alguns membros dos Rolling Stones que o contrataram para abrir alguns de seus shows no Reino Unido. Depois de um novo contrato, agora com a CBS, Gibbons se transforma em Thane Russal, cantando material soul. Seus primeiros discos pelo novo selo contam com a produção de Gary Glitter, então ainda usando o seu verdadeiro nome, Paul Raven. Como Thane Russal, Gibbons encontrou bastante sucesso na Itália, cantando em italiano e liderando as bandas The Electric Heart e Beggars Farm.

The Nashville Teens foi a primeira banda descoberta por Mickie Most, que abandonou suas aspirações como cantor para produzir e empresaria-los. A banda existia desde 1962, criada em Weybridge, Surrey. Após algumas mudanças na formação, passaram uma boa temporada em Hamburgo, tocando no Star Club. Serviram de banda para Jerry Lee Lewis, o que inclusive rendeu um disco. Most encontrou o grupo trabalhando como banda de Bo Diddley.

Imagem
The Nashville Teens era formado por Terry Crow, Art Sharp e Ray Phillips nos vocais, John Hawken no piano, Michael Dunford depois substituido por John Allen na guitarra, Pete Shannon no baixo, e Barry Jenkins na bateria. Seu primeiro compacto, "Tobacco Road", se tornou um grande sucesso, e nela podemos ouvir a guitarra de Jimmy Page, cuja participação se estende para o segundo compacto, "Goggle Eye" com "T.N.T."

John Hawken ajudaria a formar o Renaissance no final da década, seguido por Michael Dunford, que entraria na sua segunda e mais popular formação. Contudo, a esta altura, John Hawken já estava na banda The Strawbs. Bernie Jenkins se juntaria ao Eric Burdon and the Animals em 1966.

Jean & the Statesiders é um grupo de meninas vindas de Chester e lideradas por Jean Hughes, que apenas cantavam, toda a parte instrumental sendo executada por músicos contratados. Típico 'girl group', lançaram três compactos, todos pela Columbia. Gravados entre 1965 e 1965, é certo Jimmy Page estar em algumas destas faixas, se não em todas. São elas, "Putty In Your Hands", "One Fine Day", "You Won't Forget Me", "Cold Cold Winter", "Mama Didn't Lie" e "Just Let Me Cry." É provável também a participação do baterista Bobby Graham.

Jimmy Page também participou da gravação do primeiro compacto da banda Fairies, trazendo "Don't Think Twice, It's Alright", canção de Bob Dylan, tendo no lado B "Anytime At All", que não é uma versão dos Beatles e sim uma composição de Geoff Stephens, o mesmo autor de "Winchester Cathedral." A banda, que inicialmente era chamada de Dane Stephens and the Deepbeats, era formada por Dane Stephens, Mick Weaver, John Gandy, John Acutt e Twink Alder.

Por vezes comparados com The Pretty Things, muitos consideram The Fairies uma das melhores bandas de rock nervoso da época. Dane Stephens teve um acidente de carro ao dormir no volante que resultou em mortes. Sem carteira de habilitação, acabou preso. A banda, embora gravasse um terceiro compacto, acabou se desfazendo pouco depois. Twink Alder ainda teria uma carreira com participação em várias bandas, entre elas The In Crowd, Tomorrow, Pink Fairies e até The Pretty Things. Largou a profissão com o início da era punk.

Imagem
Um dos precursores de blues na Inglaterra e membro original dos Blues Incorporated, Long John Baldry conheceu Jimmy Page e Jeff Beck quando cantava para Cyril Davies & the All Stars. Depois que Cyril adoeceu, tomou conta da banda durante a sua ausência e após seu falecimento, transformou o grupo em sua banda, Long John Baldry & the Hoochie Coochie Men. Ao participarem de um especial para a televisão, "Around The Beatles," Baldry foi contratado pela gravadora da United Artists. O resultado foi o álbum "Long John's Blues", lançado em agosto de 1964.

A banda nesta ocasião foi formada por Geoff Bradford na guitarra, Rod Stewart na gaita e vocais, Cliff Barton no baixo, Ian Armit no piano e Billy Law na bateria, além de Long John Baldry é claro. No entanto, sabe-se que existe a participação de Jimmy Page como convidado para a faixa "Bring My Baby Back", composição do próprio Baldry no melhor estilo Muddy Waters.

Desde 1962, Sonny Boy Williamson II havia ido à Inglaterra para fazer apresentações e gravar discos. Em 1966 foi lançado o disco "Sonny Boy Williasom & the Yardbirds", contendo parte de sua apresentação realizada em 1963 com a banda The Yardbirds, então com o guitarrista Eric Clapton. Em 1969, seria lançado o álbum "Don't Send Me No Flowers", que traz o material gravado com Sonny Boy Williamson II em sua passagem pela Inglaterra em 1964.

Sonny Boy Williamson
Para estas gravações, a banda é montada pelo tecladista Brian Auger e conta com Joe Harriott e Alan Skidmore nos saxes, Jimmy Page na guitarra, Ricky Brown no baixo e Mickey Waller na bateria. Sem deixar de mencionar, é claro, Brian Auger nos teclados e apoiando nos vocais e Sonny Boy Williamson na gaita e vocais. As faixas são "Don't Send Me No Flowers", "I See a Man Downstairs (One Way Out)", "She Was So Dumb", "The Goat", "I'm Trying To Make London My Home", "Walking", "Little Girl How Old Are You?", "It's a Bloody Life" e "Getting Out of Town".

Screaming Lord Sutch
Em julho de 1964, Screaming Lord Sutch & the Savages lança pelo selo Oriole o compacto "She's Fallen In Love With A Monster Man" e "Bye, Bye Baby". A formação dos Savages agora conta com Tony Marsh nos teclados, Ricky Brown no baixo e Carlo Little na bateria, além de Lord Sutch e o trio de vocais The Velvettes. Também tomando parte destas duas gravações está Jimmy Page na guitarra.

Em outubro do mesmo ano, a Oriole lançaria o compacto "Dracula's Daughter" e "Come Back Baby". A banda muda mais uma vez, contando agora com Paul Dean no piano, Jeff Beck e Jimmy Page nas guitarras, Ron Harwood no baixo e Pete Phillips na bateria.

Screaming Lord Sutch
Seis anos depois, em meio ao sucesso glorioso do Led Zeppelin, Jimmy Page tira o tempo para gravar, produzir e até compor material para o derradeiro disco de Lord Sutch. O famoso Lord Sutch And Friends tem uma galeria de estrelas para participar da empreitada. Embora ele produzisse todo o álbum, Jimmy Page grava apenas nas faixas, "Wailing Sounds", "Flashing Lights", "Thumping Beat", "Union Jack Car" e " Baby Come Back", todas composições Page/Sutch. Tem ainda "Cause I Love You", composto por Bonham, Edwards, Page e Sutch.

Imagem
Andrew Oldham é melhor lembrado como o célebre empresário que descobriu os Rolling Stones. Em 1964 ele montou uma orquestra onde lançou o único álbum que leva o seu nome. Trata-se de uma coleção de temas retirados de repertório dos Beach Boys e dos Four Seasons, arranjados por Oldham para uma pequena orquestra, obviamente chamado de "The Andrew Oldham Orchestra & Chorus". O título original do álbum é "East Meets West" e foi lançado em 1964. Oldham almejava se tornar uma versão inglesa de Phil Spector e no ano seguinte, fundaria o selo Immediate Records.

Suspeita-se que Mick Jagger faz parte do coro. Sabe-se porém que John Paul Jones está no baixo, Ian Stewart está presente no piano, Steve Marriot toca gaita e Jimmy Page está no violão.

Imagem
Kim Fowley é um empresário, produtor e compositor, natural da costa oeste dos Estados Unidos. Ele participou de uma série de bandas na década de cinquenta antes de conseguir sucesso compondo hits e montando bandinhas de um sucesso só, os chamados 'One Hit Wonders.' Filho do ator Douglas Fowley, este nativo de Los Angeles compôs "Cherry Pie" e "Papa-Oom-Mow-Mow", depois concebeu a imagem e ajudou a promover bandas como Paul Revere & the Raiders, P.J. Proby, The Orchids, The Runaways e até Frank Zappa & the Mothers of Invention, participando inclusive de seu álbum de estréia, Freak Out!. Compôs material para os Beach Boys, Byrds, Soft Machine, Cat Stevens e Them, como também produziu discos para Gene Vincent, Warren Zevon e Helen Reddy.

Uma vez na Inglaterra, Fowley teria gravado um compacto com uma banda de músicos contratados. Este projeto foi lançado com o singelo nome Bo & Peep. Trata-se de uma pequena jogada comercial financiada por Andrew Oldham. Bo é Kim Fowley e Peep é Andrew Oldham. O material é basicamente uma paródia, e foi lançado em agosto de 1964 pela Decca. O compacto "Young Love" é na verdade os Rolling Stones com a suposta dupla Bo e Peep (Kim e Andrew) nos vocais. O lado B, "The Rise of The Brighton Surf" é uma paródia da versão dos Animals para "The House of the Rising Sun" e tem a participação de Jimmy Page e John Paul Jones. Em 1966, outro compacto seu, "They're Coming To Take Me Away, Ha Ha" é igualmente suspeito de ter a participação de Jimmy Page.

The Quotations são de Liverpool, e trata-se na verdade de um duo composto por Johnny Gustafson e Mickey Waller. O baixista Gustafson era membro da banda The Big Three, empresariada por Brian Epstein durante os anos de 1963 e 64. Já o baterista Waller era membro da banda The Merseybeats. Se juntaram para excursionar pela Inglaterra como banda de Carl Perkins em 1964, e acabaram conseguindo lançar um compacto sob o nome da banda naquele mesmo ano. Para a sessão, a guitarra é tocada por Jimmy Page, que pode ser ouvido nas faixas "Alright Baby" e "Love You All Over Again".

Empresariado pelo Tito Burns, The Quotations foram também durante os anos que se seguiram, a banda do The Walker Brothers e Cat Stevens. Eles voltariam a gravar outros dois compactos pela CBS entre 1968 e 1969. Paralelamente, Mickey Waller foi integrante do Jeff Beck Group entre 1967 e 69.

Uma banda que aparece ocasionalmente quando o assunto é Jimmy Page é a pequena e desconhecida The Blue Rondos. Formada por Mick Stubbs, Roger Hall, Billy Pitt-Jones e Mick Cook, eles conseguiram lançar apenas dois compactos pelo selo Pye. Banda trabalhada pelo importante produtor Joe Meek, o lado B de seu segundo compacto, "Baby I Go For You", lançado em novembro de 1964, tem um solinho de guitarra que é tão bom, que tem-se como certo tratar-se de Jimmy Page. No entanto, outras fontes garantem que trata-se mesmo do prodigioso guitarrista da banda, Roger Hall. A banda acabaria em 1965, onde outro membro, Mick Stubbs, se associaria com The Syndicats, primeira banda de Steve Howe.

Joe Cocker Big Blues
Joe Cocker começou sua carreira cantando pop e r&b, com o nome artístico de Vance Arnold, enquanto durante o dia trabalhava em um posto de gasolina. Sua banda, Vance Arnold & The Avengers, chega a abrir um show dos Rolling Stones em 1963. Em setembro de 1964, já como Joe Cocker Big Blues, lançam um compacto regravando uma interessante versão para "I'll Cry Instead" dos Beatles, acompanhado por "Precious Words" no lado B.

Jimmy Page está na guitarra nestas duas canções. Mais tarde, em março de 1968, Page novamente empresta seu talento para a gravação de outras duas canções, "Marjorine" e "Bye Bye Blackbird". Em novembro de 1968, às vésperas da fama mundial, Jimmy Page grava com ele outra versão de outra canção dos Beatles, "A Little Help From My Friends." De lá para cá Joe Cocker também se torna um nome de fama mundial.

Imagem
Banda de Oxford, The Primitives, antes conhecido como The Cornflakes, são formados por Jay Roberts e Geoff Eaton nas guitarras, John Soul nos teclados, Roger James no baixo e Mike Wilding na bateria. Contratados pelo selo Pye, lançam entre 1964 e 1965, dois compactos. São eles, "Help Me" (SB Williamson) com "Let Them Tell" e "You Said" com "How Do You Feel." Em todas essas gravações, Jimmy Page toca guitarra. Acredita-se que há ainda mais material da banda que foi gravado pela Pye, porém nunca lançado.

Com várias mudanças de integrantes, a banda viria a gravar a se mudar para Italia, gravando agora como Mal and The Primitives. Com relativo sucesso em solo Italiano, permanecem lá por três anos, onde gravam uma serie de compactos e um álbum. O baterista desta última versão da banda era Pick Withers, que mais tarde faria fama como integrante do Dire Straits.

Imagem
Dos seis compactos lançados pela banda The Lancastrians, metade tem a participação de Jimmy Page. A banda, que não veio de Lancaster e sim de Cheshire, e é formado por Kevin Heywood e Barry Langtree (guitarras & vocais), Terry Benson (baixo) e John Fleury (bateria).

Shel Talmy os trouxe para a Pye Records e a banda conseguiu logo de cara um pequeno hit com a faixa "We'll Sing In The Sunshine". Seu lado B, "Was She Tall?", tem a participação de Jimmy Page. No ano seguinte, Page participaria das sessões para o compacto "Let's Lock The Door (And Throw Away The Key)" e "Set Me Free". Nesta faixa porém, existe a grande probabilidade que não seja Jimmy Page quem esteja presente e sim Ritchie Blackmore, que praticamante se tornou um integrante do conjunto, trazido por Kim Fowley. Nicky Hopkins também participa em algumas faixas.

Jimmy Page voltaria a trabalhar com The Lancastrians em 1966. Grava o compacto "The World Keeps Going Round," canção de Ray Davies. Este foi outro pequeno sucesso, o último que a banda teria antes de desaparecer. Na verdade foram para a Alemanha em longa excursão e quando voltaram encontraram a psicodelia. Sem encontrar mercado na Inglaterra e com pouco dinheiro no bolso, preferiram acabar do que aceitar um convite para tocar na França.

The McKinleys é um duo feminino montados pelas irmãs Jeanette e Sheila McKinley. São originalmente de Edinburgo e seu terceiro compacto, lançado pela Parlophone em novembro de 1964, tem a participação de Jimmy Page na banda de apoio. As duas canções são "Sweet And Tender Romance" e "That Lonely Feeling". O quarto e último compacto da banda, na volta do grupo para o selo Columbia, tem a participação de Donovan.

Imagem
Graças à chamada Invasão Britânica no mercado dos Estados Unidos, alguns artistas Americanos cruzaram o Atlântico para tentar sua sorte com o som inglês. Brenda Lee, em agosto de 1964, grava "Is It True?". A sessão foi produzida por Mickie Most, arranjada por Earl Guest e tem como músicos contratados uma seleção formada por Big Jim Sullivan e Little Jimmy Page nas guitarras, Alan Weighell no baixo, Stan Barrett nas percussões, Bobby Graham na bateria, além da dupla John Carter e Ken Lewis fazendo vocais de fundo. A canção é uma composição da dupla Carter-Lewis.

A carreira de Brenda Lee iniciou em 1956 aos 11 anos, com aparições na televisão americana e um contrato com a Decca. Mais lembrada por suas baadas, Brenda foi crucial em fazer a ponte entre o country e o rockabilly. Sua carreira na década de sessenta, principalmente depois da invasão inglesa, foi menos favorável, apesar de continuar gravando e sempre mostrando interpretações de qualidade indiscutível. Durante a década de setenta se manteve como um artista country, respeitada como lenda viva, fazendo ocasionalmente o circuito nostálgico.

Petula Clark já era uma cantora consolidada mundialmente ao ser a primeira mulher inglesa a chegar a No.1 nas paradas americanas em 1964 com "Downtown". Sabe-se que John Paul Jones e Jimmy Page emprestaram seus talentos para os discos de Petula. O compacto "Downtown", com "You Never Loved Me", foi lançado em outubro de 1964, causando um estrondoso sucesso. É provável a particpação de John Paul Jones e possível a de Jimmy Page neste compacto, especialmente no lado B. Tentando um repertório mais moderno, Petula passou em 1965 a gravar músicas de artistas de r&b. É apenas lógico supor que outras participações de Page (e Jones) tenham ocorrido em qualquer um dos álbuns lançados entre o "I Know A Place" e o "The Other Man's Grass Is Always Greener", de 1968.

Shel Naylor é o nome artístico de Rob Woodward, que inicia sua carreira com um contrato com a Decca em 1963. Porém foi no seu segundo compacto, "One Fine Day", com "It's Gonna Happen Soon", que todos vão querer colecionar. Além de "One Fine Day" ser uma rara composição de Dave Davies, a banda atrás de Naylor é The Kinks. Jimmy Page participa do lado B. Isto resume a carreira de Shel Naylor, que reapareceria mais tarde usando outro nome, Stavey Makepeace e mais adiante ainda, seu verdadeiro nome.

Jackie DeShannon
Não poderia faltar também uma composição da dupla DeShannon-Page em uma gravação da própria Jackie DeShannon. A canção é "Don't Turn Your Back On Me", onde Page está novamente tocando seu violão de 12 cordas. O compacto saiu pela Liberty Records em novembro de 1964.

Houve também a banda The Authentics, cujo empresário era Giorgio Gomelski, montada em Richmond, influenciada em parte na cena musical criada por Gomelski no Crawdaddy, onde surgiu inicialmente os Rolling Stones e depois os Yardbirds. Quando Keith Relf dos Yardbirds ficou doente e hospitalizado por alguns meses, foi o vocalista do The Authentics, Mick O'Neil, que o substituiu. Embora nunca tenham lançado nada, foi descoberto em 1984 entre os arquivos dos Yardbirds um rolo de fita com a letra de Gomelski, escrito "The Authentics With Jimmy Page". Nela estavam gravadas duas faixas, "Without You" e "Climbing Through", que, especula-se, tenham sido gravadas no final do ano de 1964. A banda lembra muito The Yardbirds.

Jimmy Page está cada vez mais interessado em todas as fases da gravação de um disco. Produz material para amigos além de seu próprio compacto. Em meados do ano, Andrew Oldham cria a Immediate Records e aponta Jimmy Page como produtor artístico do selo. Jimmy Page começa a produzir uma maior quantidade de artistas.

Jimmy Powell foi um dos percurssores do blues inglês, gravando para a Decca antes até que os Blues Incorporated conseguirem. Descoberto por Jack Good, em 1962, sua carreira começou bem com alguns lançamentos pela Decca Records. No entanto, com a explosão dos Beatles em 1963, a atração passava a ser grupos e não artistas solo. Assim, seu empresário lhe apresentou para a sua nova banda, Jimmy Powell & The Five Dimensions.

Jimmy Powell and The Five Dimensions
A banda, que já existia, era formada por Dave Fullford nos vocais, Rod Stewart nos vocais e gaita de boca, Red Godwin na guitarra, Alan Shepherd no sax e flauta, Tony Lucas no baixo e Duke Russell na bateria.

Jimmy Powell conseguiu para eles um contrato com a Pye Records, porém desentendimentos entre os ex-vocalistas Fullford e Stewart e o novo, fez com que houvesse mudanças em sua formação original antes de começarem a gravar. Isto facilitou ainda mais para Jimmy Page, John Paul Jones e Clem Cattini, respectivamente guitarra, baixo e bateria, serem chamados para participarem da regravação de seu primeiro sucesso "Sugar Babe," lançado agora pelo selo Pye em 1964. The Five Dimensions duraria somente até 1964, onde Powell passou a excursionar com varias bandas, todas inevitavelmente chamadas de The Dimentions. Manteria uma carreria ativa durante toda a decada de sessenta gravando para diversos selos.

Tom Jones teve em seu primeiro gigantesco hit "It's Not Unusual" e seu lado B "To Wait For Love", a participação de Jimmy Page na guitarra rítmica. Os solos de guitarra no entanto são de Jim Sullivan. Embora gravado em final de 1964, este compacto foi lançado em janeiro de 1965.

The Who
Igualmente em janeiro de 1965 chega as lojas o primeiro compacto do The Who. Produzido por Shel Talmy, segurando o rítimo está Jimmy Page. Sua participação inclui-se no lado A, "I Can't Explain" e no lado B "Bald-Headed Woman."

Por encomenda de um selo francês chamado Barclay, foi organizado um disco de blues com músicos contratados especialmente para o projeto. O disco foi creditado como sendo The London All Stars, e Jimmy Page participa em três instrumentais de sua autoria. São eles "Stop The Drums", "Drum Stomp", e "Lord Byron Blues." Ao ouvir esta última, percebe-se logo a semelhança com um solo que ele faria famoso no primeiro álbum do Led Zeppelin, na versão da banda para "You Shook Me." Jimmy também participa das faixas "Coming Home Babe" e "Salvation."

The Hedgehoppers Anonymous
O quinteto The Hedgehoppers Anonymous foi formado por quarto aviadores da RAF em 1963. Inicialmente chamados de The Trendsetters, mudariam no ano seguinte para The Hedgehoppers, traduzindo, os Puladores de Arbustos, uma referência da aeronaútica para quem voa baixo. Seu nome definitivo foi estabelecido somente em 1965, quando o novo empresário Jonathan King sugeriu o adendo. Sua formação compreende Mick Tinsley nos vocais, Alan Ladd e John Stewart nas guitarras, Ray Honeyball no baixo e Leslie Dash na bateria.

O grupo assinou com a Decca e lançou uma série de compactos em dois anos. Destes, Jimmy Page participou apenas do primeiro, "It's Good News Week", com seu lado B, "Affraid of Love". Lançariam mais quatro outros compactos, nenhum repetido o sucesso do primeiro. Acabariam ao final de 1966.

Imagem
A banda Herman's Hermits funcionava como uma unidade operacional apenas para shows ao vivo. No estúdio, seus discos eram gravados por músicos contratados, geralmente enquanto o grupo excursionava. A participação real dos Herman's Hermits em seus discos se limitava aos vocais. Este era um procedimento relativamente comum praticado por várias bandas.

Artistas pertencentes ao empresário e produtor Mickie Most, praticamente todos os seus discos tiveram a praticipação de John Paul Jones no baixo, Clam Cattini na bateria e várias faixas contando com Jimmy Page na guitarra. É até o momento dificil determinar quais faixas exatamente. Que se confirma como certo, são as canções "Silhouettes" e "Can't You Hear My Heartbeat?", ambos de 1965. No entanto, podemos afirmar que Jimmy Page participa dos discos "Introducing Herman's Hermits" (65), "Their Second Album!" (65), "British Go Go" (65), "When the Boys Meet The Girls" (65), "Hold On!" (66) e "Both Sides of Herman's Hermits" (66).

Imagem
Bobbie Graham é o ex-baterista da banda The Outlaws, Bobby Graham que teve seu nome soletrado errado em seus dois lançamentos. Baterista preferido de Shel Talmy, ele pode igualmente ser ouvido em um sem número de discos de bandas inglesas a partir de 1962. Graham começaria no inicio de 1965 a produzir discos, além de tocar neles. Trabalhando para o selo Fontana, passou a contratar Jimmy Page com certa regularidade. Em um de seus primeiros trabalhos, a Fontana lhe deu a oportunidade de se autopromover. Graham gravou em fevereiro de 1965, quatro faixas para dois compactos. Para a proeza, convida Jimmy Page que além de tocar e co-produzir, tem co-autoria em duas das quatro faixas.

O primeiro compacto, "Skin Deep" (Louis Bellison), com seu lado B "Zoom, Widge And Wag"(Graham/Page), foi lançado em fevereiro de 1965. O segundo foi lançado somente no ano seguinte, igualmente em fevereiro, composto das faixas "Teensville" (Cogwell) e "Grotty Drums" (Graham/Page). A banda para estas sessões foi formado por Jim Sullivan no violão, Jimmy Page na guitarra, Kenny Salomon no órgão, Ray Davies no trumpete, Allan Weighell no baixo, com o Bobby Graham na bateria. Somando a esta banda, a faixa "Skin Deep" tem de diferente um naipe composto por Ray Davies e Bert Ezzard no trumpete, Don Lusher, Jack Thurgood e Gib Wallace no trombone, Alan Hakin nas percussões, além de Jim Sullivan com Jimmy Page nas guitarras.

Imagem
Através do contato com Bobby Graham, Jimmy Page conseguiu um contrato com a gravadora Fontana. Jimmy lança então o seu primeiro compacto como artista solo. No lado A temos a rara experiência de ouvir Page cantando em "She Just Satisfies." Curiosamente a canção lembra o instrumental "Revenge" lançado pelos Kinks, que tem Jimmy na guitarra, porém supostamente seria uma composição do empresário Larry Page e Ray Davies. No lado B, a faixa "Keep Movin'" tem Jimmy tocando guitarra, gaita e cantando com a namorada Jackie DeShannon. Bobby Graham participou destas sessões, assim como o engenheiro de som e velho amigo Glyn Johns. As duas canções aparecem como co-autorias de Page/Mason.

Imagem
Jimmy Page sempre teve liberdade artistica nas suas bandas Led Zeppelin e The Firm, ganhando fama e fortuna no processo. No entanto, seria somente em 1988 com a trilha sonora do filme "Death Wish II", de Michael Winner, a primeira experiência no chamado trabalho solo. A trilha receberia criticas mais favoráveis que o filme, embora ambos tenham vendido relativamente bem.

Imagem
Se uma trilha sonora não conta, "Outride", lançado em 1993, seria então o primeiro disco da carreira solo do guitarrista. Apesar de contar com certa qualidade artística, fracassou em promover qualquer interesse maior do grande público. Com as vendas substancialmente fracas em relação ao que se esperava, seus demais projetos serão necessariamente associados a outro grupo ou músico.

Mistério existe em torno do artista conhecido exclusivamente como Paul. As duas faixas, "Will You Follow Me" e "Head Death" tem suas composições creditados a Paul Bedford; no entanto, boatos dão conta que na verdade trata-se de um segundo trabalho solo de Jimmy Page usando um pseudônimo. De qualquer maneira, há poucas dúvidas que seja Page tocando guitarra e produzindo a sessão.

Barbara Lewis
Em fevereiro de 1965, Jimmy Page acompanha Jackie DeShanon para os Estados Unidos. Com oito composições feitas em dupla, algumas delas foram gravadas por atistas americanos. Barbara Lewis é uma cantora de pop-soul americana de Michigan, que chegou a gravar pelo prestigioso selo Stax. Lewis grava em 1965, "Stop That Girl", canção de autoria da dupla DeShannon-Page. É incerto se Jimmy tenha participado da sessão. Neste caso, é mais provável que ele seja apenas co-autor. A canção em si fez pouco para a carreira da cantora.

Gay Singleton
Outra agraciada com uma canção da dupla DeShannon/Page foi Gay Singleton. Ela gravou a canção "In My Time Of Sorrow", tendo Jimmy Page participando da sessão tocando o violão acústico. Anos mais tarde, Page, com o Led Zeppelin, gravaria a sua versão desta canção. Gay Singleton é mais lembrada por trabalhar como entrevistadora do programa de televisão inglês 'Ready Steady Go'. Singleton, mais adultazinha, chegou a investir em uma carreira como atriz, participando do filme 'Permissive' de 1970.

Mais uma artista a gravar uma composição da dupla DeShannon/Page é a cantora Judi Smith. Jimmy Page lhe oferece "Tears Come Tumbling Down" e "Come My Way" para gravar. Page, além de co-autor, toca violão na faixa.

Como o nome sugere, The Sheffields vieram mesmo de Sheffield e é uma banda de r&b claramente influenciados pelos Rolling Stones. Começaram no final de 1963 e assinaram no ano seguinte com a Pye Records onde gravaram três compactos. O primeiro, "It Must Be Love" com "Say Girl", tem o auxílio de Jimmy Page. O ponto alto dos Sheffields foi servir de banda para Memphis Slim em sua passagem pela Inglaterra.

Imagem
Jimmy Page e provavelmente John Paul Jones trabalham juntos participando das gravações de outro americano, Burt Bacharach, no álbum "Hitmaker", lançado pela London Records em maio de 1965. Com o álbum, também saiu o compacto da faixa de trabalho "Trains And Boats And Planes." A canção tem em primeiro plano o grupo vocal feminino The Breakaways. Praticamente todas as canções neste album tem Jimmy Page no violão e guitarra. É possível sua participação tambem na trilha sonora do filme "After The Fox", lançado em 1966. O álbum inclui faixas com os ingleses Peter Sellers e a banda The Hollies.

A dupla Kenny And Denny é composta por Kenny Rowe e Denver Gerrard, dois 'folkies' que chamaram atenção de Andrew Oldham por fazerem folk-rock criativo e de boa qualidade. Neste compacto lançado pela Decca, Jimmy Page produz e toca nas faixas "Try To Forget Me" e "Little Surfer Girl." Quando Oldham deixa a Decca e funda a Immediate Records, a dupla imigra para o selo e passam a ser promovidos como a banda The Fifth Avenue.

As faixas "The Bells Of Rhymney", repertório original dos Byrds, e "Just Like Anyone Would Do," uma composição do próprio Jimmy Page, são novamente produzidos pelo guitarrista que provavelmente toca também em ambas. Literalmente o segundo lançamento do selo recém criado em agosto de 1965, vendeu muito pouco e jamais chegou as paradas de sucesso, nem mesmo em enésimo lugar. A dupla acabou em 1966 com Denver Gerrard seguindo solo utilizando o nome Denny Gerrard.

Imagem
A carreira de Marianne Faithfull começou com o interesse do empresário dos Rolling Stones, Andrew Oldham, pela então bela adolescente. Seu primeiro álbum, "Marianne Faithfull", foi gravado com músicos contratados. Com direção musical de Mike Leander, o principal guitarrista destes álbuns é Jim Sullivan, porém acredita-se que Jimmy Page esteja envolvido na gravação de "Come And Stay With Me", composição de sua namorada Jackie DeShannon e "What Have I Done Wrong", composição de Mike Leander. Possivelmente Page esteja também na faixa "In My Time Of Sorrow", composição da dupla Jackie DeShanon/Jimmy Page. É certo que ele esteve ao menos presente supervisionando a sessão.

O segundo álbum de Marianne Faithfull, "Come My Way", lançado simultanemente com o primeiro, é mais orientado para o folk e country, enquanto o anterior traz uma orientação mais para o gosto pop. É considerada provável a participação de Jimmy Page em um bom número de faixas deste segundo álbum, embora Jim Sullivan também deva estar presente.

Imagem
The Thee foi uma banda de garagem da área de Hampstead, descoberta por Reggie King, motorista particular de Andrew Oldham. Através deste contato, The Thee conseguiu gravar "Each and Every Day", uma das composições mais obscuras da dupla Jagger-Richard, como também "There You Go", composição de Andy Mitchell, um de seus integrantes. O compacto foi lançado em maio de 1965 e logo mostrou que não ia dar em nada. O lado B é tranquilamente mais agitado e tem a guitarra de Jimmy Page.

Dificil mesmo é saber ao certo em quais músicas ou álbuns participa Jimmy Page na discografia de Paul Anka. Este canadense tem sua carreira ligada ao rock da década de cinquenta com seu mega hit "Diana", que lançada em 1957, teve até versão em português composta durante a Jovem Guarda. Outros grandes sucessos incluem "Put Your Head On My Shoulders" e "Puppy Love" ambos de 1959. Compôs "My Way", sucesso na voz de Frank Sinatra e o "Tonight Show Theme", tema de um programa de entrevistas que está no ar até hoje. Novamente, não há muitas dúvidas que tanto Jimmy Page quanto John Paul Jones tenham participado de algumas de suas gravações feitas na Inglaterra. Dois números mais apontados como tendo Jimmy Page são "To Wait For Love" e "Behind My Smile", ambos lançados pela RCA em 1965.

Royd Rivers & Cliff Aungier é uma conhecida dupla de folk inglesa que junto com Gerry Lockran cuidavam do Folksville Folk Club em Putney na década de sessenta. Folk com muita influência de blues, ambos tocam violão acústico enquanto Royd também toca gaita de boca. Gravam pela Decca em 1965 o disco "Wanderin'", que é produzido por Jimmy Page.

Imagem
Uma interessante porém pouco projetada artistas é a cantora e compositora Vashti, de vinte e um anos de idade. Andrew Oldham a descobriu e lhe trouxe para Decca, onde produziu as sessões que deram as canções "Some Things Just Stick In Your Mind" composição da dupla Jagger-Richard, com o lado B, "I Want To Be Alone" de sua própria autoria. As sessões contaram com a supervisão de Mick Jagger, a guitarra de Jim Sullivan e de Jimmy Page, como também o piano de Nicky Hopkins.

Quando Oldham deixou a Decca para formar Immediate Records, trouxe Vashti para o seu selo onde ela continuou a lançar uma série de compactos musicalmente interessantes, porém comercialmente inexpressivos. Com o fim do selo em 1970, ela assina com a Phillips onde passa a usar o seu nome completo, Vashti Bunyan. Ela grava para Phillips um excelente álbum, que sofre apenas por falta de divulgação.

The Majority foi uma banda originalmente de Hull que assinou com a Decca em 1965, permanecendo até 1968. Seu primeiro compacto, "Pretty Little Girl" com "I Don't Wanna Be Hurt No More", teve a participação de Jimmy Page. Embora nunca tendo sucesso em termos de vendas, foram relativamente populares por se especializarem em festas e bailes de debutantes. Gravaram oito compactos durante sua existência, todos pela Decca. O segundo foi "A Little Bit Of Sunlight", composição de Ray Davies dos Kinks enquanto o último, "All Our Christmases" foi uma composição dos irmãos Gibb dos Bee Gees.

The Talisman
The Talisman é outra banda produzida por Shel Talmy que conta com a participação de Jimmy Page e Bobby Graham. O primeiro compacto consiste em um cover de Bob Dylan, "Masters of War" e outro de Bo Diddley, "Casting My Spell." Outras faixas com a participação de Page incluem "You Break My Heart", "The Wall", "Parchment Farm", "I Gotta Move" e "What Kind of Boy?"

Esse material saiu todo pelo pequeno selo Stateside, que pertence a Shel Talmy. A banda depois seguiu para Côte D'Azur e depois para a Itália onde gravaram um LP em 1966.

Existem seis bandas com o nome de The Outsiders, todas aproximadamente do mesmo período. Quatro americanas (um de Cleveland, Ohio; um de Michigan City, Indiana; um de Brooklyn, New York; e um de Tampa, Florida), uma inglesa e a melhor e mais conhecida de todas, a holandesa.

Mick Wayne, ex-Hullabaloos, é membro desta banda inglesa que grava apenas um compacto lançado pela Decca em 1965. Jimmy Page compõe, produz e toca guitarra nas duas faixas, "Keep On Doing It" e "Songs We Sang Last Night." Na década de setenta viria a surgir na Inglaterra uma banda punk também chamada The Outsiders, que nada tem a ver com esta.

The Pickwicks se chamavam The Echo Four até serem contratados pelo empresário Larry Page e este mudar o nome da banda. Jimmy Page gravou com eles possivelmente em duas ocasiões. A primeira seria no seu lançamento de agosto de 1964 pela Decca, "You're Old Enough" com "Hello Lady". Cinco meses depois, em janeiro de 1965, desta vez pela Warner, lançam o compacto "Little By Little", composição mais obscura da dupla Jagger-Richard, com o lado B "I Took My Baby Home", composição de Ray Davies dos Kinks.

Andrew Oldham e seu sócio Tony Calder fundaram em agosto de 1965, a Immediate Records. Oldham então contratou Jimmy Page como produtor artístico do selo. Mais uma fonte de material constante para Page participar, seja como músico, seja como produtor da sessão.

Imagem
As sessões para o selo Barcley no início do ano reacenderam o desejo de Page de explorar mais o blues elétrico. Nas horas vagas, Page investe seu tempo com blues e convida amigos para 'brincarem' juntos. Vários destas jam sessions, ou seja, sessão de improvisos, foram gravadas embora sem nenhum intuito de serem usadas comercialmente. O material porém acabou sendo lançado pela Immediate Records sob o nome de The Immediate All Stars. O termo 'All Star' em inglês seria o equivalente a palavra 'seleção' em português.

Ricky Brown e Carlo Little
Assim, temos nestas gravações uma seleção de excelentes músicos. A banda basicamente conta com Carlo Little na bateria, Ricky Brown no baixo, Nicky Hopkins no piano e Jimmy Page na guitarra. Todos, menos Page, membros da antiga banda de Cyril Davies, The All Stars, mais um fator que explica o nome escolhido. As gravações rendem as faixas "L.A. Breakdown", "Down In The Boots" (Page), "Without You" e "Climbing Through".

Depois, Page faria dupla com o novo guitarrista dos Yardbirds, Jeff Beck. Eles 'brincam' juntos em "Chuckeles", "Steelin'" e o clássico de garagem "Louie, Louie." Ainda tem a faixa "Piano Shuffle" onde o destaque passa a ser os dedos mágicos de Nicky Hopkins.

Jimmy Page e Jeff Beck
A rara genialidade de uma dupla composta por Jimmy Page e Eric Clapton foi gravada em agosto de 1965. As faixas são "Draggin' My Tail", "Miles Road", "Freight Loader", "Choker", "Snake Drive", "West Coast Idea" e "Tribute To Elmore". Esta banda é diferente da anterior gravada com Jeff Beck. Ela é composta por Eric Clapton e Jimmy Page nas guitarras, Ian Stewart no piano, Bill Wyman no baixo e Chris Winters na bateria.

Tendo a maior parte do resultado destas tardes de lazer acabando por ser prensados e distríbuidos pelo selo Immediate Records, houve problemas no relacionamento entre Eric Clapton e Jimmy Page. Comenta-se que Clapton ficaria mais de uma década sem falar com Page por conta do incidente.

Imagem
The Larry Page Orchestra é uma jogada commercial do empresário Larry Page de se autopromover em pé de igualdade com Andrew Oldham e sua orquestra, que por sua vez, imita o feito de George Martin que com sua orquestra lançou em 1964 um disco com arranjos orquestrais para canções dos Beatles. Larry Page no entanto, continuaria a lançar ocasionais álbuns durantes as próximas três décadas.

Neste que é sua primeira expriência, Larry Page busca expor as melodias de Ray Davies dos Kinks sob outra luz. O álbum oferece doze faixas, uma delas, "One Fine Day," composição do irmão Dave Davies, nunca lançado pelos Kinks. No geral, o disco é bem muzak, e de interessante apenas as presenças de Jim Sullivan, Jimmy Page e John Paul Jones. Jimmy Page pode ser ouvido em "One Fine Day," "You Really Got Me" e "Everybody's Gonna Be Happy."

Sean Buckley and The Breadcrumbs é um quinteto montado por Sean Buckley nos vocais, Colin Banyard e Kevin Sheehan nas guitarras, Vince Nichols no baixo e David Simmonds na bateria. Produzido por Shel Talmy para o seu selo Stateside em 1965, a faixa "Everybody Knows" tem a participação de Jimmy Page.

Nico
Quando Christa Päffgen, mais conhecida pelo nome de Nico, chegou à Inglaterra, ela já era uma modelo internacional, atriz em "La Dolce Vita", um filme de Fellini, e mãe de Ari Delon, o filho de Alan Delon. Nico foi contratada por Andrew Loog Oldham para o seu novo selo Immediate Records, pensando em fazer com ela o mesmo que fez com Marianne Faithfull, ou seja, produzir uma canção cativante e deixar a Inglaterra se apaixonar pela a beldade, comprando seus discos no processo. Em agosto sai "I'm Not Saying" composição de Gordon Lightfoot, com o lado B, "The Last Mile", faixa da dupla Oldham/Page. Jimmy toca guitarra nas duas faixas enquanto membros dos Rolling Stones tocam no lado A. Assim sendo, "I'm Not Saying" tem como importância, o registro de Jimmy Page e Brian Jones nas guitarras.

Nico depois trocaria Londres por Nova York onde com a ajuda de Andy Warhol, acabaria eternamente associada com o primeiro disco do Velvet Underground. Participaria de uma série de filmes alternativos de Warhol e gravaria o álbum "Chelsea Girl", nome também de um de seus filmes. O álbum, lançado em 1967, tem três composições de um ainda jovem Jackson Browne. Seus demais álbuns serão todos produzidos por John Cale.

Gregory Phillips era um ator, que começou sua carreira aos quatorze anos no filme "I Could Go On Singing", contracenando com Judy Garland. Neste ambiente conheceu atores como Peter Finch e Ann Brancroft, como também estabeleceu fortes amizades com a filha de Judy Garland, Liza Minelli, assim como Kit Lambert, assistente de produção do filme, que mais tarde seria empresário do Who e Steve Marriot, colega de sala em escola de teatro. Phillips e Marriot eram ambos apaixonados por rock 'n' roll e portanto viviam tocando violão e cantando juntos números de Buddy Holly e Eddie Cochran. Durante toda década de sessenta Phillips e Marriot continuariam grande amigos, Phillips assistindo e participando em vocais de várias faixas dos Small Faces.

Sonhando com uma carreira de músico, porém sem deixar a carreira de ator, Phillips muda de agente, exigindo que lhe negociasse um contrato com alguma gravadora. Assim, foi contratado pela Pye Records em 1963, onde acabaria lançando três compactos. Neles, o cantor apareceria apenas no dia de gravar sua voz e não tinha idéia de quem estivesse tocando neles. É possível que Jimmy Page tenha participado de qualquer uma dessas sessões, embora ainda não tenha sido encontrado nada que confirme este fato. Podemos afirmar, no entanto, que o lado B do segundo compacto, "Closer To Me", tem como banda o grupo de Liverpool The Remo Four. No terceiro compacto, o lado B é a então banda de Peter Bellote, The Sinners. Bellote na década de setenta faria uma fortuna produzindo discos da Donna Summer.

Foi durante sua apresentação no programa de TV, 'Thank Your Lucky Stars' em 1964, que Greggory conheceria Andrew Oldham. No ano seguinte ele recebeu um convite para gravar para Immediate Records. Ainda sem maior participação na criação do disco, Andrew lhe deu um demo da música "Down In The Boondocks" composição de Billy Joe Royal. Greggory apareceu apenas no dia para gravar, mas recorda que o produtor da sessão foi Andrew Oldham. Comenta também que o arranjador foi Jimmy Page, que também supervisionou a sessão junto com ele, Geggory. Ouvindo a faixa, não há porquê duvidar de que a guitarra gravada seja de Jimmy Page. O lado B é um instrumental creditado à nova dupla Oldham/Page, chamado "That's The One."

Greggoy Phillips ainda gravaria dois LP's com a banda Charlie & the Wideboys em 1974 e 76, lançados pela Anchor Records. Hoje ele é sócio de um centro de tratamento para pessoas com dependência e problemas de saúde mental.

Andrew Oldham encontrou a banda The Masterminds, em um clube de Liverpool, aproveitando a passagem dos Rolling Stones pela cidade. Formados por George Cassidy no baixo e vocais, Joey Molland na guitarrra e vocais, Dougie Meakin na guitarra rítma, Chris Findley nos teclados, e Jay Rathbone na bateria, Oldham ficou bem impressionado com a versão apresentada de "She Belongs To Me" de Bob Dylan. Contratou a banda para o seu selo, Immediate Records.

Lançaram um único compacto, "She Belongs To Me" e "Taken My Love," produzido por Oldham. A canção do lado B é uma composição da dupla Andrew Oldham e Jimmy Page e a faixa conta com Page na guitarra. Retornando para Liverpool, The Masterminds passam por mudanças de integrantes antes de acabarem de vez. Vários membros apareceram em várias outras bandas, porém o único a se tornar famoso foi Joey Molland em 1970, como integrante da banda Badfinger.

Val Lenton, artista da Immediate, lançou em outubro "Gotta Get Away" com "You Don't Care" como seu lado B. Jimmy Page é creditado na canção do Lado A. Pouco se sabe sobre a biografia deste artista. Possivelmente sequer exista, sendo nada além do que um nome exibido no papel do selo de um compacto.

John Mayall
Jimmy Page serviu de produtor para algumas sessões do John Mayall's Bluesbreakers, banda em que estava Eric Clapton. Page produziu as faixas "Telephone Blues", "I'm Your Witchdoctor", "Double Crossing Time" e "On Top Of The World." Apenas as duas primeiras foram aproveitadas.

A Immediate Records lançou em outubro de 1965 a banda Golden Apples of the Sun, que foi empresariada por Andrew Oldham. O fotógrafo David Bailey aparentemente também teve alguma participação artística na carreira deles. O primeiro e único lançamento desta curiosa banda foi o compacto "Monkey Time" com "Chocolate Rolls, Tea And Monopoly," como seu lado B. Ambas as faixas contam com a participação decisiva de Jimmy Page.

Glyn Johns trabalhou de graça no primeiro compacto de Jimmy Page para o selo Fontana. Retribuindo o favor, Jimmy Page facilita a entrada do amigo na Immediate Records, para realizar o tão sonhado compacto solo. Page produz e toca nas duas faixas, "Mary Anne" e "Like Grains Of Yellow Sand." Seu compacto é lançado em novembro de 1965.

Imagem
Nascido em Kent, Robin Peter Smith se tornou Crispian St. Peters em meados da década de sessenta. Ganhando muita atenção em 1966, em parte por se auto declarar mais excitante que Tom Jones, mais sexy que Dave Berry e melhor letrista que Lennon e McCartney, Crispian St. Peters gravou o álbum "Follow Me" que tem a participação de Jim Sullivan e Jimmy Page distribuído pelas faixas.

Em novembro de 1965, ele lança "You Were On My Mind" com "What I'm Gonna Be". Quatro meses depois sai "The Pied Piper" e "Sweet Dawn, My True Love", ambos compactos tendo pelo menos uma faixa com Jimmy Page cada. Crispian St. Peters continuou lançando discos até 1970, embora sem o mesmo sucesso e depois passou a aparecer nos circuitos de nostalgia.

Donovan surgiu em 1965 tocando folk e sendo tratado pela imprensa inglesa como uma versão nacional de Bob Dylan. Cansado desta comparação, Donovan mudou de empresário e de gravadora, trabalhando agora com Mickie Most e Epic Records a partir de 1966. Foi através da associação com Most que seus discos passaram a ser frequentados por nomes como John Paul Jones e Jimmy Page.

Imagem
Apesar de ter sido gravado em final de 1965, o álbum "Sunshine Superman" só seria lançado em dezembro de 1966. A faixa título tem a participação de Jimmy Page, que voltaria a tocar no álbum "Wear Your Love Like Heaven". Neste, sua participação supostamente se resumiu às únicas duas canções que chegaram às paradas de sucesso, a faixa título "Wear Your Love Like Heaven" e "Oh Gosh." Contúdo, é possivel que a participação de Page se estenda a outras canções. Como detalhe, Jack Bruce também contribui em algumas faixas deste álbum.

Jimmy Page ainda iria participar do compacto "Hurdy Gurdy Man" com "Teen Angel" lançado em maio de 1967. "Hurdy Gurdy Man", o álbum, sairia apenas em 1968 e sem outras contribuições por parte de Page. Donovan seguiria com uma carreira de sucessos que secariam ao final da década. Porém seu nome se tornará simbolo da era flower power e movimento hippie inglês. Seu último No.1 foi "Atlantis" que teria a participação de Paul McCartney no pandeiro e vocais de fundo. Donovan ainda gravaria os álbuns "Barabajagal (Love Is Hot)" e "Open Road" com o Jeff Beck Group atuando como sua banda em algumas canções. Durante as decadas seguintes, Donovan escreveu material para algumas trilhas sonoras e participou como ator em vários filmes. Casou com Linda Lawrence e criou o filho de Brian Jones, Julian Jones.

The Pretty Things
São poucas as bandas mais doidas do que The Pretty Things. Criada por Phil May e Dick Taylor, seis meses depois de Taylor deixar os Rolling Stones (onde foi substituido por Bill Wyman), The Pretty Things, embora geralmente esquecido nas relações de grandes bandas da década de sessenta, foi de fato uma das melhores, mais sujas e mal comportadas que existiram naqueles tempos.

Embora sem conseguir nenhum sucesso nos Estados Unidos, tem fãs fiéis na Inglaterra. A banda persistiu e durou até quase a década de oitenta. Em seu segundo disco, "Get The Picture", Jimmy Page toca guitarra e pandeiro, além de receber co-autoria para a canção "You Don't Believe Me" (Graham/May/Morrell/Page). A faixa teria também a participação de John Acutt e Twink Alder, respectivamente baixista e baterista da banda The Fairies. O baixista original John Stax, na ocasião da gravação da faixa, estava recém casado e à caminho de sua lua de mel, enquanto o baterista Viv Prince fora preso por embriaguês pública após a festa de casamento. Aparentemente a caminho de sua casa, ele foi interpelado por um guarda, iniciou uma discussão e depois de derrubar o quepe do referido policial, acabou detido.

O álbum foi produzido por Bobby Graham, pois Jack Baverstock, o produtor escalado, alegou incompatibilidade em função da fama que a banda tinha de ser "zoneira". Segundo consta, a ética de trabalho da banda realmente era difícil, especialmente com as bebedeiras.

Imagem
Originários de Wolverhamton, o grupo The N'Betweens é formado em 1965 por Neville 'Noddy' Holder e Dave Hill nas guitarras, Jimmy Lea no baixo, e Don Powell na bateria. A faixa "You Don't Believe Me" dos Pretty Things seria igualmente dada a eles para gravar em final de 1965. Este compacto seria lançado apenas em um EP francês pelo selo Barclay e teria sua produzição assinada por Bobby Graham. Apesar de provável, existem dúvidas se a faixa tem mesmo a participação de Jimmy Page ou não.

Descobertos por Kim Fowler e levados para Columbia em 1966, The N'Betweens gravariam uma série de compactos sem conseguir decolar nas paradas. No entanto ao vivo, a banda conseguiu juntar uma pequena legião de fãs fiéis no interior da Inglaterra. Passariam para a Fontana Records no final da década, onde Jack Baverstock mudaria o nome da banda para Ambrose Slade. Em 1969, lançariam "Genesis", primeiro compacto pelo selo utilizando o nome. Trocando de empresário, passam a trabalhar com Chas Chandler, que encurta o nome da banda para Slade, conseguindo na década de setenta boa fama e prestígio internacional. "You Don't Believe Me" reapareceu no álbum "A Genesis of Slade", coletânea de raridades do conjunto.

Sessões 1966

Jimmy Page trabalha em um número cada vez maior de artistas que embora não sejam roqueiros, com a popularização cada vez maior do rock, passam a incorporar a guitarra elétrica além de uma batida mais roqueira para alguns de seus números. Page cansa de sua vida repetitiva, e quando aparece pela segunda vez um convite para se unir aos Yardbirds, decide aceitar. No entanto, ele continuaria trabalhando nas folgas como músico de estúdio. Apesar dos Yardbirds estarem quase sempre em meio a alguma excursão, é admirável a quantidade de material que Jimmy Page tenha participado durante este período, a maioria para músicos e bandas com quem já trabalhara antes.

Les Fleur de Lys
Uma das mais interessantes bandas entre as obscuras é Les Fleur De Lys. A banda surgiu no outono de 1964 em Southampton, formada por Frank Smith (guitarra e vocais), Alex Chamberlain (órgão), Gary Churchill (baixo) e Keith Guster (bateria). Foram contratados pela Immediate em 1965, graças ao impacto de uma de suas excelentes apresentações ao vivo em Londres. Jimmy Page produz a sessão que oferece duas faixas para o primeiro compacto. O Lado A é uma versão para a composição de Buddy Holly, "Moondreams" acompanhado por "Wait For Me" no lado B. O compacto saiu em novembro de 1965, porém nada vendeu e a banda acabou.

Keith Guster então montou outra versão da banda, agora chamada The Fleur De Lys. A formação nova é Pete Sears (teclados), Phil Sawyer (guitarra), Gordon Haskell (baixo) e Keith Guster (bateria). Ainda em 1966, a Immediate lança o segundo compacto, novamente produzido por Jimmy Page, "Circles" de Pete Townshend, "So Come On" no lado B. Sem nada venderem, a banda novamente sofre mudanças em sua formação, deixando a Immediate e assinando com a Polydor.

Fleur De Lys continuaria em atividade até o final da década com constantes mudanças em sua formação. Membros inclui passagens de Jimi Hendrix, Chris Andrews, Bryn Haworth, Tago Byers, Tony Head, Graham Maitland, Barney Kessel e Sharon Tandy. Pete Sears deixou o grupo e se mudou para a costa oeste dos Estados Unidos, onde participou de uma serie de bandas de San Francisco antes de acabar em uma das formações do Jefferson Airplane. Phil Sawyer fez uma passagem rápida pelo Spencer Davis Group. Gordon Haskell acabaria se juntando ao King Crimson no final de 1969.

Twice As Much foi um duo formado por Stephen Rose e David Skinner. Recém-saídos da escola, foram vistos e assinaram com a Immediate Records por Andrew Oldham em 1966. A primeira tentativa da banda foi "Sittin' On The Fence" composição de Mick Jagger e Keith Richard, e que teve a participação de Jimmy Page. Vendeu relativamente bem, chegando a No. 25 nas pararads. Isto deu a possibilidade para o lançamento do primeiro disco, "Own Up". O álbum é repleto de composições da dupla. Com ele veio também o segundo compacto, "Step Out Of Line." Este já não vendeu como o compacto de estréia embora também teve sua sessão administrada por Jimmy Page.

Não há nenhum indício de que Page tenha gravado seu terceiro compacto, "True Story", mas suspeitas recaem sobre "Crystal Ball" de 1967, a quarta tentativa do grupo. A banda lançaria pelo selo mais um álbum em 1968, "That's All", tendo a participação especial de Vashti, outro contratado de Oldham. David Skinner reapareceria em 1979 na banda Roxy Music.

A carreira do excelente vocalista Chris Farlowe começou no ano de 1960, porém seria somente depois de assinar com a Immediate Records, trazido por Mick Jagger, que ele viria conseguir na Inglaterra o reconhecimento merecido. Junto com sua banda The Thunderbirds que teve diversas formações, principalmente na segunda metade da década, Chris Farlowe se estabeleceu em um imprtante nome representando rhythm & Blues em pé de igualdade com outro grande do gênero, Eric Burdon, muito embora em comparação, Farlowe teve pouca exposição no mercado americano.

Imagem
Jimmy Page contribuiu para os compactos "Out Of Time", seu lado B, "Baby, Make It Soon", e "Cuttin' In", com lado B "Paint it Black." Essas faixas também podem ser encontrados no álbum "14 Things To Think About Chris Farlowe", que chegou às lojas em maio de 1966. Produzido por Mick Jagger e com arranjos de Arthur Greenslade, os músicos destas sessões foram Jimmy Page na guitarra, John Paul Jones no baixo, Nicky Hopkins no piano e Ronnie Verrell na bateria, além de uma contribuição de Jagger nos vocais de fundo.

Chris Farlowe & The Thunderbirds
Sua banda desta época, The Thunderbirds, participa também de outras gravações, e compreendem Albert Lee na guitarra, Dave Greenslade no órgão, Ricky Charman no baixo e Johnny Wise na bateria. Embora algumas fontes sugerm que Jimmy Page possa ser encontradas também na canção "Moanin'", lançado em 1967, é certo que nesta gravação o guitarrista seja Jim Sullivan.

Albert Lee, que já havia sido preterido por Page em 1962 e 63 quando ainda tocava para Neil Christian & The Crusaiders, iria acabar se tornando um respeitável guitarrista de aluguel, trabalhando para bandas como Heads Hands and Feet e Joe Cocker & The Cock 'n' Bull Band. Montaria sua própria Albert Lee Band em 1975, antes de excursionar com as bandas de Eric Clapton e Emmylou Harris. Outro membro, Dave Greenslade, também teria uma carreira de certo renome fundando as bandas Colosseum e Greenslade.

Curisoso é o nome do escritor Charles Dickens associado a rock 'n' roll. No entanto, um artísta com este nome lançou dois compactos pela Pye em 1965, o primeiro chegando a vender relativamente bem. Charles Dickens era na verdade David Anthony, conhecido fotógrafo de moda tentando sua sorte no mundo pop. Sua banda era composta por Brian Simmons (guitarra) e Brian Davidson (bateria), que já haviam gravados para Decca com o nome The Habits. Davidson, através da Immediate Records, ficaria mais conhecido como integrante do The Nice.

Como Charles Dickens, David Anthony e The Habits seriam contratados pela Immediate Records, lançando em fevereiro de 1966 o compacto "So Much In Love", composição da dupla Jagger-Richard, com o lado B, "Our Soul Brothers TH." Este lado B na verdade é The All Stars de Cyril Davies, sem o Cyril. Jimmy Page participa dos dois lados.

Imagem
Similarmente dificil de localizar são as gravações de Page para Englebert Humperdinck. Sabe-se que tal colaboração existiu, como também a de John Paul Jones e Clem Cattini, respectivamente baixo e bateria. Parece inevitável abrir uma rede bem espalhada de especulação, incluindo assim os seus discos "Release Me" e "Mercury" ambos de 1966, e o auto-intitulado "Engelbert Humperdinck" de 1969. Não foi possivel ainda confirmar em quais canções Jimmy Page efetivamente participa.

O ponto forte deste grupo de Manchester, The Factotums, eram os vocais. Contratados em 1965 pela Immediate Records, lançaram bons compactos que infelizmente nunca venderam o suficiente para poder-se investir em um álbum. O lado B de seu segundo e último compacto pela Immediate, "Can't Go Home Anymore My Love", lançado em 1966, tem Jimmy Page na guitarra. A banda seguiria para os selos Piccadilly, Pye e CBS até sumirem ao final da década.

JPinkerton
A banda Pinkerton's Assorted Colours foi originalmente formada em 1964 na cidade de Rugby, na Inglaterra, com o nome de The Liberators. Apesar de lançarem um compacto produzido por Shel Talmy, o primeiro hit, "Mirror, Mirror", veio apenas após mudarem de nome. Assinaram com a Decca no final de 1965, a banda agora formada por Samuel Kemp nos vocais e autoharp, Tom Long, depois substituido por Steve James e Tony Newman nas guitarras, Barrie Bernard, depois substituído por Ian Coleman no baixo e Dave Holland na bateria. Em 1966, incapazes de fugir do estigma de banda de apenas um sucesso, mudaram para o selo Pye, e encurtaram o nome para Pinkerton's Colours.

Jimmy Page provavelmente participou de algumas das faixas de seus compactos lançados entre 1966 e 1967. São elas, "Magic Rocking Horse", e "It Ain't Right" de 1966, ainda pela Decca, e "Mum And Dad" e "On A Street Car", lançados pela Pye em 1967. Os próximos lançamentos sairiam já com o nome de The Pinkerton's. O grupo continuaria unido até 1971, porém mudariam de nome mais uma vez, agora para The Flying Machine.

Um de seus números, "Magic Rocking Horse", encontraria vida nova na versão da banda americana Plasticland. Barrie Bernard depois tocou na banda Jigsaw, enquanto Ian Coleman se tornou um DJ para a Rádio BBC de Londres, usando o nome Stuart Colman.

The Bachelors
Bem mais r&b é The Bachelors, uma banda Irlandesa montada pelos irmãos Conleth. Chegaram na Inglaterra em 1959 como The Harmonichords, mas logo mudaram seu nome e em 1962, assinam com a gravadora Decca. Conseguem produzir seguidos hits anualmente, com canções como "Charmaine" em 1963, "Diane" em 1964 e "Sound of Silence" em 1965.

Jimmy Page participa do álbum "Bachelor Girls" de 1966, embora no momento torna-se difícil especificar em qual canção. A banda continuou com a Decca até 1967, seguindo depois para os circuitos de cabaré onde mantiveram unidos e ativos até 1984.

Tommy Vance foi um DJ que acabou ficando bastante popular depois do fracasso de sua tentativa como artista fonográfico. Sua carreira se limita a dois compactos lançados pela Columbia em 1966. O primeiro, "You Must Be The One" é uma composição da dupla Jagger-Richard, com o lado B "Why Treat Me This Way", foi lançado em setembro. Jimmy Page está envolvido com estas faixas, tocando provavelmente nos dois lados. O segundo compacto de Vance, "Off The Hook", outra composição Jagger-Ricard, com "Summertime" no lado B, possivelmente tenha também a participação do guitarrista.

The Everley Brothers
Os irmãos Don e Phil Everley iniciaram suas carreiras antes da adolescência tocando e cantando violão ao lado do pai, Ike Everley, nas estações de rádio regionais de Iowa, estado americano onde nasceram. Em 1957, Don teve a idéia de dar à canção "Bye, Bye Love" um ritmo a lá Bo Diddley e a transformou em um clássico. Com vários hits, o duo é tão influente no rock quanto Chuck Berry ou Buddy Holly, principalmente na Inglaterra. A principal diferencia é que seu som é essencialmente acústico. É praticamente impossivel conceber bandas como Hollies, Byrds, Mamas & the Papas e tantas outras, se não houvesse The Everley Brothers. Jimmy Page, novamente ao lado de John Paul Jones, trabalham juntos em "Somebody Help Me" e "Hard Hard Year" ambas do LP "Two Yanks In England", de 1966.

Apresentador de TV e comediante, Jimmy Tarbuck assina com a Immediate Records e lança um compacto montado para ele com músicos profissionais. Jimmy Page participa de lados A e B, respectivamente "Someday" e "Wastin' Time."

Imagem
Terry Reid teria primeiro aparecido como vocalista do conjunto Peter Jay & the Jaywalkers em 1964. Todavia somente dois anos mais tarde é que Mickie Most lhe escolheria para investir em sua carreira solo. Seu primeiro lançamento foi "The Hand Don't Fit The Glove" com "Better By Far." Acredita-se que foram nestas sessões que Page e Reid se conheceram. Talentoso cantor e guitarrista, embora Terry Reid sempre tenha sido considerado uma grande promessa, efetivamente nunca aconteceu.

Reid é até hoje lembrado como sendo a segunda escolha de Jimmy Page para vocalista/guitarrista rítmico da nova banda que pretendia formar. Por problemas contratuais, Reid foi obrigado a declinar, mas sugeriu a Page ir ouvir um jovem desconhecido chamado Robert Plant.

Imagem
Cliff Richard é outro que pode gabar de ter em outubro de 1966, Jimmy Page tocando gaita em "Time Drags By." Cliff Richard foi o equivalente a Elvis Presley na Inglaterra na década de cinquenta, com sua banda The Drifters e depois The Shadows. Seguiu então em uma carreira solo e é até hoje uma celebridade, extremamente amado e respeitado pelo grande público inglês.

Quando The Merseybeats acabaram em 1964, parte da banda formou o duo The Quotations, outra parte fundou The Merseys, essencialmente um duo de vocalistas tarimbados em fazer harmonias montados por Tony Crane e Billy Kinsley. Em Liverpool, utilizavam os services de The Fruit Eating Bears, formado por ex-membros do The Masterminds como banda. Para o seu primeiro compacto, "Sorrow" com "Some Other Day", lançado em maio de 1966, a banda que os acompanha é formado por Jimmy Page na guitarra, Jack Bruce no baixo e Clem Cattini na bateria.

"Sorrow" agradaria tanto que George Harrison citaria uma frase da canção, "your long blond hair and your eyes so blue" em sua composição "It's All Too Much", lançada pelos Beatles. Mais tarde, David Bowie iria incluir sua versão de "Sorrow" no disco "Pin-Ups" de 1973. O trabalho do The Merseys também atraiu o interesse de John Lennon que propôs arranjar e produzir uma versão de "I'll Be Back", ideia que acabou nunca se materializando.

A banda acabaria em 1969, após lançar um compacto usando o nome de The Crackers. Crane formaria a banda The New Merseybeats trabalhando no circuito de cabaret enquanto Kinsley veria o sucesso de verdade em 1976 como integrante de The Liverpool Express.

Savoy Brown
The Savoy Brown Blues Band surgiu em 1966 e trazia em sua formação original Kim Simmonds, Bruce Portius, Bob Hall, Martin Stone, Ray Chappell, e Leo Manning. Andrew Oldham consegue com que assinem com a Immediate Records, onde gravam para Brian Jones parte da trilha sonora do filme 'A Degree of Murder'. Jimmy Page, que também trabalhou nesta trilha sonora, acaba participando de duas das quatro faixas que Savoy Brown registra para a Purdah Records, gravadora de blues do produtor Mark Vernon. São elas, "I Tried" e "I Can't Quit You Baby", a banda depois seguindo adiante e assinando com a Decca.

Com o nome simplificado para apenas Savoy Brown, produzem uma série de excelentes discos de blues e boogie, com uma rotatividade constante de integrantes nas suas formações. A banda continua excursionando e lançando discos até os dias de hoje.

Uma das mais raras e curiosas gravações realizadas por Jimmy Page possivelmente seja a que ele fez para a firma DeWolf. Esta companhia de entretenimentos se especializa em produzir música incidental para cinema e televisão. DeWolf depois reuniria uma série de temas e lançaria um álbum distribuido exclusivamente para pessoas associadas com a firma, desde empregados até clientes. Em 1966, lançam o décimo álbum da serie, intitulado The Wild One, por uma banda denominada The London Studio Group. Nele, Jim Sullivan e Jimmy Page participam juntos em dois números instrumentais: "March of The Defiant Ones", tema onde as atenções estão voltadas para órgão e gaita, instrumento a cargo de Page. Contudo, o mais interessantes é "Pageing Sullivan" onde os dois guitarristas trabalham juntos complementando tema e solo, tendo como acompanhamento baixo, bateria, órgão e xilofone.

Imagem
Mark Murphy é um conhecido e respeitado jazzista americano cuja carreira começou com um contrato com a Decca em 1956. Depois de gravar um álbum em 1962 com uma banda formada por Clark Terry, Snooky Young, Al Cohn, Bill Evans e Blue Mitchell, aproveitou para focalizar sua carreira na Europa. Gravou principalmente na Inglaterra em 1965 e 1966, respeictivamente para a Fontana e Immediate Records. Foi em seu álbum "Who Can I Turn To?" que Murphy pôde contar com Jimmy Page.

Jeff Beck convida Jimmy Page para assistir e se juntar a banda The Yardbirds, iniciada em 1963, formada então por Paul-Samuel Smith (baixo) e Jim McCarty (bateria), após assistirem apresentações dos Rolling Stones em Richmond. Foi convidado Anthony 'Top' Topham (guitarra) e Keith Relf (vocais), que por sua vez trouxe Chris Dreja (guitarra). Topham, obrigado a sair da banda por seu pai exigir que completasse os estudos, foi substituído por um estudante alcoólatra chamado Eric Clapton. A banda ganha certa notoriedade dentro de Richmond e assina com a Epic Records. Clapton deixa o grupo em março de 1965 para perseguir um trabalho menos pop e mais enraizado no blues, fonte inspiradora original do grupo. Jimmy Page é procurado mas recusa a vaga, oferecendo seu amigo Jeff Beck, que o substitui e leva the Yardbirds a sua fase mais popular.

The Yardbirds - Jeff Beck, Jimmy Page, Chris Dreja, Keith Relf e Jim McCarty
Ao final de uma tarde pouco inspirada, o baixista Paul-Samuel Smith deixa o grupo. Jimmy Page, que por acaso assistia a apresentação naquela noite, se oferece para ficar no baixo enquanto não arrumam outro músico. Acaba permanecendo, trocando de lugar com Chris Dreja, que assume o baixo. The Yardbirds com Jeff Beck e Jimmy Page nas guitarras gravaram apenas três faixas juntos. São elas, "Happenings Ten Years' Time Ago", "Psycho Daisies" e "Stroll On."

Depois, com a saída de Beck, Jimmy Page assume sozinho a guitarra dos Yardbirds, formação que duraria até o fim da banda em 1968. Agora trabalhando com o empresário Mickie Most, muito do material gravado passa a ser com músicos contratados, o que contribui para aumentar o desinteresse dos integrantes em continuar a investir no nome The Yardbirds.

Sob a tutela de Mickie Most, o ano de 1967 produz uma série de sessões executadas por músicos contratados, dentre os quais se incluem John Paul Jones e Jimmy Page, este o único verdadeiro integrante da banda. Lançam "I Remember The Night", "Little Games", "No Excess Baggage", "Only the Black Rose", "Little Soldier Boy", "Puzzles", "Ha Ha Said The Clown", "Ten Little Indians", e a regravação de Bob Dylan, "(Most Likely) You'll Go Your Way (I'll Go Mine)."

Imagem
Ainda assim, houve espaço para algumas coisas com os verdadeiros membros dos Yardbirds. Em abril de 1967 gravam "De Lane Lea Lee" composição coletiva de Page, McCarty e Dreja e "Drinking Muddy Water", composição coletiva de toda banda. Dois meses depois, gravam "Tinker, Tailor, Soldier, Sailor" (McCarty/Page), "Smile On Me", outra composição coletiva de toda banda, e "Stealing Stealing", canção tradicional com arranjo de toda banda.

Em "Glimpses" já se têm experimentações com a guitarra tocada com arco. Outra faixa, "White Summer," composição de Page lançada em julho de 1967, oferece a base do que se tornaria o segundo solo de "Dazed And Confused", versão do Led Zepplein. Falando nela, foi após a primeira excursão americana de 1968 que eles gravaram a sua versão da música original de Jack Holmes, com uma letra alternativa e o título de "I'm Confused" (McCarty/Page/Relf), versão que nunca chegou a ser lançada. Quando chegaram na Inglaterra para gravar, encontraram já praticamente prontas para serem mixadas as faixas "She Move's Through The Fair", "Think About It" e "Goodnight Sweet Josephine", nenhuma delas com a presença de nenhum dos integrantes da banda, exceto Jimmy Page, que participara de todas.

Imagem
Após uma segunda excursão americana ao final do verão, que renderia um disco ao vivo mal gravado, a banda retorna para a Inglaterra e encerra as atividades. Jimmy Page acaba montando uma outra banda para honrar o compromisso de uma excursão dos Yardbirds pela Escandinávia no outono, que já previamente sido marcado. Após estas apresentações a banda mudaria de nome, se tornando o mundialmente famoso Led Zeppelin.

Sessões 1967

Johnny Hallyday
O parisiense Johnny Hallyday é sobrinho do artista de variedades francês Lee Hallyday. Começou a carreira ainda menino depois de aprender a tocar violão e violino, sendo utilizado pelo tio em parte de sua apresentação. Se tornou famoso na França após gravar "Let's Swing" em 1961, uma variação bilíngue do sucesso de Chubby Checker's "Let's Twist Again." Chegou a fazer cinema, porém sua carreira deslanchou como roqueiro a partir de 1964, muito embora com pouco sucesso na Inglaterra ou Estados Unidos.

Jimmy Page trabalhou com ele no álbum "Psychedelic", inclusive se envolvendo com os arranjos do material no disco. O álbum tambem deu origem ao compacto "Psychedelic" (Hallyday/Brown/Jones) com "A Trout Cassar" (Hallyday/Brown/Jones) gravado em Londres em setembro de 1967. Esta última seria o título do então próximo filme de Hallyday, servindo evidentemente como trilha. A frase significa 'Quebrando Tudo' como quem diz 'quebrando todas as regras.'

Lançados pela Phillips francesa em outubro de 1967, chamaram muita atenção. "A Trout Cassar" demonstra Page usando sua técnica de solo de guitarra com arco de violino. Tommy Brown e Mick Jones são os diretores musicais de Johnny Hallyday, além de co-autores de várias de suas composições. Brown e Jones estariam envolvidos na década de setenta com a banda Foreigner. Além da França, Johnny Hallyday fez enorme sucesso na África e na América do Sul (inclusive excursionando pelo Brasil), mantendo sua carreira ativa e gravando por mais de trinta anos. Seu álbum de 1968 teria The Small Faces como banda.

Imagem
Brian Jones & Jimmy Page fazem parceria para compor a trilha sonora do filme "A Degree of Murder", infelizmente nunca editada. Embora o filme tenha saído apenas em 1968, estreando no Festival de Cannes daquele ano, as gravações foram realizados entre setembro de 1966 e junho de 1967. Além de Brian Jones e Jimmy Page, o projeto incluía a participação de Nicky Hopkins, Savoy Brown Blues Band e o engenheiro de som Glyn Johns.

Imagem
Ainda enquanto membro dos Yardbirds, Jeff Beck grava para Mickie Most uma faixa que acabaria promovendo a carreira já solo do guitarrista. É lançado em março de 1967, "Hi Ho Silver Lining" (Scott English/Lawrence Weiss) onde o lado B, "Beck's Bolero" (Jimmy Page) conta com Jimmy Page como autor e arranjador desta pérola instrumental. Page ainda toca guitarra rítmica em uma banda completada por John Paul Jones no baixo e Keith Moon na bateria. A faixa reapareceria no primeiro álbum creditado ao The Jeff Beck Group.

Imagem
Outro irlandês, o crooner Val Doonican, também teve Jimmy Page como contribuidor em "Walk Tall" e "Only The Heartache." Doonican apareceu em 1963 no programa 'Sunday Night at the London Palladium', conquistando uma boa parcela dos ingleses com sua música romantica. Teve uma série de hits durante a década de sessenta e setenta, embora nada sequer se assemelha a rock 'n' roll. "Walk Tall" aparece no seu album de 1967, "The World of Val Doonican - Vol. 1".

Jimmy Page também teve oportunidade de tocar com a lenda do blues, o pianista Champion Jack Dupree. Em 1966, Dupree esteve na Inglaterra e gravou "Calcutta Blues" com John Mayall e Eric Clapton. Desta vez ele grava "Barrelhouse Woman" e "Under Your Hood" com Jimmy Page. O pianista faleceu em janeiro de 1992.

The Dubliners
Desconhecido mundo afora, porém conhecido na Grã Bretania, a banda The Dubliners de Dublin, Irlanda, começou em 1962 com o nome de The Ronnie Drew Folk Group. Seguem para Londres onde passam a usar o nome The Dubliners, gravando seu primeiro disco ainda no primeiro ano de existência. Porém, nada têm a ver com rock, esta é uma banda de folk tradicional irlandês que continua na ativa até hoje.

A formação original contava com Ronnie Drew (violão e vocalista principal), Luke Kelly (banjo de cinco cordas e vocalista principal), Barney McKenna (banjo tenor, bandolim e vocais), Ciarán Bourke (violão, gaita de boca e vocais), John Sheahan (rabeca, violão, bandolim, concertina) e Bobby Leach (voz e violão). Se tornaram populares quando uma rádio pirata colocou em 1967 o seu então novo compacto "Seven Drunken Nights" na programação, ao lado de músicas de bandas como Mamas & the Papas e Jimi Hendrix. Foram rapidamente adotados pelo circiuto universitário e depois pelo Reino Unido como um todo. Uma menção sobre Page participando de uma sessão da banda foi encontrada, embora nenhuma indicação específica sobre a música ou mesmo a época.

Durante a excursão americana em 1967, o pessoal do The Yardbirds ficou bastante impressionado com Scott McKay, guitarrista que abriu o show da banda em Fort Worth, Texas. McKay é um músico profissional e também tem participações em um sem número de gravações para vários artistas, geralmente na área do Texas. Ao fim da excursão, Jim McCarty acabou produzindo um compacto do Scott McKay com The Yardbirds como sua banda. Gravaram "I Can't Make Your Way" que foi vendida por McCarty para EMI e lançado no mesmo ano na Inglaterra. A gravação é tão difícil de encontrar que já há quem suspeita de se tratar de um boato.

O segundo lançamento com envolvimento de Jimmy Page foi no ano seguinte. Gravado como The Scott McKay Quintet em Texas, McKay manda para Jimmy Page uma fita com sua versão do clássico repertório dos Yardbirds, "The Train Kept A-Rollin'". Page então grava apenas o solo e manda a fita de volta. Esta versão foi lançada nos Estados Unidos em maio de 1968 pelo selo local Falcon.

Sessões 1968

Em 1968, The Yardbirds acabou mudando de integranes e se tornando o Led Zeppelin, a primeira banda que Jimmy Page pôde realmente chamar de sua. Apesar do consumo de tempo e energia exigido pelo LZ, ainda assim Page trabalhou para uma grande quantidade de arti stas como músico de aluguel. Com o fim do Led, Page quase que some, participando mais como guitarrista convidado em alguns eventos ao vivo. A lista segue com algumas de suas colaborações até o final do milênio.

O produtor Reg Tracey estava preparando o disco de estréia do cantor Keith de Groot. Procurou contratar músicos de estúdio tarimbados, capazes de criar um som fundido, como se fosse uma banda de verdade. Esta 'banda' foi formado então pelos excelentes Chris Hughes no sax, Nicky Hopkins no piano, John Paul Jones no baixo, e Clem Cattini na bateria, mais a dupla de guitarras Jim Sullivan e Albert Lee.

Imagem
No entanto, com o álbum se estendendo em mais uma sessão, os dois guitarristas não puderam comparecer por terem compromissos já estabelecidos. Em cima do laço, acabam acertando com Page, que no espaço de um dia grava para o disco de Keith as faixas "Everything I Do Is Wrong", "Think It Over", "Dixie Fried", "Fabulous", "Lovely Weekend", "Burn Up" e "One Long Kiss." Ao analisar o resultado final, Reg Tracey concluiu que a banda era boa demais para deixar sem menção. Assim, o material foi lançado em 1968 creditado à banda No Introduction Necessary. Infelizmente vendeu muito pouco.

Outra banda Irlandesa foi The Movement, que em 1968 lançou dois compactos, o primeiro com a participação de Jimmy Page nas faixas "Something You've Got" e "Tell Her". Seu segundo compacto, "Head For The Sun", com fortes aspirações psicodélicas, pode também ter a participação de Page.

Imagem
Philamore Lincoln é mais um desses artistas sem banda que grava com músicos contratado. Lançado pela NEMS, seu primeiro compacto, "Rainy Day" com "Running By The River", segundo consta, foi gravado pelos Yardbirds de 1968. Em seu segundo compacto, lançado pela CBS em 1970, Jimmy Page participa apenas no lado B, na faixa "You're The One." Seu único álbum, "North Wind Blew South" foi lançado apenas nos Estados Unidos. Philamore Lincoln é também o compositor do segundo hit da Mary Hopkins pela Apple, "Temma Harbour."

Um dos trabalhos menos conhecidos e mais distantes de sua imagem é o encontrado no LP The Maureeny Wishfull Album. Maureeny Wishfull não é o nome de uma pessoa, é o nome da banda, na verdade um trio acústico de violão compreendido por Jimmy Page, Jim Sullivan e John Williams. Page aproveita o projeto para explorar mais o som tirado de sua cítara. Somente 300 exemplares deste disco foram prensados, embora há anos estejam disponíveis no mercado cópias falsificadas. O álbum saiu originalmente pelo selo Moonshine em 1968.

Sessões 1968

Led Zeppelin
Creio ser desnecessário me estender nas participações de Jimmy Page no Led Zeppelin. Sua criação transformou-se em um trampolim para o sucesso mundial. A mega popular banda e seus feitos já há muito conquistaram o status de lenda.

Tendo Page trabalhado com tantos artistas talentosos nestes anos, ele teve uma infinidade de opções para formar a sua banda ideal. Sonhando em fazer um som pesado como as bandas americanas Vanilla Fudge e Iron Butterfly, Page teria pensado inicialmente em uma banda escalada por ele, Steve Winwood, Steve Marriott, Chris Dreja e Clem Cattini. Winwood e Marriott se mostraram envolvidos demais em seus projetos: Winwood com Traffic e Marriott com os Small Faces. Chris Dreja por sua vez, depois da desintegração de sua banda The Yardbirds, resolvera seguir uma carreira de fotógrafo. Page sonda então Terry Reid e John Paul Jones, o baixista tendo aceitado de imediato. Reid no entanto, preso a contratos com Mickie Most, se viu obrigado a declinar, contudo sugerindo a Page o nome de Robert Plant como uma possível alternativa, que ao ouvi-lo ao vivo em um clube, o convida para a banda, que por sua vez insiste que Page teste seu grande amigo, John Bonham, antes de fechar com qualquer outro baterista. Após o primeiro ensaio, Bonham recebe o convite e Clem Cattini, que nunca chegou a ser convidado, é definitivamente tirado da jogada. A banda, de inicio chamada The New Yardbirds, tornou-se Mad Dogs por alguns ensaios antes de optar finalmente pelo nome Led Zeppelin. O resto é história.

Montada em 1968 e dada como encerrada em 1980, após o falecimento de seu baterista, a banda sempre teve Page totalmente envolvido com todos os aspectos de tudo que foi e continua sendo lançado oficialmente. No entanto, durante este tempo, nada impedia que Page continuasse trabalhando e contribuindo com outros artistas.

O escocês Al Stewart tocava piano em clubes de folk music em Londres quando foi descoberto e contratado pela Decca. Seu primeiro compacto "The Elf"/ "Turn Into Earth" não vendeu nada e ele acabou dispensado do selo. O compacto porém é hoje uma pequena raridade, muito em função da participação de Jimmy Page no lado B. Stewart conseguiu no ano seguinte um contrato com a CBS lançando seu primeiro álbum em 1967 e o segundo em 1969.

Imagem
Neste segundo, Love Chronicles, a faixa principal e que dá título ao álbum, é um épico de 18 minutos retratando a vida amorosa do artista. A música igualmente tem uma decisiva participação da guitarra de Page, e foi muito comentada na época por conter a palavra 'fuck', e apesar de não ter nenhuma exposição nas rádios, acabou se tornando um favorita no circuito universitário. Com outros pequenos sucessos durante a carreira, é curioso perceber que Al Stewart só iria sumir de vez logo após o seu único e autêntico hit: "Year of the Cat".

Imagem
A banda escocesa Cartoone tem como notoriedade apenas o fato de seu disco trazer a participação de Jimmy Page. Artista da Atlantic, Cartoone oferece um produto típico do rock-pop comercial, incapaz de ofender os ouvidos de pessoa alguma acima dos trinta anos, trazendo arranjos orquestrais de John Cameron e, segundo a ficha técnica, a presença de Jimmy Page como artista convidado. Na prática isto quer dizer que Page produziu o álbum. Mas ele também pode ser ouvido nas faixas "Knick Knack Man", "I'll Stay", "Let Me Reassure You", e "Ice Cream Dreams."

Imagem
The Family Dogg nasceu em Madrid quando lideres de duas bandas populares na Espanha resolvem juntar forças e tentar a sorte no mercado inglês. São eles Steve Rowland, natural de Madrid e líder da banda Los Flaps, mais Albert Hammond, nascido em Gilbraltar e líder do grupo Los Diamond Boys.

Chegando em Londres em 1966, se unem com a vocalista inglesa Christine Holmes, formando a base de The Family Dog. Com mais dois guitarristas, o quinteto em 1967 inicia a carreira fonográfica com compactos lançados pelos selos MGM, Fontona, Bell e Buddah, seu último álbum saindo em 1972 pela Polydor.

Imagem
Seu primeiro álbum porém, A Way of Life, lançado pela Bell em 1969, contém como banda base Jimmy Page, John Paul Jones e John Bonham. O compacto "A Way of Life" com "Throw It Away" saiu pela Bell em abril de 1969 e chegou a No.10 nas paradas inglesas daquele ano. Apesar dos esforços de Steve Rowland, que continuaria usando o nome Family Dogg até 1976, jamais conseguiram qualquer participação nas paradas de sucesso novamente. Christine Holmes, além de gravar alguns compactos, trabalhou em dois programas da TV inglesa, 'Crackerjack' e 'Who Do You Do', usando o nome Kristine Sparkle.

Imagem
Geralmente tido como um artista folk, John Fahey é um dos mais importantes inovadores do violão acústico, levando o instrumento a explorar fronteiras impensáveis. Com seu primeiro disco lançado em 1959, Fahey além do country tradicional, bluegrass e blues com corda de aço, já inseriu em sua música experiências com dissonâncias, raga Indiano, e elementos da música dos índios nativos da América do Norte. Seus discos mais meditativos retém muito dos elementos que passaríamos a encontrar na New Age depois de alguns anos. Inspirou guitarristas como Leo Kottke, e reativou carreiras de artistas esquecidos como Bukka White.

Seu álbum de 1969, Yellow Princess, é um dos poucos com grande participação de outros músicos. Dois membros da banda Spirit, Jay Ferguson (teclados) e Mark Andes (baixo), aqui com seu irmão Matt Andes (guitarra); mais o ex-Rising Sons Kevin Kelly (bateria) formam a banda de John Fahey neste disco. Jimmy Page faz uma participação especial não creditada.

Sessões 1971

A história de Roy Harper é a história de um menino maluquinho. Criado em Manchester, o rapaz começou em 1954 como muitos, em uma banda de skiffle do irmão. Aos quinze anos se alistou no exército, onde foi detectado seu distúrbio mental, tendo sido subsequentemente dispensado. Após um longo periodo no Lancaster Moor Mental Institution, um sanatório e outro em Liverpool, em uma prisão, Harper surgiu na cena musical de Londres em 1965

Roy é o Harper descrito na canção do Led Zeppelin, "Hats Off To Harper," e também a voz ouvida na canção "Have A Cigar" no álbum do Pink Floyd, Wish You Were Here. Jimmy Page participa de vários de seus discos e inclusive já subiu ao palco com Harper em mais de uma de suas apresentações. Você pode encontrar Page no álbum Stormcock, onde ele participa da faixa "The Same Old Rock" sob o pseudônimo de S. Flavius Mercurius. Após quase morrer de uma rara doença circulatória, Harper resurge com o álbum Lifemask, onde Page contribui em três números, "Bank Of The Dead", "Highway Blues" e "The Lords Prayer". Seu álbum de 1974 tem Jimmy solando magistralmente em "Male Chauvinist Pig Blues".

Imagem
Page ainda aparece como convidado especial em seu primeiro show da volta, realizado no Royal Albert Hall em 1973. Momentos deste show ficaram registrado no álbum Flashes From The Archives Of Oblivion. Nele podemos ouvir Page tocando slide em "Male Chauvinist Pig Blues" e "Highway Blues." Retiradas na versão de CD, porém presentes no álbum duplo de vinil, estão "Referendum" e "Something's Coming On", que supostamente também contam com a participação de Page e possivelmente Keith Moon.

Page voltaria a trabalhar com Harper em 1981 no álbum Work Of Heart, realização artisticamente inferior aos demais álbuns do Harper mencionados aqui. Este trabalho seria seguido pelo excelente Whatever Happened to Jugula?, co-produzido por Jimmy, que toca em cinco faixas: "Nineteen Forty-Eightish", "Hangman", "Elizabeth", "Advertisement (Another Intentional...)", "Bad Speech", "Hope", e "Twentieth Century Man".

Em 1985, Harper e Page novamente reapareceriam em vinil no álbum In Between Every Line, uma coleção de apresentações ao vivo que traz Jimmy Page tocando em "Short and Sweet", "Referendum" e "Highway Blues."

Mike Heron é o guitarrista da Incredible String Band, que em 1971 lança seu primeiro trabalho solo, chamado Smiling Men With Bad Reputations. O disco lembra bem o trabalho de sua banda, tendo no entanto um enfoque mais roqueiro nas composições. Um disco definido como eclético, une em um só trabalho o saxofonista avant-garde Dudu Pukwana, o blueseiro John Cale e até The Who sob o pseudónimo de Tommy and the Bijoux na faixa "Warm Heart Pastry." Jimmy Page também estaria participando deste disco, embora não creditado. Possivelmente na faixa "Feast of Stephen" ou "Beautiful Stranger", que são as mais roqueiras.

Imagem
Jimmy também trabalhou com Maggie Bell, cantora escocesa que surgiu com a banda Stones The Crows em 1970. Com o fim do grupo, três anos depois viria seu álbum solo de estréia, Queen of the Night, que sai na primavera de 1974. Produzido pelo talentoso Jerry Wexler, o disco oferece duas faixas com a participação não creditada do Jimmy Page. Uma delas possivelmente seja "Trade Winds." Em seu disco seguinte, Suicide Sal, lançado agora pelo selo Swan Song, novamente temos a participação de Page no solo da faixa título. Outras canções com sua presença incluem "If You Don't Know" e "Coming On Strong".

Sessões 1975

Imagem
O ex-membro do The James Gang, Joe Walsh, tem em seu disco So What?, lançado em 1975, a participação de Jimmy Page. A faixa com a preciosa gema é "Country Fair". O álbum também tem a participação de Don Henley, estreitando as relações para que no ano seguinte Walsh se associasse com a banda Eagles.

Em 1975, com o nascimento de sua primeira filha Scarlet, Jimmy Page grava no estúdio The Wick, o tema "Scarlet" com a participação de Keith Richards, Ron Wood e Rick Grech. A canção continua inédita.

Sessões 1977

O diretor Kenneth Anger teve sucesso na década de sessenta com o filme "Scorpio Rising" e passa boa parte da restante década, como também a década seguinte, tentando realizar seu opus, "Lucifer Rising." Com problemas que vão desde orçamento à roubo de partes do filme já rodado, passando por brigas e incidentes com o elenco. Membros do filme incluíram em determinados momentos Robert Beausoleil, Chris Jagger, Leslie Huggins e Marianne Faithfull. A primeira trilha sonora para a obra foi composta em 1969 por Mick Jagger usando um moog, e acabou sendo aproveitado em outro filme, "Invocations of My Demon Brother."

Imagem
Em 1973, Anger contrata Jimmy Page para fazer a trilha sonora do filme. Page a esta altura de sua vida está fazendo uso de heroína com cada vez mais frequência e leva quase três anos para entregar pouco mais do que vinte minutos de música que ele produzira com um moog. Anger irritado o despede. A trilha sonora acaba saindo em 1977, através de uma edição limitado por um selo pequeno da California. Enquanto a versão definitiva do filme não fica pronta, Kenneth re-edita seu filme "Inauguration of the Pleasure Dome" originalmente da década de sessenta, desta vez com trilha sonora do Electric Light Orchestra.

Sessões 1984

Em 1984, Page também participou do disco Right by You de Stephen Stills. Nome mais do que respeitado na época, em que já contava com vinte anos de carreira, basta lembrar sua passagem por grupos como Buffalo Springfield ou Crosby, Stills & Nash (& Young). Apesar deste disco não encontrar Stills em seu melhor momento, traz de interessante a participação de Jimmy Page nas faixas "50/50", "Flaming Heart" e a faixa título, "Right By You."

Imagem
Em uma época onde vídeo de músicas era uma novidade, muitos se lembrarão da regravação de Robert Plant de um velho sucesso da década de cinquenta, "Sea of Love." A banda, sob o nome de The Honeydrippers, lançou um mini disc de cinco músicas. Pois bem, Jimmy Page está na guitarra em "Sea of Love" e "I Got A Thrill." Para completar a festa, Jeff Beck é outro convidado que toca em "Rockin' At Midnight."

Sessões 1985

Em 1985, John Paul Jones é convidado para compor para o cinema. O álbum para a trilha sonora de Scream For Help, tem participações de Jimmy Page, Madeline Bell, e Jon Anderson. São duas as faixas com a participações de Page, "Spaghetti Junction" e "Crackback".

Imagem
As amizades e a interação entre os músicos surgidas no ARMS Concerts realizado em 1983, no Albert Hall, levou a nove apresentações nos Estados Unidos, onde Ron Wood chegou a tocar em duas noites como convidado. Este trabalho, sob o nome de ARMS Band, teve sua renda revertida para o estudo de esclerose múltipla, No entanto, Bill Wyman reúne novamente a banda em 1985, agora com prospectos próprios, boa parte do mesmo grupo e alguns nomes novos, que gravam sob a alcunha de Willie & the Poor Boys.

Tocando somente material do rock dos anos cinquenta, o álbum homônimo inclui os artistas Bill Wyman, Ron Wood, Andy Fairweather-Low, Jimmy Page, Mel Collins, Charlie Watts, Kenny Jones, e Ringo Starr. Produzido por Wyman, Jimmy Page toca em "Slippin' & Sliddin'" e "These Arms of Mine."

Imagem
Em 1984, Jimmy Page ajudou a formar uma banda de hard rock unindo membros das antigas bandas Bad Company e Uriah Heep. Com o nome de The Firm, temos Paul Rodgers nos vocais, Jimmy Page na guitarra, Tony Franklin no baixo e Chris Slade na bateria. Dois álbuns brotaram dessa união de forças: The Firm de 1985 e Mean Business de 1986. Com a chegada de 1987 Page e Rodgers voltaram a trabalhar cada um em suas carreiras solos. Franklin reapareceu na banda Blue Murder, enquanto Slade foi para o AC/DC.

Sessões 1986

Imagem
Box of Frogs são alguns dos ex-membros dos Yardbirds que se reuniram para voltar a tocar juntos. Porém sem ainda querer associar este novo trabalho com aquela banda de duas décadas passadas, Paul Samwell-Smith, Chris Dreja e Jim McCarty criam então o BoF. A banda tem ainda o vocalista John Fiddler e um convidado na guitarra. Com apenas dois discos lançados, o guitarrista convidado do primeiro disco homônimo é Jeff Beck. Do segundo, Strange Land, o convidado é Jimmy Page, tocando na faixa "Asylum." Antes de sair um terceiro, a banda se desfez, reagrupando novamente na década de noventa, agora sob o nome The Yardbirds.

Imagem
Seu ex parceiro Robert Plant em seu álbum solo Now & Zen, tem o precioso auxilio de Page nas faixas "Tall Cool One" e "Heaven Knows". O álbum é considerado pela crítica o melhor da carreira solo de Plant, apesar de ficar aquém de seus momentos mais memoráveis do passado.

Sessões 1993

Imagem
Em 1993, Jimmy Page e David Coverdale formam uma dupla que edita um disco chamado simplesmente Coverdale/Page, lançado em 1993. O álbum é um pouco criticado por tentar, sem sucesso, recriar a aura perdida dos tempos de Led Zeppelin.

No mesmo ano, Jimmy Page grava "The Wonder Years Theme", tema para o popular seriado da televisão americana, The Wonder Years.

Sessões 1995

Imagem
Em 1995, Jimmy Page choca o mundo ao se unir novamente com Robert Plant apresentando de forma mais acústica reinterpretações de material do Led Zeppelin. Evento gravado durante o programa Unplugged MTV, apareceram sob o título Jimmy Page & Robert Plant - UnLedded. O sucesso da apresentação rendeu o álbum intitulado No Quarter - UnLedded. Após tirar o próximo ano excursionando pelo mundo, inclusive o Brasil, apresentando este material, gravam em 1998 o Walking Into Clarksdale. Este segundo trabalho deixou a desejar e a dupla resolve então voltar a cuidar de suas respectivas carreiras solo.

Sessões 1998

Imagem
Jimmy Rogers é um velho bluesman da mesma geração de Muddy Waters e John Lee Hooker, porém sem a mesma fama. Em 1998 ele lança o álbum Blues Blues Blues com uma coleção de convidados de primeira grandeza, apropriadamente chamados de All-Stars. Na faixa "Gonna Shoot You Right Down (Boom Boom)" os convidados são Robert Plant, Jimmy Page e Eric Clapton.

Jimmy Page ainda encontra tempo para se aliar ao rapper, Sean Puffy Combs, que não muito tempo antes usava o nome Puff Daddy. Page contribui executando o seu famoso riff da canção "Kashmir" para esta nova canção "Come With Me", que serviu como parte da trilha sonora do filme Godzilla.

Sessões 2001

Imagem
No ano 2000, Jimmy Page se une a banda The Black Crowes, excursionando pelos Estados Unidos em uma série de concertos muito bem recebidos por público e crítica durante o verão americano. Assim, foi natural surgir no ano seguinte o disco Live At The Greek, cujo material foi extraído da apresentação no Greek Theatre de Los Angeles.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Matérias e Biografias
Todas as matérias sobre "Led Zeppelin"
Todas as matérias sobre "Jimmy Page"

Discos: Capas vistas no Google Street View
Led Zeppelin: teaser do relançamento do primeiro álbum
Faixas Instrumentais: VH1 elege as 20 melhores do Hard e Metal
Led Zeppelin: Veja teaser/trailer do box de luxo do 1º remaster
Mais capas de álbuns: a história do rock no Google Street View
Led Zeppelin: Organizador do Glastonbury prevê reunião da banda
Astros do Rock: como seriam suas versões tatuadas
Led Zeppelin: trilha para comercial de perfume da Dior
Doro Pesch: ouça versão de clássico do Led Zeppelin
Ultimate Classic Rock: Os 10 melhores singles de estreia
Led Zeppelin: como Jimmy Page passou a usar a guitarra gêmea
Whole Lotta Dough: os preços dos remasters japoneses do Led
Led Zeppelin: revelado o insano conteúdo dos boxes de alto luxo
Led Zeppelin: data, formatos e track list dos remasters de luxo
Lindo demais: as capas dos primeiros remasters do Led Zeppelin

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas